Publicidade

Furiosa ou Estrada da Fúria: qual é melhor filme de Mad Max?

Por| Editado por Durval Ramos | 24 de Maio de 2024 às 13h00

Link copiado!

Reprodução/Warner Bros
Reprodução/Warner Bros

A franquia Mad Max ganhou nova vida com o lançamento de Mad Max: Estrada da Fúria, em 2015. Desde então, a série ganhou um jogo de videogame e um prequel na forma de Furiosa: Uma Saga Mad Max. Com os dois filmes diretamente conectados, surge a pergunta sobre qual deles é o melhor.

Dirigidos e escritos por George Miller, o criador da franquia, é inevitável colocar os dois filmes frente a frente e comparar elementos para decidir qual dos dois proporciona uma experiência melhor ao espectador. Mesmo ambos sendo elogiados por crítica e público e, apesar de sua conexão, terem propostas narrativas diferentes, a dúvida ainda existe.

Continua após a publicidade

Vale lembrar que o resultado não altera a sua opinião, que pode escolher um ou outro filme como o melhor, mas analisando as duas produções, chegamos à seguinte conclusão.

História

Mad Max: Estrada da Fúria foi lançado em 2015 e serve quase como um soft reboot de toda a franquia, já que trouxe um novo ator como protagonista, com Tom Hardy (Venom: Tempo de Carnificina) substituindo Mel Gibson (Máquina Mortífera) no papel de Max Rockatansky. Mesmo assim, o filme segue a ideia de "contos de Max", quase como uma figura folclórica, uma espécie de força da natureza que vaga pelo deserto pós-apocalíptico, ajudando pessoas e seguindo seu caminho.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Em Estrada da Fúria, ele cruza o caminho de Furiosa, interpretada por Charlize Theron (Atômica), que foge com as noivas de Immortan Joe, o líder de uma facção que comanda a Cidadela, em busca do Lugar Verde, um local de abundância no meio do deserto.

O filme é uma imensa perseguição, com Furiosa e Max fugindo do exército de Immortan Joe, tentando despistá-los até chegar ao seu destino.

Furiosa: Uma Saga Mad Max tem uma história um pouco mais convencional, mostrando a origem de Furiosa, dessa vez interpretada por Anya Taylor-Joy (O Menu), e passando anos desde a sua captura até o momento em que ela se transforma na heroína vista em Estrada da Fúria.

Os dois filmes apresentam propostas narrativas diferentes, com o primeiro colocando o espectador no meio da ação, explicando elementos quando isso é necessário, mas sem dar muito tempo para o público respirar. Já Furiosa tem um ritmo narrativo diferente, tentando desenvolver, além da própria personagem, como o mundo em que ela vive.

Continua após a publicidade

Apesar de adorar a forma como a história de Estrada da Fúria é contada, Furiosa: Uma Saga Mad Max explora o universo da franquia de maneira mais ampla, o que dá uma leve vantagem sobre ele, ganhando essa rodada, mas por apenas um fio de vantagem.

Elenco

O elenco de Furiosa: Uma Saga Mad Max tem dois grandes nomes, sendo eles Anya Taylor-Joy no papel da jovem heroína, e Chris Hemsworth (Vingadores: Ultimato) como Dementus, o antagonista da história.

Continua após a publicidade

Hemsworth, conhecido mundial pelo seu trabalho como Thor nos filmes do MCU, parece ter se divertido bastante com o papel de Dementus, um vilão até um pouco caricato, mas que em alguns momentos, mostra ser cheio de camadas trágicas, soterradas por violência e um pouco de comédia.

Já Anya Taylor-Joy, umas das melhores jovens atrizes de Hollywood, faz o que pode com o material que tem em Furiosa: Uma Saga Mad Max. A história acaba deixando a personagem muda por boa parte da história, deixando que ela se torne uma espectadora da história até o terceiro ato, onde finalmente toma as rédeas de sua vida.

Mad Max: Estrada da Fúria já consegue ter um elenco superior, não apenas pelos nomes que traz, mas pelas atuações que entregam. Tom Hardy consegue entregar um Max Rockatansky perturbado, perigoso, mas que ainda traz uma certa ternura, se é que isso é possível no meio de um mundo pós-apocalíptico

Continua após a publicidade

Charlize Theron, a quem podemos chamar de verdadeira protagonista do filme, fez de Furiosa uma das personagens mais importantes dos últimos vinte anos, marcando o cinema com sua atuação heróica e trágica. Nicholas Hoult (Superman) é uma grata surpresa no papel de Nux, um War Boy que se junta a Max e Furiosa e acaba encontrando uma razão para viver e morrer. 

Hugh Keays-Byrne, antigo colaborador de George Miller e que foi o vilão do primeiro Mad Max, deu vida ao vilão Immortan Joe, um personagem incrível e que apenas com sua presença, conseguiu marcar o imaginário dos espectadores. O personagem retorna em Furiosa: Uma Saga Mad Max, interpretado pelo ator Lachy Hulme, substituindo muito bem Keays-Byrne, que faleceu em 2020, mas a sua versão de Estrada da Fúria permanece superior.

Sendo assim, apesar de Furiosa ter boas atuações e um bom elenco, ainda não supera o trabalho dos atores e atrizes de Mad Max: Estrada da Fúria.

Continua após a publicidade

Ação desenfreada

Mad Max: Estrada da Fúria foi um fenômeno nos cinemas por entregar cenas de ação que até hoje continuam insuperáveis. Com várias sequências gravadas com efeitos práticos, realmente colocando carros e caminhões correndo no deserto, cheios de explosões, capotamentos e colisões, o filme é um deleite para os fãs de ação e do próprio cinema.

Miller utiliza essas cenas de ação para avançar a trama de um jeito único, deixando o espectador na ponta da sua cadeira, gerando reações genuínas como poucos diretores na atualidade conseguiriam. Vários deles apenas sonham em um dia chegar perto da maestria do diretor australiano quando se fala em ação em Estrada da Fúria.

Continua após a publicidade

Furiosa, por outro lado, tem cenas de ação menores, mas que são mais focadas em personagens. Muitas delas ainda são espetaculares, em particular um ataque ao War Rig chama atenção, mas o filme, assim como sua história, segue uma proposta diferente.

O longa tenta trabalhar muito mais os momentos tranquilos, em vez de focar quando está tudo explodindo ao seu redor. Isso não tira a qualidade de suas cenas de ação, mas elas apenas são menores do que as vistas em Estrada da Fúria.

Sendo assim, Mad Max: Estrada da Fúria ganha mais esse ponto e sai vencedor. Sim, o longa que foi indicado ao Oscar de Melhor Filme venceu, mas Furiosa: Uma Saga Mad Max ainda é um ótimo prequel, expandindo idéias e mostrando a força que o universo criado por George Miller ainda tem no cinema.