Zoom celebra aniversário de 10 anos e prepara novidades

Zoom celebra aniversário de 10 anos e prepara novidades

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 29 de Junho de 2021 às 18h16
Divulgação/Zoom

O ano de 2021 é mais do que especial para o Zoom. Além de celebrar o estonteante crescimento desde o ano passado, impulsionado pela pandemia do COVID-19, a empresa comemora 10 anos de fundação. Apesar de ter ido do quase anonimato ao estrelato em poucos meses, a dona do app de videoconferência desenvolvia um trabalho de conexão entre pessoas há quase uma década.

A plataforma surgiu em 2011 como uma opção para quem desejava se comunicar na web. A rede nasceu com o propósito de oferecer serviços de videochamada para as pessoas, porém tentava fazer isso de forma moderna e mais simples do que muitos rivais.

Recentemente, a plataforma começou a permitir que o usuário defina por qual pronome de tratamento deseja ser chamado (Imagem: Divulgação/Zoom)

Na época, as chamadas de vídeo ainda eram muito restritas ao ambiente corporativo e começavam a ganhar viés pessoal com a chegada do FaceTime, da Apple. O Zoom vinha com essa pegada voltada para as empresas, mas aberto a outras formas de utilização.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Atualmente, a companhia tem mais de 5 mil funcionários e 21 data centers espalhados pelo planeta, responsáveis por garantir o funcionamento dos serviços para os milhões de usuários em todo o mundo.

De 2020 para cá, foram vários os serviços integrados ao sistema, como o Meetings, as Rooms, os Video Webinars, os Events e o Chat. Mais recentemente também houve a incorporação do Zoom App Marketplace e da API do programa, o que possibilitou melhor integração com outros aplicativos.

O ano para comemorar

Para celebrar a data, a companhia deve lançar, ainda neste mês, atualizações para o Zoom Phone. A ideia é ocupar o espaço deixado pelo Skype, praticamente morto e enterrado pela Microsoft, para ofertar uma comunicação de voz segura e flexível para quem não pode abrir mão das chamadas de voz.

Está previsto o desembarque de novos mecanismos de conformidade, fundamentais para companhias que precisam resguardar dados, e recursos de identificação de chamadas. O serviço usará as estruturas STIR (Secure Telephony Identity Revisited) e SHAKEN (Secure Handling of Asserted Information Using Tokens), padrões para ajudar a evitar que golpistas e robôs usem indevidamente o número de telefone de alguém como seu próprio identificador de chamadas.

O Events deve permitir a realização de palestras e conferências pelo app (Imagem: Reprodução/Zoom)

Além disso, o Zoom deve chegar também ao Japão, possibilitando que empresas atuantes por lá possam usar telefones VoIP de qualquer parte do mundo. Essa adição faz com que chegue a 47 o número de países onde o Zoom oferece telefonia via internet.

Investimentos também em troca de mensagens

Após se firmar no setor de videoconferências, a companhia planeja dar um passo extra para abraçar também quem precisa de ferramentas de bate-papo por texto, com novidades para o Zoom Chat. Será possível, por exemplo, marcar as mensagens favoritas ou encontrar apenas aquelas em que o usuário foi mencionado diretamente, além de gerir os arquivos compartilhados e as solicitações de contato. Novos ícones podem facilitar a identificação de contas individuais, papos em grupo ou canais específicos.

A empresa não mostrou nenhuma captura de tela, por isso não dá para saber como serão essas adições. O que ficou bem nítido é a intenção de rivalizar com o Google Meet e, principalmente, com o Microsoft Teams, duas soluções dos concorrentes que possuem funcionalidades além das oferecidas pelo Zoom.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.