Tesla Roadster é adiado para 2023 e Musk culpa escassez de chips

Tesla Roadster é adiado para 2023 e Musk culpa escassez de chips

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 02 de Setembro de 2021 às 16h05
Divulgação/Tesla

Se você é um daqueles que sonham em acelerar um Tesla Roadster, supercarro que vem sendo produzido pela montadora de Elon Musk e que custará US$ 250 mil quando chegar ao mercado (pouco mais de R$ 1 milhão), terá de esperar um pouquinho mais. E não é culpa da Tesla, segundo o bilionário CEO da empresa.

Em um tweet publicado nesta quarta-feira (1°), Musk culpou a escassez global de semicondutores pelo atraso no lançamento, agora programado para 2023. De acordo com o executivo, “2021 foi o ano de escassez superlotada da cadeia de suprimentos, então não faria diferença se tivéssemos 17 novos produtos, já que nenhum seria lançado”.


Esse não é o primeiro atraso na produção do Roadster elétrico da Tesla. Anunciado em 2017, o supercarro estava previsto para começar a ser produzido em 2020, mas isso não ocorreu. Adiada para 2022, a produção agora foi mais uma vez postergada, para desespero de quem já investiu até essa grana toda para reservar seu esportivo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O que esperar do Roadster?

Independentemente do novo atraso, fato é que, se Elon Musk cumprir o que prometeu, o Tesla Roadster chegará em 2023 disposto a fazer os principais superesportivos tradicionais “comerem poeira”. Entre as configurações de ponta do veículo, vale destacar a potência do motor, que será de 1020 cavalos, capaz de levar o carro do 0 aos 100 km/h em apenas 1,9 segundos.

Imagem: Divulgação/Tesla

Em termos de autonomia, o esportivo também promete ser topo de linha. Em sua página oficial, a Tesla crava que o modelo poderá rodar até 620 milhas (aproximadamente mil quilômetros) com somente uma carga da bateria de 200 kWh. A autonomia mínima garantida, independentemente do modo de condução de quem estiver ao volante, é de 396 milhas (637 quilômetros) por carga.

Imagem: Divulgação/Tesla

As especificações do modelo “S” incluem ainda recursos topo de linha em tecnologia, tais como modo navegação em piloto automático, mudança automática de pistas quando estiver em uma rodovia, modo de estacionamento automático em vagas paralelas ou perpendiculares e até mesmo uma função chamada “Summon”. Segundo a Tesla, com um simples toque de botão, o carro pode ligar sozinho e sair da garagem ao seu encontro. Parece ficção, mas é "apenas" o futuro chegando.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.