Google anuncia medidas para proteger crianças nas buscas e no YouTube

Google anuncia medidas para proteger crianças nas buscas e no YouTube

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 10 de Agosto de 2021 às 15h16
Kelly Sikkema/Unsplash

O Google anunciou, nesta terça-feira (10), uma série de mudanças e recursos no comportamento de ferramentas online para proteger menores de 18 anos. Serviços como YouTube, buscador e Google Assistente passam pela reforma para evitar que crianças tenham acesso ao que não deveriam, ao mesmo tempo em que minimiza rastro digital de menores até que alcancem a idade adulta.

Menos rastro digital no Google

No buscador, uma das mais interessantes e importantes mudanças está na disposição de imagens pela pesquisa. Uma nova política da plataforma (que será implementada nas próximas semanas) determina que as imagens de menores possam ser excluídas dos resultados a pedido de seus responsáveis legais.

E vale o lembrete: a remoção da imagem do Google não é o mesmo que tirá-la da internet, já que ela continuará disponível onde quer que tenha sido postada originalmente. Sendo assim, é importante correr atrás do detentor original do material para solicitar a exclusão completa.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

As mudanças mais profundas estão nas contas do Google e nos serviços associados da companhia. Pesquisas feitas por perfis de menores de idade no buscador e no Assistente (em Smart Displays) serão acompanhadas pelo SafeSearch, filtro que evita resultados com conteúdo explícito.

O histórico de localização da conta Google também recebeu alterações. Por padrão, os cadastros de menores de idade têm a função desabilitada, nenhum usuário com menos de 18 anos poderá sequer ativar a função — anteriormente, tal restrição se aplicava somente em contas de crianças com contas supervisionadas por adultos.

YouTube mais rigoroso

Envios no YouTube seguem uma lógica parecida, mas voltada para o controle de upload. Vídeos enviados por contas de usuários de 13 a 17 anos na plataforma de streaming serão configurados como privados (em que somente pessoas autorizadas podem assistir).

"Queremos ajudar os usuários mais jovens a tomar decisões conscientes sobre seu rastro e privacidade digitais, incluindo incentivos a fazer uma escolha intencional sobre deixar seu conteúdo público. Se o usuário quiser disponibilizar o material para todos, ele pode alterar a configuração de visibilidade de envio", explica o Google.

Em relação ao tempo gasto no YouTube, outras mudanças também serão implementadas. O Google começará a lembrar os usuários de fazer uma pausa no consumo de vídeos eventualmente e desligará a opção “reprodução automática” por padrão, para que não menores não fiquem assistindo a muitas publicações em sequência.

Assim como no buscador, as mudanças do YouTube serão colocadas em ação nas próximas semanas e não deve ser necessário fazer nada para ativar as novidades. Sendo assim, os pequenos devem receber as alterações automaticamente sem sequer notá-las em um primeiro momento.

Fonte: Google, YouTube  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.