Chrome para desktop vai facilitar o ato de salvar uma página para ler depois

Por Rubens Eishima | 28 de Julho de 2020 às 08h58
Google

Uma nova opção secreta do Chrome dá pistas de que o Google trabalha em um recurso de salvar páginas para leitura posterior na versão para desktop. Apesar de ainda não funcionar, a descrição do recurso indica que o navegador pode ganhar um botão e menu para acesso às páginas salvas no programa para desktop. Outra novidade do aplicativo é a possibilidade de carregar seções de páginas sob demanda, assim como já acontece com algumas imagens.

Um recurso semelhante já está disponível — há alguns anos — no aplicativo para iOS. No sistema da Apple a função recebeu o nome de “Lista de leitura”, mas ela não sincroniza os sites salvos entre dispositivos. A mesma página que explica o recurso no iPhone sugere aos usuários de outros sistemas operacionais que façam o download dos sites, o que não deixa de ser uma gambiarra.

No caso do Chrome no Android, as páginas baixadas — usando o ícone de seta para baixo entre os botões de favoritos (estrela) e informações no menu do app — são listadas na tela “Downloads” do aplicativo, dentro da categoria “Meus arquivos”.

Apesar de listada na tela “chrome://flags”, opção não funciona (imagem: Rubens Eishima/Canaltech) 

Carregamento sob demanda

Uma novidade que já está disponível no navegador do Google é a abertura sob demanda de trechos de páginas na web. O recurso (mais conhecido pelo termo em inglês “lazy loading”) permite economizar o tráfego de dados, baixando seções da página apenas quando ela estiver visível na tela.

A função já estava disponível em algumas páginas para imagens e agora foi ampliada para conteúdos carregados de outros endereços por meio de um “iframe” (um bloco de conteúdo dentro de uma página, resumidamente falando).

De acordo com o Google, a novidade reduziu em até 10s o tempo de carregamento de páginas com vídeos do YouTube. Quanto mais vídeos e outras mídias inseridas no endereço, maior o potencial de economia de tempo e dados.

A desenvolvedora do Chrome divulgou que a novidade está disponível a partir da versão 76 do Chrome e navegadores derivados, tanto nas versões para PC quando para Android. O funcionamento do recurso, porém, depende de uma pequena configuração no código HTML que carrega os elementos na página — algo que é feito pelos desenvolvedores dos sites que você visita.

Fonte: Android PoliceXDA Developers

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.