Zigbee Alliance: saiba mais sobre o consórcio que padronizará casas inteligentes

Por Claudio Yuge | 14 de Janeiro de 2020 às 08h40
android pit
Tudo sobre

Google

Saiba tudo sobre Google

Ver mais

Quando falamos sobre produtos para novas tecnologias, especialmente para Internet das Coisas (ou IoT, na sigla em inglês) e casas inteligentes, ainda esbarramos em “detalhe” que parece pequeno, mas que pode ocasionar uma grande dor de cabeça para consumidores em todo o mundo: a padronização na comunicação entre os produtos.

É pensando nisso que gigantes como a Google, Apple, Amazon e outras companhias menores (como IKEA, Samsung SmartThings, Schneider Electric, Silicon Labs, Somfy) anunciaram em dezembro último a sua adesão à Zigbee Alliance, que pretende criar um único modelo de diálogo virtual para smart homes. A ideia é simplificar as coisas, para que tudo possa ser conectado, independente dos sistemas ou fabricantes.

E agora, o consórcio começa a divulgar mais informações de como ele funcionará.

Imagem: Reprodução/PPLWare

A base do projeto é o Protocolo da Internet, o famoso IP. Toda a “conversa” entre os aparelhos deve acontecer via Wi-Fi até WiFi 6 (802.11/a/b/g/n/ac/ax) e Bluetooth 5.0. Os componentes individuais também devem se conectar através dos cabos LAN clássicos, seja por Ethernet e ou rede de telefonia móvel. Assim, segundo a Zigbee, futuramente será possível comprar quaisquer tipo de equipamento sem se preocupar com os padrões — pois eles funcionariam da forma que você mais prefere.

Ainda não veríamos apenas um painel integrado para operar todas a marcas em uma só frente. Mas já poderíamos observar a Alexa, a Siri e o Google Assistente interagindo com naturalidade, segundo exemplo do próprio grupo.

Como vai funcionar?

O conglomerado Z-Wave, que reúne as companhias em torno da Zigbee Alliance, deve utilizar algumas das plataformas disponíveis para padronizar seus atuais e novos produtos. São elas:

  • Zigbee: plataforma para desenvolvedores e usuários, que promove interoperabilidade nos sistemas Amazon Echo Plus, Samsung SmartThings, Signify, entre outros;
  • Dotdot: linguagem que poderá ser usada por todos os participantes, para que todos consigam realizar as ações de maneira uniforme;
  • Green Power: recurso que permite a otimização do uso de baterias em casas inteligentes, especialmente na comunicação com dispositivos sem fio;
  • Smart Energy: gerenciamento, monitoramento, controle, informação e automação na entrega de energia e abastecimento de água;
  • JupiterMesh: rede industrial de IoT sem fio de baixo consumo de energia e com taxas de dados flexíveis, que permite a comunicação entre bairros e áreas de campo para empresas de serviços públicos e municípios que implementam soluções de rede e cidade inteligentes;

Como dá para notar, são várias frentes com soluções que podem cobrir as principais e atuais demandas para implantação de smart homes e até mesmo indústrias inteligentes 4.0.

Mas há dois aspectos que podem barrar o sucesso dessa iniciativa: a ausência de retrocompatibilidade, já que essa padronização deve demorar a vingar e muita gente ainda vai utilizar os modelos antigos enquanto isso não acontece; e questões envolvendo privacidade e segurança de dados, lembrando que muitos usuários ainda não se sentem confortáveis em compartilhar informações sobre seus lares.

E quando isso deve chegar ao mercado?

Com a chegada da quinta geração de internet móvel, o 5G, muitos dos aparelhos de IoT e a própria comunicação com prédios inteligentes devem aumentar substancialmente. A combinação de diferentes produtos e fabricantes em um só padrão pode levar a um verdadeiro boom no mercado doméstico inteligente — por isso, há uma certa urgência nas definições da Zigbee Alliance.

O Z-Wave anunciou que abrirá as especificações de seu protocolo até o terceiro trimestre de 2020. Isso tornará o padrão para automação residencial disponível para ser usado por códigos abertos. Os primeiros produtos provavelmente virão dos três principais fornecedores (Google, Apple e Amazon). Então, é possível que tenhamos novidades a respeito até o final deste ano.

Fonte: Android Pit, Zigbee  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.