Windows XP era lançado há 20 anos; relembre feitos deste clássico

Windows XP era lançado há 20 anos; relembre feitos deste clássico

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 25 de Outubro de 2021 às 11h21
Reprodução/Microsoft (modificado)

O Windows XP completa hoje (25) 20 anos desde seu lançamento, em 25 de outubro em 2001. Sucesso absoluto da Microsoft, o clássico sistema operacional foi um marco na história da família de SOs, mantendo sua influência e a saudade no coração de muitos usuários até os dias de hoje.

O sistema operacional foi a porta de entrada no mundo dos computadores para muita gente, e ainda há quem diga que ele segue como o melhor Windows já feito. Recheado de opções de personalização, ferramentas nativas melhoradas e com fácil conectividade com a internet, o software foi uma das “viradas de página” mais importantes para a história da Microsoft, ajudando ainda mais a consolidá-la no segmento.

Logo do Windows XP (Imagem: Reprodução/Microsoft)

Por que o Windows XP fez tanto sucesso?

A interface do Windows XP é inconfundível, e a popularidade do papel de parede padrão só reforça que a identidade visual dele foi extremamente marcante. Colorido e cheio de cantos arredondados (antes de isso ser moda), o sistema oferecia diversas opções de personalização e ainda abria caminho para mudanças profundas por softwares de terceiros.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A área de trabalho com Menu Iniciar moderno, cores e cantos arredondados chamavam atenção no Windows XP (Imagem: Reprodução/Microsoft)

O XP foi o sucessor direto do não tão memorável Windows Millennium (o “Windows ME”), que deu início ao ciclo de “erros e acertos” da Microsoft no fim dos anos 2000. Os usuários de Windows estavam ávidos por um bom sistema da Microsoft — mais estável, moderno, e com ampla conectividade — e eis que o clássico sistema chegou para suprir essa necessidade.

Foi nessa edição que a Microsoft começou a distribuir duas versões de um mesmo software, uma para o usuário final e outra para corporações (aqui, chamado “Windows XP Professional”). A facilidade de instalação por CD, já equipado com uma série de ferramentas nativas, também foi um ponto amado pela comunidade.

Foi a primeira vez que a Microsoft dividiu o sistema em versões profissionais e domésticas (Imagem: Reprodução/Microsoft)

A excelente conectividade também favorecia o Windows XP como produto, e permitiu que a Microsoft mostrasse para o mundo como era ter um sistema em constante evolução. Novos recursos, correções e melhorias chegavam aos computadores na forma de Service Packs e serviam bem para dar um "frescor de novidade".

Os Service Packs introduziam uma série de novidades ao computador, antes que a ideia de "software como serviço" fosse algo popular (Imagem: VisualHunt/22n)

A história do papel de parede do Windows XP

A foto que estampava a tela do Windows XP, a Bliss, é inesquecível para quem viveu a época. O autor do registro é Charles O’Rear e ele o fez depois de dias chuvosos na Califórnia, Estados Unidos; segundo contou o criador da icônica imagem durante uma entrevista em 2014, não foi necessário fazer qualquer modificação por computador graças as condições perfeitas de iluminação e cores captadas pela sua câmera Mamiya RZ67.

Bliss, o papel de parede clássico do Windows XP (Imagem: Reprodução/Microsoft)

O’Rear vendeu sua foto para uma agência de fotografias fundada por ninguém menos que Bill Gates, e eventualmente o registro parou na Microsoft. “Se eu soubesse o quão popular ela se tornaria e quantos computadores estariam com ela, eu teria feito um trato e comentado ‘apenas me dê alguns centavos para cada vez que ela for vista’. Teria sido um negócio melhor”, brincou o fotógrafo.

O interesse da Microsoft foi tanto que a companhia fez o artista entregar uma cópia original da fotografia pessoalmente. “Eles pediram a original, então nós chamamos o serviço dos correios”, comentou, mas o transporte sairia bem caro, então a MS ofereceu o pagamento de passagens de avião para que ele a entregasse pessoalmente.

Hoje, o campo verde que deu a cara ao Windows XP perdeu seu visual clássico — você pode conferir como a paisagem californiana a partir do Street View do Google Maps. Vale lembra também que há poucos meses a Microsoft liberou uma série de papéis de parede inspirados em clássicos do Windows.

Quantas pessoas ainda usam o Windows XP

Desde o lançamento, o Windows XP acumulou milhões de usuários e eventualmente se tornou o principal sistema operacional da Microsoft — mas isso trouxe consequências sérias para o mercado. Seu sucessor, o Windows Vista, errou em uma série de aspectos, principalmente pelos requisitos mínimos bem exigentes, e só o Windows 7 foi capaz de desbancar de fato o XP.

(Imagem: Reprodução/StatCounter)

A migração de sistemas operacionais, porém, levou bastante tempo, e ainda existem computadores que rodam o Windows XP atualmente. De 2009 a 2015, o clássico sistema perdia cerca de 15% de seus usuários por ano, segundo dados do site StatCounter, porém, quanto mais tempo se passava, mais resistente às atualizações era o público que se mantinha fiel ao programa de 2001.

Hoje, também de acordo com o StatCounter, o Windows XP ocupa apenas 0,59% do mercado — cerca de 11,8 milhões de máquinas. Agora, é o Windows 10 que assume o papel de sistema mais popular da MS.

Por que abandonar o Windows XP

Apesar do saudosismo, já passou da hora de deixar o Windows XP. O sistema operacional perdeu o suporte oficial em 14 de abril de 2009, e em 2014 o suporte estendido também terminou.

Continuar com o Windows XP é uma decisão arriscada, já que o sistema não tem mais suporte oficial e isso o deixa exposto a ataques e várias vulnerabilidades conhecidas de cabo a rabo por criminosos, principalmente pelo tempo em que elas existem. Em 2020, o suposto código-fonte do sistema vazou na web, o que deixou a estadia nele ainda mais delicada.

Além disso, vale ressaltar que o usuário resistente às atualizações deixa de aproveitar muitos recursos novos, principalmente os mais modernos. Jogos e programas lançados recentemente não têm compatibilidade com o sistema antigo, e trocar de SO é a única alternativa viável para conferir tudo que há de novo.

Apesar de o Windows 11 já estar disponível para todos, a melhor opção para o dia a dia ainda pode ser o Windows 10, já consolidado e bem amadurecido entre usuários e desenvolvedores. Com alguns ajustes pontuais, dá para deixar o sistema com a cara das versões anteriores, e certamente as ferramentas mais modernas fazem o uso do computador ser bem mais prático.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.