SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

ChatGPT: tudo que você precisa saber antes de sair usando

Por| 15 de Fevereiro de 2023 às 10h00

Link copiado!

Reprodução/OpenAI (modificada)
Reprodução/OpenAI (modificada)

O ChatGPT é uma interface de conversação entre nós, humanos, e uma Inteligência Artificial que aprendeu a conversar e responder como nós. Até aí, nada de novo. A sacada está no que há por trás!

O ChatGPT utiliza a maior “base de informações” já construída para este tipo de IA. É a partir dela que a máquina gera os próprios textos, ou seja, ela não copia, junta ou mostra textos de outros lugares, e sim elabora e escreve os próprios textos.

A plataforma é interessante e tem chamado a atenção porque podemos estabelecer um diálogo com ela ou solicitar a geração de textos e imagens de forma descomplicada, e ela responde de forma instantânea.

Continua após a publicidade

Podemos, por exemplo, pedir para criar uma redação sobre o aquecimento global, dar uma dica de receita para um jantar romântico, escrever músicas, criar um roteiro de filme, explicar a teoria da relatividade, e muitas outras coisas.

“É tão viciante usá-la em algumas situações cotidianas que, sem perceber, hoje cedo eu estava com preguiça de acessar o Google para tentar entender como surgiu o Carnaval, e então meu filho de 10 anos acessou o ChatGPT e em segundos tinha toda a informação ali (sim...eu incentivo ele a usar, a despeito de toda essa questão literalmente “old-school” de que o ChatGPT pode ser mal usado pelas crianças para deveres escolares).” – Eu mesmo

Mas as respostas do ChatGPT são 100% confiáveis?

Não, não são. Mas muitas vezes as respostas impressionam e são bem direcionadas. Assim, elas não refletem a verdade pura e cega, mas podem servir de base para escritas mais aprofundadas ou para iniciar pesquisas, por exemplo. É viciante!

Continua após a publicidade

Para se ter uma ideia, Iberê Tenório, do canal Manual do Mundo, deu toda a prova do Enem 2022 para o ChatGPT responder e sua nota final (excluindo a redação, que não teve uma boa escrita) foi 20% maior que a média dos estudantes.

Como o ChatGPT funciona?

Para criar respostas semanticamente bem elaboradas, que estejam relacionadas com o que foi pedido e façam sentido, o ChatGPT se apoia em 2 grupos de informação. Um deles é o Modelo de Linguagem, e o outro é a Base de Conhecimento. O Modelo de Linguagem é o mesmo para todo mundo, mas a Base de Conhecimento pode ser diferente.

O Modelo de Linguagem diz como as palavras se "relacionam" entre si para formar as frases. Já que essa IA não é racional, ou seja, não "entende" o significado das palavras e das perguntas, a solução foi criar um modelo extremamente amplo (na verdade, gigantesco) com representações dos inúmeros padrões de escrita possíveis.

Continua após a publicidade

Essa IA é, no fim, uma grande máquina de cálculos probabilísticos que busca adivinhar qual a próxima palavra que deve ser escrita. E para isso ela usa o Modelo de Linguagem para formar as frases.

Já a Base de Conhecimento é formada por outro enorme grupo de palavras "conectadas" entre si, mas que são direcionadas a um determinado interesse ou objetivo, e permitem um "ajuste fino" e direcionado da IA. É uma espécie de "complemento" do Modelo de Linguagem.

Digamos que se o Modelo de Linguagem é a estrutura do bolo, a Base de Conhecimento é o recheio.

O ChatGPT é baseado em qual tecnologia?

Continua após a publicidade

De uma forma simplista, o ChatGPT utiliza um modelo de linguagem baseado em um projeto chamado GPT-3.5, que por sua vez é uma evolução do GPT-3.0, ambos criados pela OpenAI.

O GPT-3.0 possui o MODELO DE LINGUAGEM base para o ChatGPT. A partir daí foi feito um novo ciclo de treinamento mais apurado e cujo objetivo foi reforçar à IA como os humanos conversam e respondem a questões textuais, e para tanto foi utilizada uma técnica chamada “Aprendizado por Reforço baseado em Feedback Humano” (RLHF em inglês), dando assim origem ao GPT-3.5.

E a partir dele, mais um ciclo de treinamento para evolução e ampliação do modelo de linguagem e da base de conhecimento foi feito, dessa vez voltado para a criação de restrições e regras a fim de mitigar respostas antiéticas, com apologia ao crime, tendenciosas ou discriminatórias, chegando ao que é chamado ChatGPT.

Continua após a publicidade

O que significa GPT?

GPT é a abreviação de “Generative Pre-Training Transformer”, um projeto da OpenAI que utiliza Inteligência Artificial para a geração de textos e imagens automaticamente.

Essa abordagem faz parte das iniciativas de IA que buscam aprender a se comunicar como os humanos, conhecidas também como Processamento de Linguagem Natural (NLP em inglês).

Especificamente, o GPT utiliza a abordagem de “IA Generativa”, que gera novos textos ou imagens a partir de um conjunto de dados previamente fornecido.

Continua após a publicidade

A base de conhecimento do ChatGPT é online e atualizada?

As bases de conhecimento utilizadas para treinar o ChatGPT, o GPT-3 e o GPT-3.5 não é online, e foi baseada em dados de até 2021, então possui informações bem desatualizadas. Por exemplo, não há nada sobre a morte do Pelé ou sobre a guerra na Ucrânia.

O uso do ChatGPT é gratuito?

