Microsoft revela preço padrão do Windows 365 e ele pode ser bem caro

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 15 de Julho de 2021 às 16h48
Reprodução/Microsoft

Ontem, a Microsoft pegou o mercado de surpresa ao anunciar um serviço de PC na nuvem Windows 365, mas disse que revelaria o preço até 2 de agosto. Hoje, a companhia acabou com o suspense e deixou as empresas saberem, ainda que parcialmente, quanto deverão desembolsar se quiser ter um computador virtual rodando o Windows.

O valor do plano padrão custará US$ 31 (cerca de R$160 na conversão direta) por usuário ao mês, conforme vazamento obtido pelo site The Verge. Por esse valor de assinatura, a companhia oferece CPUs com processadores de núcleos, 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. Isso fará parte da opção Windows 365 Business, projetada para empresas com menos de 300 usuários no total.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Reprodução/The Verge)

Embora pareça bem acessível para o mercado em dólar, essa não é a opção com menor preço. A Microsoft também terá um plano mais básico, com uma CPU de núcleo único, 2 GB de RAM e 64 GB de armazenamento. São configurações mais modestas e que terá preço condizente, embora ainda não se saiba quanto.

Também haverá configurações intermediárias e mais potentes, com CPUs de oito núcleos, 32 GB de RAM e 512 GB de armazenamento. Essa máquina é recomendada, segundo a empresa, para desenvolvedores de software, engenheiros, criadores de conteúdo e estações de trabalho que lidam com design.

Será possível reconfigurar o cloud PC como o usuário quiser(Imagem: Reprodução/Microsoft)

Cada cloud PC será capaz de acessar uma conexão de internet com velocidades de download de 10 Gbps e upload de 4 Gbps. A Microsoft também analisa a possibilidade de trazer recursos de redirecionamento de vídeo — com suporte a até 16 monitores simultâneos — e outras funções multimídia para as sessões virtuais.

Possivelmente, a gigante de Redmond deve criar uma versão Enterprise voltada para grandes companhias e com descontos maiores para quantidade elevada de usuários.

Concorrentes estão de olho

Cabe ressaltar que, neste início, a ideia é oferecer o serviço para companhias que não precisem de máquinas de ponta. A vantagem é que está tudo incluso: direitos da licença, uso irrestrito e recursos de computação em nuvem.

As principais concorrentes da Microsoft tem desktops online na mesma linha, porém com preços variando conforme questões como duração do contrato, quantidade de usuários e configurações da máquina. A Amazon, por exemplo, oferece uma máquina virtual com Windows de CPUs com dois núcleos, 4 GB de memória e 50 GB de armazenamento por US$ 35 por mês, enquanto a Citrix pratica um valor menor, de US$ 30.

O que assusta um pouco é projetar quanto a máquina mais “parruda” da Microsoft deve custar, especialmente aqui no Brasil. Definitivamente, não é feito para pequenas empresas nem para usuários individuais. De qualquer forma, ainda pode ser muito mais vantajoso do que adquirir tais computadores, comprar licenças para cada um e ainda ter os demais custos de internet, luz e manutenção.

A Microsoft deve liberar oficialmente Windows 365 no dia 2 de agosto, por isso só vai dar para saber efetivamente o preço de tudo quando o serviço chegar. Até lá, o Canaltech ficará de olho nas novidades para trazer tudo em primeira mão.

Fonte: MicrosoftThe Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.