Hyundai suspende produção por causa do novo coronavírus

Por Nathan Vieira | 04 de Fevereiro de 2020 às 23h00
Hyundai

Já estamos vendo impacto significativo da epidemia do novo coronavírus em vários setores, e isso chegou até a indústria automotiva. Nesta terça-feira (4), a montadora sul-coreana Hyundai decidiu interromper a produção de uma de suas linhas de montagens na Coreia do Sul por conta da doença.

O motivo da suspensão é a falta de peças causada pelo surto do novo coronavírus na China, pois o fornecimento de componentes elétricos foi interrompido. “No momento, a linha de produção dos sedãs Genesis na fábrica número 5 em Ulsan (cidade sul-coreana) foi temporariamente suspensa”, afirma um funcionário do sindicato da empresa.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A fonte também diz que a maioria das fábricas da Hyundai na Coreia do Sul ficará completamente sem atividades pelo menos entre 7 e 11 de fevereiro, e acrescenta não saber exatamente quando a produção pode voltar. Enquanto isso, a própria Hyundai já revelou que está conversando com o sindicato sobre a possibilidade de outras de suas fábricas também suspenderem a produção. De acordo com essa fonte, que não quis ser revelada de forma alguma, "a situação não é boa”.

Consequências do coronavírus

E não foi apenas a Hyundai a sentir o impacto da epidemia. A ameaça do coronavírus já está atingindo também a indústria da tecnologia. Nesta semana, a LG suspendeu todas as viagens de funcionários à China, além de instruir colaboradores que estão a trabalho no país para que interrompam todos os compromissos e retornem a seus países de origem o mais rápido possível. As americanas Facebook e Razer também tomaram medidas de restrição desse tipo para proteger seus trabalhadores e evitar uma disseminação mundial da epidemia, e gigantes como Apple e Google chegaram a fechar lojas e escritórios na China.

Além disso, redes como McDonald’s e Starbucks já anunciaram que fecharão estabelecimentos na região de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan. Outras montadoras de automóveis, como a Honda e a Nissan, também estão instruindo funcionários a não viajarem para a China, e estão usando aviões fretados para retirar colaboradores estrangeiros do país em questão.

Fonte: Yonhap News Agency

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.