O Soldado que Não Existiu | A história real por trás do novo filme da Netflix

O Soldado que Não Existiu | A história real por trás do novo filme da Netflix

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 11 de Maio de 2022 às 11h00
Netflix

Os fãs de filmes de guerra e espionagem vão contar com uma estreia um tanto quanto curiosa. O Soldado que Não Existiu é um dos filmes mais aguardados de maio e chega nesta quarta-feira (11) à Netflix narrando um curioso episódio não tão conhecido da Segunda Guerra Mundial, mas que mostra o quanto a criatividade e até mesmo a malandragem são armas tão poderosas quanto um canhão em um conflito dessa escala.

O longa protagonizado por Colin Firth (O Discurso do Rei) reconta a história da Operação Carne Moída — ou Operation Mincemeat, no original —, um capítulo bastante peculiar da história da espionagem mundial e que ajudou a atrasar o avanço das forças nazistas na Europa, além de garantir o avanço dos Aliados a oeste do continente.

O que foi a Operação Carne Moída

Embora já tenhamos assistido a dezenas de filmes sobre a Segunda Guerra Mundial, alguns episódios do maior conflito do século 20 seguem sendo pouco explorados e até mesmo desconhecidos do grande público. É o caso da Operação Carne Moída.

A ação aconteceu em 1943, quando o serviço de inteligência britânico elaborou um plano para confundir o exército alemão e, com isso, invadir a região da Sicília, na Itália, sem precisar encarar grandes confrontos com tropas inimigas. Para isso, eles criaram o tal soldado que nunca existiu e o usaram como arma de contrainteligência.

Documento usado para criar o falso major (Imagem: Reprodução/The National Archives)

Esse soldado era, na verdade, um morador de rua que havia morrido há pouco tempo por ter comido veneno de rato. Contudo, o exército britânico viu ali uma oportunidade e transformou o defunto em um oficial da Marinha Real. Foi então que o andarilho ganhou a identidade do major William Martin, um fictício militar que teria morrido enquanto levava planos entre generais ingleses.

A ideia por trás da operação era fazer com que esse cadáver chegasse até os alemães levando cartas indicando um plano falso de ação dos Aliados. No documento, foi forjado uma comunicação entre oficiais falando sobre uma ação coordenada de invasão à Grécia e à Sardenha. Assim, eles pretendiam tirar as tropas nazistas da Sicília para garantir um desembarque seguro das forças britânicas.

O indigente mais importante da história da espionagem mudou o rumo da guerra com uma mentira (Imagem: Reprodução/The National Archives)

E foi o que aconteceu. Após levarem o cadáver de submarino até uma região costeira da Espanha, autoridades locais logo deram um jeito de entregar cópias dos falsos documentos para o exército da Alemanha, que deslocou seus pelotões para os pontos indicados nas cartas. Com isso, a Sicília ficou realmente desguarnecida e os Aliados conseguiram fazer a sua invasão sem grandes contratempos.

O nascimento da grande espionagem

O Soldado que Não Existiu retrata justamente o nascer desse plano tão inusitado. A proposta do longa é mostrar os bastidores da missão, indo desde como Ewen Montagu (Colin Firth) teve a ideia de usar o corpo de um indigente para enganar seus inimigos, até os esforços para convencer o primeiro-ministro britânico Winston Churchill (Simon Russell Beale) a permitir um plano tão ousado e como fazer com que aquela farsa toda se tornasse convincente aos olhos de Hitler.

Filme vai mostrar desde a concepção do plano até a escolha do corpo (Imagem: Divulgação/Netflix)

Além disso, toda a sagacidade por trás da Operação Carne Moída serviu de base para muito daquilo que se tornou a espionagem moderna, principalmente pelo modo genioso que a contrainteligência foi usada. É o tipo de conceito que a gente viu ser replicado várias vezes, tanto na realidade quanto na própria ficção, principalmente nas histórias de James Bond.

E há uma boa razão para isso. Um dos idealizadores da operação é ninguém menos do que Ian Fleming, o criador da franquia 007. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele foi oficial do exército britânico e atuou na área de inteligência, levando parte desse seu conhecimento no fronte para suas histórias quando o conflito se encerrou. No filme da Netflix, ele será vivido pelo ator Johnny Flynn (Emma).

Outras adaptações

O Soldado que Nunca Existiu não é a primeira adaptação da Operação Carne Moída na história de cinema. Em 1956, a operação foi adaptada em um filme baseado nas memórias do próprio Ewen Montagu.

Além disso, o episódio ainda rendeu outras versões e interpretações. A história já foi contada como peça de teatro, musical e série de TV. Isso sem mencionar outras obras de ficção que se inspiraram nestes acontecimentos reais.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.