Microsoft estaria interessada em comprar o TikTok

Por Felipe Autran | 31 de Julho de 2020 às 16h46
TikTok

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, planeja obrigar a chinesa ByteDance, empresa responsável pelo TikTok, a vender parte da sua operação para outra companhia, possivelmente americana. Essa seria a decisão final após meses de acusações feitas por oficiais da Casa Branca de que o TikTok viola a privacidade de cidadãos do país norte-americano e supostamente compartilha dados com o governo chinês. As informações são da agência de notícias Bloomberg.

Após a publicação dessa informação, o correspondente do canal Fox Business Charles Gasparino afirmou que a Microsoft teria interesse na aquisição da rede social. Embora seja mais lembrada por seus produtos tradicionais, como Windows, Xbox e Office, a Microsoft tem pelo menos uma história de sucesso ao entrar no mercado das redes sociais. A empresa comprou o LinkedIn em 2016 e viu a rede de conexões profissionais manter as médias de crescimento durante os últimos anos, acumulando mais de 700 milhões de usuários registrados.

Ainda de acordo com as fontes de Gasparino, a Microsoft seria a única grande empresa de tecnologia americana capaz de comprar o TikTok sem chamar a atenção dos órgãos de regulação. Nessa semana, os CEOs das principais gigantes da área foram chamados para uma audiência no Senado dos EUA, onde um comitê investiga as empresas por práticas como monopólio e abuso de poder. A Microsoft não é parte dessa investigação, que inclui Facebook, Amazon, Apple e Google.

Não está claro quais serão os termos da possível ordem de Trump noticiada inicialmente, mas a intenção pode ser de separar completamente a operação do TikTok no território chinês da atuação no restante do mundo. A versão chinesa da rede social tem o nome de Douyin, com a ByteDance afirmando que pedidos de censura vindos do governo chinês ficam restritos a essa versão do aplicativo.

O TikTok já se pronunciou sobre as acusações do governo americano, afirmando que é "liderado por um CEO americano, com centenas de funcionários e principais líderes em segurança, proteção, produtos e políticas públicas aqui nos EUA".

O Canaltech recebeu via assessoria de imprensa do TikTok no Brasil, o posicionamento oficial sobre o caso:

"Embora não comentemos rumores ou especulações, estamos confiantes no sucesso a longo prazo do TikTok. Centenas de milhões de pessoas vêm ao TikTok para entretenimento e conexão, incluindo nossa comunidade de criadores e artistas que estão construindo meios de subsistência a partir da plataforma. Somos motivados por sua paixão e criatividade e comprometidos em proteger sua privacidade e segurança, enquanto continuamos trabalhando para trazer alegria às famílias e carreiras significativas para aqueles que criam em nossa plataforma".

Artigo atualizado no dia 1º de agosto, às 14h15, com o posicionamento oficial do TikTok Brasil.

Fonte: Fox Business, Bloomberg

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.