Tesla pede para motoristas não compartilharem falhas do piloto automático

Tesla pede para motoristas não compartilharem falhas do piloto automático

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 01 de Outubro de 2021 às 11h20
Tesla

A Tesla já trabalha em modo de controle de danos para evitar que a fama do AutoPilot, seu pacote de direção semiautônoma, tenha ainda mais detratores. Segundo informações da imprensa internacional, a montadora de Elon Musk sugere aos seus usuários e proprietários dos carros com essa tecnologia que evitem de compartilhar todo e qualquer vídeo com falhas (pequenas ou grandes) do sistema.

O Full Self-Driving (FSD), que é o recurso que praticamente dirige o Tesla por você, é o principal alvo das críticas dos usuários, que estão avaliando a ferramenta em fase beta, ou seja, com ele ainda sem estar 100% pronto. Segundo o pessoal da Vice, ao aceitar utilizar o FSD, o proprietário do automóvel ganha um documento com algumas sugestões da montadora, entre elas a de não divulgar vídeos de eventuais falhas.

A alegação da Tesla é que muitas pessoas "desejam" que os carros da empresa falhem com esse sistema de direção, sugerindo uma certa perseguição. Entretanto, sabe-se que o FSD e todo o pacote AutoPilot segue em investigação pelo governo dos Estados Unidos por recorrentes falhas que nem estavam sendo gravadas, efetivamente. Ou seja: a preocupação da montadora é de má publicidade.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Divulgação/Tesla)

Seja um bom motorista

O controle de danos da Tesla vai além do simples pedido para não compartilhar vídeos. Conforme já publicamos aqui no Canaltech, a empresa começou a exigir que os motoristas que desejam testar o FSD tenham um bom desempenho ao volante antes de baixar o pacote de tecnologia em seu carro. Essa avaliação é feita por meio de um programa já instalado nos automóveis.

Mesmo com todas essas dificuldades, a Tesla segue vendendo o pacote AutoPilot por US$ 10 mil. Essa tecnologia pode ser instalada em todos os automóveis da marca, que usam câmeras para o monitoramento das vias e para a condução automática. Vale lembrar que os carros elétricos da montadora não são autônomos, ou seja, o monitoramento por parte dos motoristas deve ser constante.

Fonte: Vice

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.