Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Demolidor | O que esperar da nova série do Homem Sem Medo no Disney+?

Por| Editado por Jones Oliveira | 27 de Julho de 2022 às 21h00

Link copiado!

Netflix
Netflix
Tudo sobre Marvel

O Demolidor vai finalmente entrar no Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês). Depois de ter uma nova série anunciada durante a última San Diengo Comic-Con, o retorno do Homem Sem Medo teve mais alguns detalhes divulgados durante a última D23 Expo — deixando bem claro aquilo que podemos esperar da retomada do personagem depois do fim do chamado Netflixverso. Mas o que já sabemos até agora de Daredevil: Born Again além do nome do novo seriado?

Embora a Marvel tenha sido bem sucinta na hora de apresentar novidades, deixando bem claro que não há nada pronto até o momento e que as filmagens da série só começam no ano que vem, alguns detalhes foram ditos aqui e ali que dão o tom do que está por vir. E a principal delas é que realmente se trata de um reboot e não uma sequência do que a Netflix já apresentou — ou seja, tudo novo de novo.

Pode até parecer como algo óbvio, mas essa era uma questão que acompanhava os fãs do Demolidor e do MCU desde que Charlie Cox apareceu em Homem-Aranha: Sem Volta para Casa como Matt Murdock e que vimos Wilson Fisk (Vincent D'Onofrio) em Gavião Arqueiro. Desde então, foram meses de questionamento tentando entender se aqueles eram as versões dos personagens que a gente já conhecia ou uma variante de outro universo — o que é vital para entender o futuro do Demolidor do MCU. E, enfim, temos nossa resposta.

Continua após a publicidade

Aposta repetida

Apesar de Daredevil: Born Again ter tido uma passagem bastante discreta no painel da Marvel na D23 Expo, focando apenas no início das filmagens e na revelação de uma nova logo, o grande anúncio veio depois em uma entrevista. Em conversa com o site Extra, Cox deixou claro que o seriado será mesmo um reboot e não uma continuação da série da Netflix — ou seja, estamos mesmo falando de um novo universo. 

"É uma Temporada 1, não uma Temporada 4, então tem que ser inteiramente nova", explicou o ator. "Se vamos fazer de novo, que seja diferente".

E isso é algo que faz muito sentido quando paramos para olhar o próprio título escolhido pela Marvel. O nome Born Again já insinuava esse reboot ao indicar que veríamos um Demolidor renascido, ou seja, surgindo do zero para ter sua história sendo contada mais uma vez. E, com a fala de Cox, não restam mais dúvidas de que todos os acontecimentos vistos nas três primeiras temporadas vão ser desconsideradas.

E isso abre espaço para o outro sentido que o título carrega. Mais do que indicar esse recomeço, Born Again é literalmente o título da saga mais marcante do Demolidor nos quadrinhos — e que aqui foi chamada de A Queda de Murdock

Essa era uma dúvida que havia sido plantada na Comic-Con e que ainda permanece no ar depois da D23 Expo, pois não ficou claro se a Marvel apenas decidiu brincar com o título ou se pretendo readaptar o arco na série do Disney+. 

Continua após a publicidade

Até porque é difícil pensar em uma nova história de introdução do personagem a partir da clássica fase de Frank Miller. Na HQ, o Demolidor praticamente nasce de novo depois de ter a sua vida destruída por Wilson Fisk. O Rei do Crime descobre sua idaentidade secreta e, depois de anos amargando prejuízos por causa do Demônio da Cozinha do Inferno, decide fazer com que Murdock coma o pão que o diabo amassou destruindo tudo aquilo que ele mais ama, de seus amigos à própria vida civil como advogado — além, é claro, de colocar muitos vilões na sua cola. 

A história em si é muito boa por mostrar essa queda e ressurgimento do herói em uma fase que passou a ser mimetizada incessantemente nas HQs desde então. Contudo, para que isso possa funcionar na TV, a gente teria que ter um Demolidor já estabelecido para o público para fazer com que a sua derrocada fizesse sentido e impacto.

E, por mais que a gente já conheça Murdock e até mesmo Fisk, a fala do Charlie Cox deixa claro que a ideia da Disney é tratar Daredevil: Born Again como um novo começo e também a porta de entrar para o público que vai ter seu primeiro contato com o Homem Sem Medo agora, sem depender daquilo que a Netflix já fez. Com isso, uma adaptação de A Queda de Murdock parece pouco provável.

Continua após a publicidade

Além do mais, há outro detalhe importante: a saga serviu de base para a terceira temporada de Demolidor na Netflix. Então, se a ideia é fazer as coisas diferentes, como Cox ressaltou, seria contraintuitivo iniciar o reboot já requentando a história mais recente que a série contou. 