Atualmente o ChatGPT é disponibilizado apenas através de interface web e de forma gratuita

Continua após a publicidade

A OpenAI também lançou uma versão de assinatura por US$ 20 mensais, ou R$ 105 para os brasileiros, para aqueles que querem fazer um uso mais intenso e ter prioridade de uso da plataforma, que pode apresentar lentidão e fila para uso devido a grande quantidade de pessoas querendo usá-la.

Existe um App do ChatGPT para Android ou iOS?

Não existe nenhum aplicativo oficial do ChatGPT para Android ou iOS. Então tome cuidado ao baixar aplicativos que se passam por ChatGPT ou que prometem integração com o ChatGPT pois podem ser Apps não-confiáveis.

Como faço para acessar o ChatGPT?

Continua após a publicidade

Basta acessar a URL https://chat.openai.com/ e se cadastrar usando uma conta Google ou Microsoft. E voilá!

Existe uma API do ChatGPT para usar no meu negócio?

No momento, não existe uma API do ChatGPT. Mas terá!!!

Uma API do ChatGPT, já contemplando todas as evoluções citadas, deve ser liberada em breve, segundo o blog da própria OpenAI. Resta saber se essa API permitirá acoplar nossas próprias bases de conhecimento.

Continua após a publicidade

Existe alguma solução parecida que posso usar no lugar do ChatGPT?

A própria OpenAI disponibiliza uma API baseada no GPT-3. E já é o suficiente para termos resultados impressionantes!

Isso porque essa API recebeu, recentemente, uma atualização que a otimiza para conversas e diálogos com humanos. Além disso, ela possibilita não só usarmos o modelo de linguagem e a base de conhecimento já existentes nesta versão, como também permite acoplarmos bases de conhecimento adicionais.

Mas é certo que não teremos o mesmo grau de interação que o ChatGPT, apesar de apresentar resultados bem interessantes.

Continua após a publicidade

Posso adicionar a minha base de conhecimento ao ChatGPT ?

Atualmente, não há como adicionar bases de conhecimento próprias ao ChatGPT , restringindo o poder desta ferramenta para uso corporativo.

No entanto, como descrito acima, pode-se utilizar a API do GPT-3.0 para o desenvolvimento de sua própria ferramenta de chat e adicionando a sua própria base de conhecimento.

Como o ChatGPT sabe se é algo fake ou não?

Antes de tudo, é importante entender que o treinamento do GPT-3/3.5 foi feito no formato “supervisionado”, ou seja, há algum grau de curadoria e filtro humanos. E assim, há uma tentativa bem-sucedida (apesar de não ser impecável) de mitigar esse tipo de conteúdo.

O mais interessante disso tudo é que, uma vez alimentados os textos no GPT-3 (e demais versões), as palavras e conexões entre elas são inseridas no Modelo de Linguagem e os textos, em si, são descartados. Ou seja, o ChatGPT não escreve os textos baseado em um repositório de textos, e sim, em uma matemática bem acrobática que "une" palavras através de algoritmos de "predição" de palavras.

A tecnologia do ChatGPT é inovadora?

Na verdade, não... A tecnologia do ChatGPT (e do GPT-3/3.5) é a mesma de diversos outros algoritmos de Processamento de Linguagem Natural (NLP). O que a difere das demais é o tamanho da rede neural utilizada (poder computacional) e o tamanho da base de treinamento. São cerca de 175 bilhões de parâmetros, ou seja, é o maior modelo de linguagem já criado a partir de um gigantesco conjunto de dados. Essa é a principal razão pela qual o GPT-3 e seus produtos derivados são tão impressionantes.

O que é a OpenAI?

OpenAI é a empresa desenvolvedora do GPT-3, GPT-3.5 e ChatGPT. Ela tem entre seus fundadores Elon Musk e entre um dos principais parceiros a Microsoft, que investiu US$ 1 bilhão em suas soluções e forneceu toda a capacidade computacional necessária, por meio do Azure, para a criação dessa mega rede neural.

O uso da API do GPT-3 é pago ou gratuito?

É pago. Mas não é algo impraticável. Os preços são acessíveis para pequenas quantidades de texto gerado e, assim sendo, está também acessível para pequenos empresários, entusiastas e para o desenvolvimento de projetos piloto de baixo orçamento.

O uso é pré-pago e cada pacote de aproximadamente 750 palavras geradas custa entre US$ 0,0004 e US$ 0,02 dólares, a depender do modelo de linguagem desejado (dos mais simples aos mais completos). Você pode conferir todas as informações no site oficial da OpenAI.

O que mais posso fazer com essa tecnologia além de brincar no ChatGPT?

A API do GPT-3, única disponível no momento, permite acesso ao gerador de textos em linguagem natural — o que, por si só, já é algo sensacional e cheio de possibilidades —, a geração de códigos de programação simples, e até a geração de imagens baseadas em texto (algo como “fazer uma imagem retangular com pôr-do-sol azul na beira do deserto” e então um desenho é gerado com essas especificações.

Veja aqui algumas ideias interessantes de uso para o ChatGPT. O site oficial da OpenAI também tem algumas sugestões de uso.

A API do GPT-3, única disponível no momento, permite acesso ao gerador de textos em linguagem natural — o que, por si só, já é algo sensacional e cheio de possibilidades.

Agradecimentos: Para finalizar, gostaria de agradecer ao Thierry Marcondes e ao Gibram pelas conversas, reflexões e troca de conhecimento a respeito. Sem a contribuição deles esse texto não teria sido produzido.