Startup paulistana conecta mulheres da área de TI a vagas no mercado nacional

Startup paulistana conecta mulheres da área de TI a vagas no mercado nacional

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 11 de Agosto de 2021 às 23h00

Muitas ações têm procurado tornar o segmento de tecnologia mais diverso. Uma das mais recentes é a plataforma de contratação {reprograma}, criada pela startup social paulistana de mesmo nome. A ideia é facilitar a conexão das formandas do projeto Todas em Tech com o mercado de trabalho. Até o fim de 2022, 400 mulheres, preferencialmente negras, trans e travestis de todo o Brasil, receberão formação em programação front-end e back-end.

A versão beta da ferramenta já está disponível e em uso pelas empresas parceiras — Accenture, Creditas, Easynvest, iFood e Nubank — e outras companhias interessadas. “As empresas podem conhecer o perfil de todas as alunas que se formaram nas duas primeiras turmas do Todas em Tech e convidá-las a participar de seus processos de seleção”, comenta Silvia Follador, gestora de projetos da {reprograma}.

As empresas podem, ainda, oferecer vagas de emprego e fazer todas as etapas de seleção até a contratação. É possível acompanhar o desempenho das alunas em cada etapa do processo e se comunicar diretamente com elas. “Elas podem publicar a vaga como aberta para que qualquer aluna inscrita na plataforma se candidate ou oferecer a posição a apenas um grupo de programadoras”, explica.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução/Envato/DragonImages

Nesta versão beta, a prioridade são as alunas formadas no Todas em Tech no primeiro semestre de 2021. Elas podem criar um perfil na plataforma com informações pessoais e possibilidade de exibição de portfólio. Até o momento, há 72 cadastradas. Entre elas, 80% são negras e 9% são trans ou travestis. Além disso, 70% são das regiões Norte e Nordeste.

Como as empresas podem participar

As empresas cadastradas criam seus perfis com um breve descritivo sobre a companhia, que pode incluir um vídeo e/ou uma apresentação institucional. São informados, ainda, quem é a pessoa recrutadora, a descrição da vaga e como o processo seletivo vai ocorrer de ponta a ponta.

Além disso, as companhias podem realizar todo o processo seletivo por meio da plataforma. É possível informar quais são as etapas da seleção e até se comunicar com as alunas diretamente. Até o momento, Accenture, Creditas e Nubank já têm vagas abertas. Outras empresas interessadas em ter acesso à plataforma devem entrar em contato por este formulário.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.