Por isso, é quase certo que, com Dardevil: Born Again, a Marvel vai repetir a estratégia que adotou com Era de UltronRagnarok: se apoiar em um título conhecido dos quadrinhos e seguir por um caminho bem diferente e que, em certa medida, não vai remeter a nada da HQ.

Um novo começo

Continua após a publicidade

Já que não dá para considerar a história de A Queda deMurdock para esse reboot de Demolidor, a grande questão é para que caminho Daredevil: Born Again vai seguir. E, por incrível que pareça, a principal peça para esse quebra-cabeça está em uma série que está bem abaixo no radar do hype do pessoal: Eco.  

A personagem Maya Lopez (Alaqua Cox) não foi bem um dos destaques de Gavião Arqueiro, mas foi uma peça importante para justificar a aparição de Wilson Fisk no MCU. Mais do que isso, o fechamento de sua história deixou uma enorme incógnita em relação ao futuro do personagem — uma dúvida que foi respondida na D23.

Durante o evento, foi revelado que Vincent D'Onofrio estará presente na nova série que chega ao Disney+ no ano que vem e que, como muitos já imaginavam, o Rei do Crime não morreu ao levar um tiro a queima roupa da jovem nativa-americana. No caso, ele vai retornar em Eco e aparecerá com bandagens nos olhos, indicando que o disparo apenas o feriram gravemente, mas nõa a ponto de eliminá-lo de vez.

Continua após a publicidade

Nos quadrinhos, isso acontece décadas depois de A Queda de Murdock e resulta em um Wilson Fisk cego que passa a ter seu reinado no submundo de Nova York questionado por outros bandidos — o que dá início a uma enorme briga por poder e influência que leva o próprio Demolidor a se tornar o Rei do Crime. E devemos ter um pouco disso no MCU, possivelmente em Eco.

E isso é algo que deve ter implicações diretas em Daredevil: Born Again. Levando em conta que a nova série do Demolidor vai ter 18 episódios, é tempo de sobra para mostrar o papel desse Homem Sem Medo patrulhando uma cidade que vive o caos por causa da ausência de um Rei do Crime. No vácuo deixado por Fisk, outras gangues e líderes criminosos podem disputar território e transformar a cidade em um campo de guerra em que somente um herói cego com sentidos ampliados pode resolver.

Dessa forma, o Born Again do título pode indicar tanto o renascimento do Demolidor como esse herói urbano que é essencial para garantir a segurança da população comum como também de um Wilson Fisk que vai ter que lutar para retomar o poder.

O que esperar de Born Again

Continua após a publicidade

Já que A Queda de Murdock é uma opção que tem tudo para ser descartada, a grande questão é: o que podemos esperar da nova série? Por ser algo que só vai estrear em 2024, muita coisa pode acontecer, de modo que qualquer especulação é arriscada demais. Ainda assim, algumas pistas já aparecem aqui e ali.

O ponto mais importante que o seriado deve pontuar é a consolidação desse universo mais urbano da Marvel. Há tempos já se cogita essa possibilidade, mas o próprio Kevin Feige falou que a ideia é levar o MCU para diferentes níveis, do cósmico ao urbano e que, neste caso, o Demolidor e o Homem-Aranha são os principais nomes.

Então é possível que Born Again seja uma série que vai resgatar o espírito mais básico do super-herói clássico no MCU, ou seja, do cara que bota um uniforme estranho e sai por aí para combater o crime e resolver problemas locais e não apenas salvar o mundo. E depois de vermos a Terra ser ameaçada por todo tipo de nuvem colorida, é bom ter esse retorno ao básico.

Continua após a publicidade

Isso é ótimo não só por colocar o Demolidor em seu playground favorito — as ruas e telhados da Cozinha do Inferno —, mas também por abrir espaço para personagens que tinham pouco espaço nessas tramas mais megalomaníacos do MCU de deuses e entidades interdimensionais. Com o Rei do Crime de volta ao poder e querendo dominar Nova York, a série pode explorar todo o lado mafioso que ainda não vimos, assim como apresentar vilões menores como o Coruja, Cabeça de Martelo e, é claro, o bom e velho Mercenário.

Aliás, o Coruja é um vilão que se encaixaria muito bem nesse momento. Levando em conta que Fisk está fragilizado e deve seguir em uma jornada própria para se tornar o vilão que conhecemos, o velho Leland Owsley é perfeito para ocupar esse papel de mafioso violento e sem escrúpulos que obriga um advogado cego a se vestir de demônio toda noite. 

E isso é algo importante principalmente para a consolidação desse lado urbano do MCU, que parece estar começando a ganhar mais forma. A breve aparição do Demolidor em Mulher-Hulk: Defensora de Heróis já indica isso, mostrando Murdock tentando convencer Jennifer Walter (Tatiana Maslanay) de que o papel do herói não é apenas salvar o mundo, mas ajudar as pessoas que estão ao seu lado — e isso é a essência do Demolidor dos quadrinhos.