Publicidade

Ondas de rádio | O que são, frequência e para que servem

Por| Editado por Luciana Zaramela | 20 de Fevereiro de 2024 às 12h19

Link copiado!

ADDICTIVE_STOCK/Envato
ADDICTIVE_STOCK/Envato

As ondas de rádio são a parte do espectro eletromagnético usada em tecnologias de comunicação, mas também são úteis para a astronomia. Também conhecidas como ondas hertzianas ou ondas de radiofrequência, seus comprimentos variam de poucos milímetros a milhares de quilômetros.

Como todas as ondas eletromagnéticas, ondas de rádio são um tipo de radiação transportada por fótons, portanto, compartilham as mesmas características da luz visível. Isso significa que também viajam à velocidade da luz no vácuo.

Assim como a luz visível e outros comprimentos de onda do espectro, ondas de rádio são geradas em muitos fenômenos naturais, como raios e alguns tipos de objetos no universo. Também podem ser criadas artificialmente.

Continua após a publicidade

Para que servem as ondas de rádio?

Desde sua descoberta, os cientistas usaram as propriedades únicas do rádio para desenvolver tecnologias de meios de comunicação, como o aparelho de rádio, a televisão, telefonia móvel, radar, entre outros. 

Nestes dispositivos, as transmissões ocorrem pela “conversa” entre o transmissor e o receptor. As ondas de rádio são geradas pelos transmissores por correntes elétricas de alta frequência em um condutor (uma antena, por exemplo), e viajam pela atmosfera terrestre.

Continua após a publicidade

Quando o aparelho receptor (como um rádio) recebe as ondas, a energia delas é convertida em corrente alternada. Depois, a corrente é convertida em vibrações mecânicas no alto-falante para tocar suas músicas favoritas.

Entre os serviços que usam as ondas de rádio estão o radar, a radionavegação, serviços de emergência e hospitalares, serviços de segurança e transmissão de dados em rádio digital no âmbito militar. Radares são usados também na meteorologia e no controle de tráfego aéreo, terrestre e marítimo.

Frequências de rádio

Assim como ocorre em qualquer tipo de radiação eletromagnética, as ondas de rádio têm diferentes comprimentos de onda e frequências. Estas propriedades são inversamente proporcionais, ou seja, quanto maior uma delas, menor vai ser a outra.

Continua após a publicidade

O rádio é o tipo mais comprido do espectro eletromagnético, mas pode ter comprimento de onda de apenas 1 mm, resultando em frequências de 300 gigahertz (GHz). Já em 30 Hz, o comprimento de onda é de 10.000 quilômetros — maior que o raio da Terra, de 6.371 quilômetros.

Cada faixa de comprimento de onda se comporta de maneira diferente na atmosfera terrestre. A maioria delas passa pela atmosfera e viaja pelo espaço exterior, permitindo que as agências espaciais se comuniquem com suas espaçonaves em missões fora do planeta.

Outros comprimentos de onda de rádio são refletidos ou absorvidos pela ionosfera, algo vantajoso para as transmissões a distâncias intercontinentais. Elas são refletidas pela atmosfera superior e retornam à superfície, percorrendo distância maior que aquela permitida por transmissões em “linha reta”.

Continua após a publicidade

Uma das utilidades dessa propriedade é a retransmissão entre duas torres para alcançar um receptor mais distante, permitindo transmissões com maior alcance. As rádios AM são um ótimo exemplo de aplicação desse tipo de onda.

Por outro lado, as ondas usadas pelas rádios FM podem atravessar a atmosfera, então precisam ser transmitidas diretamente de um transmissor para os receptores. Como consequência, têm menor alcance, mas sofrem menos interferências eletromagnéticas.