Razer Project Sophia é proposta de mesa gamer com hardware modular de desktop

Razer Project Sophia é proposta de mesa gamer com hardware modular de desktop

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 10 de Janeiro de 2022 às 14h50
Reprodução/Razer

A Razer é conhecida por trazer a diferentes eventos conceitos que reimaginam dispositivo e itens do cotidiano com o DNA gamer da marca. A situação não podia ser diferente durante a CES 2022, em que a gigante revelou o Project Sophia, mesa gamer que promete entregar a melhor experiência para entusiastas ao integrar diferentes módulos de hardware e recursos em um único conjunto.

Project Sophia é conceito de mesa modular com PC integrado

O Project Sophia aparenta ser uma evolução de outros conceitos modulares da marca, como o Tomahawk, que chegou a ser lançado em parceria com a Intel, e o Project Christine, que idealizava um desktop alimentado por diferentes elementos de computação que podiam ser substituídos. A novidade leva a ideia a um novo patamar, no entanto, mesclando diferentes recursos com uma mesa gamer.

O conceito do Project Sophia da Razer é integrar mesa, tela e desktop em um único objeto, utilizando 13 diferentes módulos magnéticos customizáveis (Imagem: Reprodução/Razer)

Alimentando o sistema está o elemento central de processamento, que conta com um PCB customizado e é equipado com "os mais recentes processadores da Intel e gráficos da Nvidia", ainda que não haja detalhes sobre quais exatamente seriam esses chips. Curiosamente, ao menos no momento inicial, o módulo lembra bastante a placa-mãe de um notebook, ainda que possivelmente tenha a vantagem de contar com mais espaço para refrigeração.

Logo acima da central de processamento está um mini display, com informações sobre temperaturas, consumo e mais, enquanto o consumo de conteúdo é feito em um enorme painel OLED de 65 ou 77 polegadas, que utiliza um painel "de próxima geração". Também não há mais detalhes sobre a tela, mas é possível especular que a LG ou a Samsung sejam as fornecedoras, com as tecnologias OLED Evo ou a recente QD-OLED.

Em seu estágio inicial, o conceito lembra bastante um enorme notebook (Imagem: Razer)

Visualmente, o conceito o Project Sophia traz uma aparência bastante agressiva, que chega a lembrar um enorme notebook. Como de costume em produtos da marca, há grande quantidade de iluminação RGB, que deve se espalhar pela superfície de vidro da mesa.

Para gamers, streamers e profissionais

O maior diferencial do Project Sophia está no uso dos módulos, que se fixam utilizando conectores magnéticos e proporcionam diferentes funcionalidades. São 13 slots no total, mirando, segundo a Razer, não apenas no público gamer, como também em streamers, desenvolvedores de conteúdo e profissionais que passaram agora a trabalhar de casa.

Alguns dos destaques idealizados pela marca incluem controles de som com tecnologia THX Spatial Audio de som 3D, Raid Controller, para gerenciar os discos configurados para redundância de dados, controles de mídia, tela com input de caneta para criações artísticas, carregador sem fio de 15 W e até mesmo um aquecedor de bebidas.

Como um conceito, vale destacar que não há qualquer previsão para que o Project Sophia se torne um produto real, e não se sabe se o dispositivo será mesmo comercializado. A proposta é bastante ambiciosa e enfrentará desafios para ser posta em prática, devendo ainda ter um custo bastante elevado para os consumidores.

Independente disso, a novidade atua como um teaser sobre futuros projetos que a Razer pode lançar, como foi o caso do Project Hazel, que se tornou a máscara Razer Zephyr.

Fonte: Razer, The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.