Celulares com EMUI 11 poderão trocar Android por HarmonyOS, confirma Huawei

Por Rubens Eishima | 11 de Setembro de 2020 às 14h10
Reprodução/Huawei

Um sistema operacional não tem muita utilidade sem um celular e vice-versa, o que dificulta a chegada de novos desafiantes no mercado dominado por Android e iOS. A Huawei pretende quebrar o duopólio oferecendo seu novo sistema HarmonyOS para celulares que utilizam sua personalização EMUI 11.

A informação foi confirmada por um representante da fabricante chinesa ao site Android Authority, sem revelar maiores detalhes:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“Sim, dispositivos que rodam a personalização EMUI 11 serão elegíveis a uma atualização para o HarmonyOS no futuro”

Considerando o cronograma anunciado pela empresa, de que o HarmonyOS estará disponível para celulares com mais de 4 GB a partir de outubro do ano que vem, é possível que o sistema seja oferecido aos celulares atuais da Huawei/Honor apenas em 2022.

A afirmação deixa em aberto se a Huawei tornará o sistema obrigatório mesmo para aparelhos antigos ou se continuará oferecendo smartphones Android em paralelo com os equipados com o HarmonyOS.

De qualquer maneira, para os fãs da marca, pode ser uma opção interessante para testar um novo sistema operacional sem precisar comprar um novo aparelho.

Huawei sugeriu que o sistema HarmonyOS se integrará ao pacote de serviços HMS (imagem: Huawei)

Estratégia não é inédita

Uma estratégia semelhante foi adotada por outros sistemas de celular, caso do SailfishOS, sucessor do Nokia MeeGo, mas nunca por uma empresa com o porte da Huawei, com centenas de milhões de celulares no mercado.

É possível imaginar que a empresa esteja preparando sua suíte de serviços e aplicativos HMS (Huawei Mobile Services) para funcionar também no novo sistema, o que pode facilitar a migração de usuários e desenvolvedores de aplicativos, mas isso só saberemos no decorrer do próximo ano.

Fonte: Android Authority

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.