Siga o @canaltech no instagram

Adolescentes recorrem cada vez mais a download ilegal de músicas no YouTube

Por Redação | 15 de Setembro de 2016 às 12h40
Tudo sobre

YouTube

Saiba tudo sobre YouTube

Ver mais

Um estudo divulgado pelo grupo Ipsos recentemente revela uma mudança de hábitos do público adolescente usuário de internet no que diz respeito à forma que ele obtém suas músicas favoritas. De acordo com a pesquisa, 49% dos jovens entre 16 e 24 anos de idade baixam músicas ilegalmente de sites como YouTube, SoundCloud e semelhantes.

A constatação contrasta com o que se acreditava ser o mais comum até hoje: que a meninada recorreria ilegalmente a portais de torrent e outros serviços P2P para obter as músicas do momento. Agora, no entanto, a verdade é que cada vez mais pessoas estão utilizando serviços como o YouTube MP3 e TubeNinja para ripar o conteúdo multimídia de portais de streaming sob demanda.

Colabora também o fato de esses serviços oferecerem facilidades para seu uso, como a instalação de extensões nos navegadores. Depois de instalados, basta clicar no ícone desses plugins para que todo o processo de extração e conversão dos dados aconteça e os jovens tenham armazenados em seus dispositivos a música que estavam procurando.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Os resultados também surpreendem por contradizerem levantamentos recentes que indicavam que serviços como Spotify e Apple Music estavam sendo impulsionados principalmente pelo público jovem. Além disso, mostra que as tentativas do Google e do YouTube de impedir esse tipo de prática foram malsucedidas.

Há algum tempo, ambas as empresas enviaram comunicados a vários sites voltados para ripagem de conteúdo de seus portais, demandando que esse tipo de funcionalidade fosse removido. A julgar pelos resultados do estudo da Ipsos, aparentemente Mountain View está lidando com uma Hidra, cuja cabeça cortada dá origem a outras duas.

Fonte: TorrentFreak

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.