SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Lobisomem na Noite | Qual a origem do personagem no MCU?

Por| Editado por Jones Oliveira | 07 de Outubro de 2022 às 11h15

Link copiado!

Marvel Studios
Marvel Studios
Tudo sobre Marvel

Todo mundo foi pego de surpresa com o anúncio de Lobisomem na Noite, um especial de terror ambientado no MCU (Universo Cinematográfico da Marvel) protagonizado por um personagem para lá de desconhecido: Jack Russell, vivido por Gael García Bernal. E embora pareça óbvio a ideia de brincar com o mês do Halloween, a combinação de lobisomem, monstros e super-heróis parece não ter conexão alguma — mas há.

Mais do que ser apenas uma estratégia da Marvel de brincar com um novo gênero e até lucrar com o Dia das Bruxas, a estranha história da nova produção do MCU tem uma origem vinda dos quadrinhos e, o que é mais impressionante, com conexões com personagens e elementos que a gente já viu nos outros filmes e séries. Assim, por mais que essa história meio macabra e meio galhofa parece estar completamente desconexa, tudo faz mais sentido do que você pode pensar.

Continua após a publicidade

Quando a Marvel entra no terror

O personagem Lobisomem é mais um nome da vasta galeria de personagens desconhecidos e obscuros da Marvel. E embora ele tenha mesmo atuado como um herói por um tempo, a sua origem está ligada a uma fase em que a editora voltou-se para as histórias de terror e que, de certa forma, a gente já viu algumas vezes por aí, inclusive no MCU.

Antes de qualquer coisa, é preciso ter em mente que o terror na Marvel tem duas fases. A primeira delas é na década de 1950 e surge como um efeito do pós-guerra, quando o público deixou de se interessar pela fantasia dos heróis e se encantar mais pelos assombros desses mundo em que a radioatividade pode apagar cidades em segundos. Tanto que é nessa época que o primeiro Werewolf by Night surge, mas sem ligação com o que veria a seguir. O que nos interessa, portante, é a segunda fese de horror da editora.

Continua após a publicidade

E, para entender esse contexto, é preciso voltar um pouco no tempo, deixar os gibis um pouco de lado e olhar para o contexto da sociedade americana na virada dos anos 1970.

Os crimes cometidos por Charles Manson e sua seita no final da década de 1960 chocaram muito os Estados Unidos, mexendo com o imaginário da época. A ideia de um serial killer nesse nível de crueldade alimentou o medo da população para esses monstros que se escondiam à vista de todos — um sentimento que rapidamente refletiu na cultura pop.

Esse temor crescente fez com que as histórias fantasiosas e até inspiradoras que existiam até ali dessem lugar para tramas de horror. Assim, o herói bom-moço foi substituído pelo terror e pela ideia de que o mal se espreita em todo lugar. É quando clássicos como O Exorcista, A Profecia, Massacre da Serra Elétrica e Halloween começam a aparecer.

Continua após a publicidade

E, com os quadrinhos, não foi diferente. Essa mudança no zeitgeist afetou em cheio a venda dos gibis de super-heróis e, com o público perdendo o interesse nas histórias fantasiosas dos homens de roupas coloridas, a Marvel se voltou para o gênero com revistas como Vampires Tales, Tomb of Dracula e Marvel Spotlight, que apresentava personagens como o Motoqueiro Fantasma e O Filho de Satan.

O que é o Lobisomem na Noite

Foi em Marvel Spotlight #2 que o Lobisomem apareceu pela primeira vez. Já em sua estreia, somos apresentados à sua origem trágica: ele era Jack Russell, um jovem que descobre em seu aniversário de 18 anos que é detentor de uma maldição de família que faz com que ele se transforme em um monstro em noites de lua cheia.

