Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Matter 1.2 ganha suporte para aspiradores robôs, geladeiras e mais

Por| Editado por Wallace Moté | 24 de Outubro de 2023 às 17h05

Link copiado!

Ivo Meneghel Jr/Canaltech
Ivo Meneghel Jr/Canaltech

O protocolo Matter foi atualizado recentemente para a sua versão 1.2, e as novidades incluem a adição de novos dispositivos compatíveis. Com isso, mais itens de casa inteligente poderão ser integrados a apenas um aplicativo, facilitando e agilizando sua utilização rotineira.

A Connectivity Standards Alliance (CSA) anunciou que foram nove categorias de produtos adicionadas no Matter 1.2:

Continua após a publicidade
  • Geladeiras e dispositivos semelhantes, como freezers
  • Aparelhos de ar condicionado com controle de temperatura e ventiladores
  • Lavadoras de louça
  • Máquinas de lavar roupa
  • Aspiradores robôs
  • Sensores de fumaça e de monóxido de carbono
  • Sensores de qualidade do ar
  • Purificadores de ar
  • Ventiladores

Além da simples ativação dos produtos, a versão 1.2 do Matter ainda garante que algumas funções extras sejam realizadas em cada caso. É o caso dos ajustes de temperatura em geladeiras, ou a escolha de modos de limpeza em robôs aspiradores.

Contudo, alguns recursos ainda ficaram de fora, como a possibilidade de mapear os cômodos para que o robô percorra. Por enquanto, isso ainda precisará ser feito por meio dos aplicativos próprios de cada marca responsável pelos produtos.

Além disso, a inclusão de cada produto dentro do protocolo Matter é um processo que também depende de cada fabricante. Isso deve acontecer de forma mais gradual, e o suporte para todas as funções descritas ainda pode levar algum tempo.

Afinal, são mais de 675 companhias que possuem produtos participantes do Matter, incluindo grande parte das empresas mais populares de tecnologia. Isso inclui a Apple, Amazon, Google e Samsung, entre outras.

Matter promete entregar integração completa, mas esbarra em dificuldades

Em um contexto ideal e de completa integração, seria possível fazer com que os diferentes itens “conversem” entre si, mesmo que sejam produtos de linhas diferentes.

Continua após a publicidade

Como exemplo, se um sensor de qualidade do ar perceber alguma característica diferente do ideal no ambiente, ele já enviaria um comando automaticamente para o purificador. Na maioria dos casos isso não acontece de forma tão simples, justamente pela falta de compatibilidade entre ecossistemas de empresas distintas.

Mesmo que tenha ganhado suporte para novas categorias, o Matter 1.2 não chegou acompanhado de nenhum novo produto compatível com ele. Marcas como a iRobot e a Resideo afirmaram que “não tinham nada novo para mostrar”, e outras empresas sequer fizeram declarações oficiais.

Esse é justamente o maior desafio enfrentado pelo CSA no momento. Em geral, a adoção do protocolo Matter tem sido bem mais lenta do que se esperava quando ele foi oficializado, há cerca de um ano.

Continua após a publicidade

Uma das principais razões que podem justificar essa dificuldade é justamente a padronização dos dispositivos de casa inteligente em apenas uma central. No geral, as marcas de tecnologia procuram justamente o contrário, por meio da diferenciação de seus produtos e fidelização de clientes em torno dos seus ecossistemas próprios.

Além disso, o Matter tem um concorrente direto: o Home Connectivity Alliance (HCA). Trata-se de um protocolo que tem basicamente o mesmo objetivo de integração de dispositivos inteligentes, e ainda conta com o apoio de grandes marcas como a LG, Samsung e Electrolux.

Para o ano de 2024, a CSA prometeu que o Matter ganhará duas atualizações, com a adição de novas categorias de produtos e mais novidades. Antes disso devem ser liberadas atualizações pontuais, inclusive com a chegada do suporte por parte de dispositivos já existentes.

Fonte: CSA