TikTok estaria avaliado em US$ 50 bilhões caso seja adquirido por investidores

Por Rui Maciel | 29 de Julho de 2020 às 14h40
Tudo sobre

TikTok

Saiba tudo sobre TikTok

Ver mais

Alguns investidores da ByteDance, empresa que controla o ultrapopular TikTok, querem avaliar a companhia em cerca de US$ 50 bilhões, caso seja necessário fazer com que a empresa realize uma oferta pública inicial, o popular IPO. As informações são da agência de notícias Reuters.

Baseada em Pequim, a ByteDance vê o TikTok sob forte pressão dos EUA, que considera até mesmo proibir (ou restringir) o funcionamento do app em seu território, caso ele não se separe da sua empresa-mãe e passe a operar como uma companhia americana. Por isso, a controladora do aplicativo de vídeos curtos está considerando diversas opções.

A ByteDance já recebeu uma proposta de alguns de seus investidores de transferir a propriedade majoritária da TikTok para eles, afirmou a Reuters a partir de fontes próximas ao tema. Ela foi feita por fundos de investimento participantes da companhia, como a Sequoia e a General Atlantic, A empresa também obteve participação no TikTok de outras empresas e firmas de investimento. Cerca de 70% do capital social que a ByteDance captou de investidores externos vieram dos Estados Unidos, de acordo com uma das fontes.

Yiming Zhang: fundador da ByteDance pode querer mais dinheiro para vender o TikTok

A oferta dos investidores avalia o TikTok em 50 vezes a receita projetada para 2020, de cerca de US$ 1 bilhão. Em comparação, o Snap, controlador do Snapchat, é avaliado em 15 vezes sua receita projetada para esse ano, algo em torno de US$ 33 bilhões, segundo o provedor de dados Refinitiv. No entanto, não está claro se Yiming Zhang, fundador e CEO da ByteDance, ficará satisfeito com a oferta. Isso porque os executivos da companhia discutiram recentemente projeções de avaliação para o TikTok e elas ultrapassam os US$ 50 bilhões.

Crescimento acelerado

O TikTok está crescendo rapidamente, à medida que consegue arrecadar mais receitas com publicidade. As estimativas dos administradores do app é que o faturamento atinja os US$ 6 bilhões em 2021. A ByteDance também é dona de outros aplicativos de grande popularidade no mercado asiático e estabeleceu uma meta de receita para 2020 de cerca de US$ 28 bilhões A ByteDance foi avaliada em até US$ 140 bilhões no início deste ano, quando uma de suas acionistas, a também desenvolvedora de apps Cheetah Mobile, vendeu uma pequena parcela de sua participação.

Se um acordo para todo o TikTok não puder ser alcançado, a ByteDance está explorando a alienação apenas das operações da TikTok nos EUA, disse uma das fontes. Não está claro quanto esse acordo valeria e que laços o TikTok nos Estados Unidos manteria com suas operações globais.

Para acompanhar seu crescimento, o TikTok criou um fundo para monetizar seus criadores de conteúdo

Não há certeza de que a ByteDance concordará com qualquer acordo, disseram as fontes. Ela está avançando com mudanças estruturais que irão cercar ainda mais os negócios americanos da TikTok de seu império global, acrescentaram as fontes. Essas mudanças podem incluir uma nova holding da TikTok e um conselho independente, disse uma das fontes, alertando que nenhuma decisão foi tomada. A empresa já separou o TikTok operacionalmente de seus outros aplicativos através de equipes dedicadas.

O CEO do TikTok, Kevin Mayer, disse em um blog na quarta-feira que a empresa estava comprometida em seguir as leis dos EUA e estava permitindo que especialistas observassem suas políticas de moderação e examinassem o código que aciona seus algoritmos.

Pressão dos EUA

Durante um painel organizado pelo governo norte-americano nessa semana, o Comitê de Investimentos Estrangeiros nos Estados Unidos (CFIUS), cuja principal função é analisar acordos de investidores estrangeiros quanto a possíveis riscos à segurança nacional, levantou preocupações sobre a segurança dos dados pessoais que o TikTok manipula. Para a entidade, o fato do app ter um proprietário chinês pode trazer riscos quanto para os interesses dos EUA.

Na semana passada, o Comitê do Senado dos EUA para Segurança Interna e Assuntos Governamentais aprovou por unanimidade um projeto de lei que impede funcionários federais dos EUA de usarem o TikTok em dispositivos fornecidos pelo governo. A pauta será retomada pelo Senado para votação. A Câmara dos Deputados já votou de modo favorável em uma medida semelhante.

Já Larry Kudlow, assessor econômico e um influente consultor do atual governo dos EUA, afirmou que o TikTok deve se separar de sua atual controladora, a chinesa Byte Dance, e também operar como uma empresa norte-americana, caso queira funcionar no país sem restrições.O consultor não especificou se a propriedade do TikTok mudaria sob a estrutura proposta. Ele se recusou a comentar quando perguntado se as empresas americanas poderiam adquirir o TikTok.

Além do TikTok, OoWeChat também entrou no radar de Trump

Além do TikTok, outro popular aplicativo chinês está na mira do governo atual dos EUA: trata-se do WeChat, o super app chinês que, além de multimídia, executa uma série de outras funcionalidades, como sistema de pagamentos, agendamento de serviços, compra de produtos, entre outros recursos.

No última dia 12 de julho, em entrevista à Fox Business no último domingo, o conselheiro para temas comerciais da Casa Branca Peter Navarro afirmou que espera "fortes ações contra o TikTok e o WeChat", apps que seriam as "maiores formas de censura da China continental".

Segundo o executivo, todos os dados que entram nesses aplicativos vão direto a servidores e militares chineses — no entanto, não houve qualquer prova concreta de que isso de fato ocorra. "O Partido Comunista Chinês e as agências desejam roubar nossa propriedade intelectual", brada Navarro.

Fonte: Reuters  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.