O que é um carro mais aerodinâmico?

O que é um carro mais aerodinâmico?

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 12 de Junho de 2021 às 08h00
Felipe Ribeiro/ Canaltech

Se você foi um bom aluno ou aluna em Física, certamente deve se lembrar das explicações sobre aerodinâmica e como ela afeta o desempenho de carros de corrida, passeio e, claro, aeronaves. Em nossa mente, sendo leigos ou não, um carro mais "aerodinâmico" é melhor e mais eficiente que os demais, já que oferece menos resistência ao ar e consegue furar essa barreira invisível com mais facilidade.

Segundo estudos, o objeto ou corpo que possui um coeficiente aerodinâmico (Cx) perfeito é a gota d'água, com a medição de 0,05. Isso significa que quanto menor esse número, menos resistência ao ar o veículo terá. Nos automóveis de passeio, esse número fica, em média, nos 0,30, com números melhores, sobretudo, em modelos sedã, como o Volvo S60, já que sua traseira é mais baixa e permite uma melhor passagem do ar quando comparamos com carrocerias hatch ou monovolumes.

E aí fica a pergunta: qual é a vantagem de um carro mais aerodinâmico?

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

No dia a dia, de modo bem simples, um carro mais aerodinâmico proporciona um desempenho superior e menos resistência ao ar. Com isso, dependendo do modo como você conduz o veículo, pode gerar maior economia de combustível e menos trepidações em viagens, por exemplo.

O coeficiente aerodinâmico do Volvo S60 Polestar é de 0,27 Cx (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Na prática, pense como é percorrer uma estrada com os vidros do seu carro abertos ou fechados. Com mais de 80 km/h percebe-se uma diferença grande no comportamento do veículo, já que, com tudo aberto, mais ar entra na cabine e variações de dinâmica podem fazer com que o automóvel fique mais instável. Para simbolizar ainda mais este cenário, pense que as montadoras, para medir o coeficiente aerodinâmico de seus carros, utilizam túneis de vento com os carros todos fechados, de modo a aferir melhor esses dados.

Além dos vidros fechados ou abertos, outras situações em seu carro podem afetar a aerodinâmica, como peças soltas no assoalho, acessórios no teto e até mesmo o balanceamento das rodas, já que o ar, conforme avançamos com o automóvel, passa por todos os lados do veículo.

Por que alguns carros de corrida tem menor coeficiente aerodinâmico?

Geralmente, superesportivos de competição precisam de menos aerodinâmica e maior força gravitacional (downforce). Isso acontece porque, devido à alta velocidade e para evitar que eles decolem na pista (literalmente), é necessária mais aderência, sobretudo nas curvas. Um carro de Fórmula 1, por exemplo, pode ter coeficiente aerodinâmico de 0,70, mesmo com seu formato agudo e aerofólios traseiros. Já o Tesla Model S ostenta a marca de 0,24 Cx.

Imagem: Beto Issa/GP Brasil de F1

Além disso, para carros de alto desempenho, nem sempre um menor coeficiente aerodinâmico quer dizer maior eficiência. Para isso, outros parâmetros devem ser levados em conta, como a área frontal, vão livre do solo, raio de ataque, raio de saída, pneus mais largos e até mesmo sua altura.

Um cálculo bom para determinar a real eficiência aerodinâmica de um carro é a multiplicação de sua área frontal pelo Cx. Carros de passeio, por exemplo, têm, em média, 0,30 Cx. Se sua área frontal for de 2m², o número real pode ser de 0,60 dentro da escala.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.