SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Quanto gasta um ar-condicionado?

Por| Editado por Wallace Moté | 07 de Outubro de 2023 às 12h00

Link copiado!

Freepik
Freepik

Uma das preocupações mais comuns de quem gostaria de ter ambientes mais climatizados é quanto gasta um ar-condicionado. Afinal, o produto é comumente identificado como um dos vilões da conta de luz, especialmente em locais com clima mais quente.

Por isso, é uma boa ideia estimar o quanto o aparelho consome de energia, e consequentemente qual será o efeito real na tarifa cobrada em cada localidade. Na prática, este cálculo não é nada diferente em relação a outros produtos da casa, como chuveiros elétricos e computadores.

A única especificidade dos aparelhos de ar-condicionado é a sua classificação de acordo com os BTUs, ou Unidade Térmica Britânica, que mede a sua capacidade para resfriar ambientes maiores, ou de forma mais rápida.

Continua após a publicidade

Dada a quantidade de BTUs, é possível fazer uma relação com o consumo esperado do ar-condicionado ligado:

BTUsConsumo esperado (kWh)
7.50015,7
9.00017,1
10.00020,2
12.00022,7
24.00038,6
30.00054,1
36.00061,3
48.00089,3
60.000104,4

A quantidade de kWh de cada modelo em específico também é mostrada em um selo do INMETRO que acompanha o produto, ou mesmo em sua embalagem.

Continua após a publicidade

Uma característica que ganha cada vez mais espaço no mercado de ar-condicionado é a tecnologia Inverter, que tem o potencial de economizar energia em até 40% em comparação com as opções tradicionais. Contudo, alguns modelos Inverter podem trazer um gasto até 70% mais baixo.

Em resumo, as soluções Inverter são capazes de climatizar o ambiente de forma mais suave e constante, em vez dos outros modelos que ligam e desligam seu mecanismo para manter a temperatura no nível configurado. Outra vantagem deste estilo é o funcionamento mais silencioso.

Calculando o preço na conta de energia

Continua após a publicidade

Para calcular o consumo do ar-condicionado, é possível usar os dados da tabela em conjunto com a quantidade de horas por dia que o produto será utilizado. Existem calculadoras que realizam esta conta na internet, mas no geral o processo é relativamente simples.

Afinal, basta multiplicar a quantidade de kWh e a quantidade de horas diárias em que o ar-condicionado ficará ligado.

Em um exemplo hipotético com um ar-condicionado de 9.000 BTUs ligado por oito horas diárias, o gasto de energia elétrica ficaria da seguinte forma:

17,1 kWh x 8 horas = 136,8

Continua após a publicidade

A partir daí, é preciso saber qual é a tarifa cobrada por kWh, que varia em cada cidade. Com um preço imaginado de R$ 0,60, o preço seria:

136,8 * 0,60 = R$ 82,08 por mês

Vale lembrar que a medida de kWh é geralmente mostrada considerando um uso em 30 dias por mês. Caso o ar-condicionado seja usado por menos tempo, é preciso aplicar uma conta de proporcionalidade ao dividir o valor por 30, e multiplicar pela quantidade de dias de uso.

Retomando o exemplo anterior e imaginando o uso por apenas 20 dias ao mês, a conta ficaria assim:

Continua após a publicidade

82,08/30 dias = R$ 2,73 por dia
2,73 x 20 dias = R$ 54,60

Qual o ar-condicionado certo para o meu ambiente?

Antes de comprar um aparelho de ar-condicionado, é essencial saber qual modelo é mais adequado para cada tipo de ambiente. Além das dimensões do cômodo a ser resfriado, outros fatores também podem influenciar a decisão perfeita.

Afinal, um aparelho que seja muito forte para o ambiente terá um consumo maior e potencialmente desnecessário, enquanto as opções menores serão insuficientes em locais mais amplos, deixando-os ainda muito quentes.

Continua após a publicidade

Em geral, é possível calcular a quantidade certa de BTUs de acordo com um truque que envolve quatro aspectos relacionados ao cômodo a ser resfriado:

  • Adicione 600 BTU para cada metro quadrado do ambiente
  • Mais 600 para cada pessoa que for permanecer naquele local
  • Mais 600 para cada aparelho que emite calor (televisão, geladeira etc)
  • Mais 800 se existir entrada direta de sol no local

Como exemplo, é possível considerar duas situações diferentes: a de um pequeno quarto individual, e a de uma grande sala corporativa:

Continua após a publicidade
  • Caso 1 - Um quarto com 12 metros quadrados, com uma pessoa, dois itens que irradiam calor (computador e TV) e luz direta do sol — 600 x 12 + 600 x 1 + 600 x 2 + 800 = 9.800 BTUs. Ou seja, um modelo entre 9 mil e 12 mil BTUs deve dar conta do recado.
  • Caso 2 - Uma sala com 40 metros quadrados, para 10 pessoas, com 10 itens que irradiam calor (computadores), sem luz direta do sol — 600 x 40 + 600 x 10 + 600 x 10 = 36 mil BTUs. Portanto, opções mais avançadas com aproximadamente 36 mil BTUs serão necessárias.

É importante lembrar que esta conta serve apenas como uma estimativa, e outros fatores podem influenciar a compra certa. O próprio clima da cidade em que o produto será colocado pode ser um fator importante, pois exigirá mais ou menos poder de resfriamento.

Fonte: Leveros, Blog WebAr