Continua após a publicidade

É o conto clássico que a gente tanto conhece, mas com alguns contornos típicos de um gibi. Isso porque sua maldição vem do fato de ele ser filho de um barão da Transilvânia por quem sua mãe se apaixonou na juventude. Ela revela isso em seu leito de morte e o rapaz precisa lidar com esse fardo, principalmente ao manter parte de sua consciência quando transformado.

Essa característica, inclusive, faz com que o Lobisomem da Marvel tenha um pouco de Hulk em suas histórias. Ele é aquela criatura que todos têm medo e que ele próprio não consegue controlar, mas que vez ou outra deixa escapar um pouco de seu verdadeiro eu. A diferença, no caso, é que Jack Russell sempre estava envolvido em situações mais brutais e, não raro, acabava destruindo o pescoço de alguém ou coisa parecida.

O fato é que a ideia de trazer um quadrinho de um lobisomem deu muito certo e não demorou para que o personagem ganhasse sua própria revista, a Werewolf by Night — a Lobisomem na Noite, como a série do Disney+ foi traduzida por aqui.

Continua após a publicidade

A publicação durou cerca de cinco anos e explorou bem esse lado monstruoso da editora, trabalhando personagens como Drácula e o recém-criado Morbius, além de desenvolver uma galeria própria de heróis e vilões. Foi nas páginas dessa revista que surgiu o Cavaleiro da Lua.

Como as capas de Werewolf by Night bem apontam, todas as histórias eram bem simples e envolviam alguma mocinha indefesa — quase sempre a irmã de Jack — sofrendo nas mãos de algum caçador de monstros ou de alguma outra criatura que o Lobisomem precisava encarar.

E foi em aventuras assombradas assim, inclusive, que o herói amaldiçoado teve que procurar um velho conhecido dos fãs do MCU: o Darkhold. Em determinado ponto da revista, Jack Russell descobre que seu pai tinha o livro e que ele seria a chave para se livrar de sua licantropia. Assim, há toda uma busca pelo artefato ao mesmo tempo em que feiticeiros e caçadores também aparecem procurando pelo objeto.

A fase heróica do Lobisomem

Continua após a publicidade

À medida que a fase do terror foi passando e a Marvel voltou a dar mais ênfase para seu universo de super-heróis, o Lobisomem passou a integrar mais esse lado das publicações. Graças à interferência de uma entidade mística, Russell se torna capaz de controlar sua transformação e virar Lobisomem quando quiser — embora ainda sofra os efeitos da lua cheia.

É nessa fase que ele passa a interagir com personagens como o Homem de Ferro e, ao lado de outros heróis ligados ao sobrenatural, como o Motoqueiro Fantasma e Blade, ele integra a equipe Filhos da Meia-Noite.

Contudo, não há como negar que ver um Lobisomem combatendo o crime não só é estranho como também é bem bizarro e até um pouco ridículo. Por causa disso, a Marvel passou a usar o personagem cada vez menos — e todas as tentativas de trazê-lo de volta acabaram dando ruim, como no caso da Legião dos Monstros, que era formado só por figuras medonhas, como Homem-Coisa, Morbius, Manfíbio e o Franken-Castle — que nada mais era do que o Justiceiro transformado em Frankenstein.

Continua após a publicidade

Mais recentemente, a Marvel trouxe Russell de volta em uma tentativa de modernizar o personagem e até preparar o terreno para sua estreia no MCU e levando o Lobisomem para o lado dos nativo-americanos.

Outras aparições

Embora a aparição de Jack Russell no MCU seja uma enorme surpresa, ela não é inédita. O personagem já apareceu em algumas animações, como em The Super Hero Squad Show e Ultimate Spider-Man.

Continua após a publicidade

Além disso, o Lobisomem também aparece em um final alternativo de Blade Trinity. No caso, sua participação é muito mais um easter egg que acabou ficando de fora do corte final do longa. Ainda assim, é fácil encontrar imagens da terrível fantasia usada na cena.

O Lobisomem na Noite está no catálogo do Disney+.