Adolescentes recorrem cada vez mais a download ilegal de músicas no YouTube

Por Redação | 15 de Setembro de 2016 às 12h40

Um estudo divulgado pelo grupo Ipsos recentemente revela uma mudança de hábitos do público adolescente usuário de internet no que diz respeito à forma que ele obtém suas músicas favoritas. De acordo com a pesquisa, 49% dos jovens entre 16 e 24 anos de idade baixam músicas ilegalmente de sites como YouTube, SoundCloud e semelhantes.

A constatação contrasta com o que se acreditava ser o mais comum até hoje: que a meninada recorreria ilegalmente a portais de torrent e outros serviços P2P para obter as músicas do momento. Agora, no entanto, a verdade é que cada vez mais pessoas estão utilizando serviços como o YouTube MP3 e TubeNinja para ripar o conteúdo multimídia de portais de streaming sob demanda.

Colabora também o fato de esses serviços oferecerem facilidades para seu uso, como a instalação de extensões nos navegadores. Depois de instalados, basta clicar no ícone desses plugins para que todo o processo de extração e conversão dos dados aconteça e os jovens tenham armazenados em seus dispositivos a música que estavam procurando.

Os resultados também surpreendem por contradizerem levantamentos recentes que indicavam que serviços como Spotify e Apple Music estavam sendo impulsionados principalmente pelo público jovem. Além disso, mostra que as tentativas do Google e do YouTube de impedir esse tipo de prática foram malsucedidas.

Há algum tempo, ambas as empresas enviaram comunicados a vários sites voltados para ripagem de conteúdo de seus portais, demandando que esse tipo de funcionalidade fosse removido. A julgar pelos resultados do estudo da Ipsos, aparentemente Mountain View está lidando com uma Hidra, cuja cabeça cortada dá origem a outras duas.

Via TorrentFreak

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.