HBO Max alcança marca de 69 milhões de assinantes com ajuda da América Latina

HBO Max alcança marca de 69 milhões de assinantes com ajuda da América Latina

Por Felipe Demartini | Editado por Jones Oliveira | 21 de Outubro de 2021 às 14h30

Foi um trimestre de perde e ganha para a Warner, mais especificamente quando o assunto é a HBO. Entre julho e setembro de 2021, a empresa viu seu número de assinantes cair em 1,8 milhão de pessoas nos Estados Unidos, enquanto o total de usuários na América Latina aumentou 1,9 milhão, ajudando a companhia a ultrapassar, globalmente, a marca de 69,4 milhões de usuários e se manter na rota até o final deste ano.

O motivo para a queda foi o fim de uma parceria com a Amazon, que atrelava os serviços Prime Video e HBO nos EUA. De acordo com o CEO da WarnerMedia, Jason Kilar, a união foi encerrada por questões estratégicas, principalmente envolvendo o atendimento direto a clientes, mas acompanhou ofertas de 50% de desconto na assinatura da HBO Max e a chegada de uma opção de mensalidade mais barata, com exibição de anúncios. O resultado foi que a expectativa de perdas de usuários, que era de cinco milhões, foi cortada em mais da metade.

Como normalmente acontece nos serviços de streaming, a empresa também não divulgou o número de assinantes específico para o Brasil. De acordo com os documentos financeiros apresentados pela WarnerMedia, entre o terceiro trimestre do ano passado e deste, as plataformas digitais da HBO arrebanharam 12,5 milhões de pessoas na América Latina, ou seja, quase um quinto do total de assinantes globais do serviço, que espera chegar ao final do ano com entre 70 milhões e 73 milhões de usuários.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Lançamento de Duna, nesta semana, e The Matrix Resurrections em dezembro deve ajudar a ampliar números de assinantes da HBO mesmo com fim de parcerias estratégicas nos EUA (Imagem: Divulgação/EUA)

Muito desse resultado é fruto da estratégia da Warner em lançar grandes filmes do cinema simultaneamente em formato digital. A prática irritou cineastas e atores, mas levou a sucesso financeiro, com as chegadas de Duna nesta semana nos EUA e The Matrix Resurrections em dezembro sendo citadas como alavancadores de assinaturas — a ideia, porém, é que a prática se mantenha apenas ao longo de 2021, com a volta das estreias exclusivas nos cinemas, ainda que com janelas menores de liberação na internet.

O terceiro trimestre de 2021 terminou com um faturamento de US$ 8,4 bilhões para a WarnerMedia, um crescimento de 14,2% em relação ao mesmo período do ano passado. A divisão de conteúdo, especificamente, ampliou sua margem em 31,7%, chegando a US$ 3,1 bilhões, com a recuperação parcial da pandemia da covid-19 sendo citada como fator predominante. A expectativa é que, no que toca a HBO Max, o crescimento internacional continue a ser um fator, com a chegada a oito novos países da Europa ainda neste mês e a continuidade das ofertas na América Latina alavancando os resultados.

Fonte: Variety

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.