Análise: conheça o SpaceBorn, um computador de somente 35 gramas

Por Pedro Cipoli
photo_camera Gustavo Linares / Canaltech

O que esperar de um computador de somente 9 centímetros de comprimento e 35 gramas? Essa a proposta do SpaceBorn, um equipamento compacto que parece um modem 3G e pode ser conectado a qualquer televisão ou monitor com entrada HDMI. Quer saber do que ele é capaz? Confira as especificações:

  • Sistema operacional: Android 4.0 Ice Cream Sandwich;
  • Processador: ARM Cortex A8 rodando a 1,06 GHz;
  • Memória: 1 GB;
  • Placa de vídeo: Mali-400 (a mesma que equipa o Samsung Galaxy S3);
  • Conexões: HDMI, mini USB (para alimentação de energia), fone de ouvido, microfone embutido, USB (para teclado e mouse, inclusos), entrada de cartão microSD de até 32 GB.

Testamos o SpaceBorn em uma televisão Philips série 7000 de 47 polegadas, e tudo que precisamos foi inserir o conector HDMI em uma porta disponível e plugar o cabo mini USB no computador para alimentá-lo e iniciá-lo, já que não há um botão "Power". Pelas imagens abaixo, podemos ver que o SpaceBorn é meio "gordinho", e por isso sua conexão HDMI pode não ser compatível com qualquer modelo de televisão.

A tela inicial é bastante intuitiva, trazendo atalhos para as opções mais comuns. A primeira coisa que fizemos foi conectar em uma rede wireless para termos o acesso ao Google Play. Não tivemos problemas em localizar os aplicativos com os quais estamos acostumados em nossos smartphones e tablets, mas ficamos bastante frustrados com a impossibilidade de rodarmos algum jogo.

Tentamos rodar Angry Birds, Dead Trigger e Bag Piggies, mas quando o aplicativo entra em tela cheia, o teclado e o mouse param de responder aos comandos, e como a televisão não possui uma superfície sensível ao toque, não foi possível rodar nenhum game. Aplicativos como navegadores (testamos o Dolphin, o Chrome e o Firefox) e suítes de escritório (QuickOffice e Kingsoft) rodaram sem problemas ou travamentos.

Como centro de mídia, o SpaceBorn se saiu muito bem, rodando filmes codificados em MKV com resolução 1080p e áudio DTS 5.1 sem travar. Serviços de vídeo via streaming como YouTube e Netflix também tiveram um desempenho bastante satisfatório, carregando vídeos em alta definição sem gargalos.

Como nem tudo é perfeito, vale reforçar que o teclado e mouse que acompanham o produto não são dos melhores, e as vantagens que trazem são a conexão sem fio via Bluetooth e um conector unificado para ambos. O teclado é bastante básico e o mouse apresentou falhas mesmo a curtas distâncias, além do fato de o conector ficar guardado sob a tampa onde se colocam as pilhas.

Conclusão

Disponível no Brasil por aproximadamente R$ 299, o SpaceBorn é uma excelente opção para quem deseja ter todos os recursos de uma Smart TV sem ter que comprar um novo modelo. Sendo capaz de rodar filmes em Full HD em vários formatos (AVI, RM, RMVB, MKV, WMV e MOV) e compatível com serviços de streaming como Netflix e Hulu (disponíveis no Google Play), ele pode funcionar perfeitamente como uma central multimídia.

Já como computador... veja bem: os aplicativos disponíveis na Google Play não oferecem os mesmos recursos que temos em nossas máquinas, tendo uma funcionalidade reduzida como qualquer tablet. Podemos sim ler documentos de textos do Word, PDFs ou mesmo planilhas, mas como uma função de quebra-galho. Porém, para quem quer ter um dispositivo secundário que consome pouquíssima energia elétrica, o SpaceBorn é uma boa pedida.

Ficamos bastante frustrados com o fato de jogos Android não responderem aos comandos de teclado e mouse, ficando restritos a games online que funcionam direto no browser. Tentamos com vários modelos diferentes e não conseguimos nenhum avanço – nem as setas direcionais funcionaram.

Vantagens

  • Preço atraente;
  • Possibilidade de transformar qualquer televisão em uma Smart TV ou centro de mídia;
  • Entrada de cartão Micro SD;
  • Boa configuração para rodar aplicativos do Google Play.

Desvantagens

  • O Android 4.0 Ice Cream Sandwich foi lançado ainda em outubro de 2011; o ideal seria equipar o Space Born com a versão 4.1 ou 4.2 (ambas conhecidas como Jelly Bean);
  • Conexão HDMI não compatível com alguns modelos de televisores e monitores, por ser muito larga;
  • Teclado e mouse que oferecem uma experiência ruim para quem deseja utilizar o dispositivo como uma segunda máquina.