Microsoft libera atualização de segurança de emergência para usuários de Windows

Por Redação | 04 de Janeiro de 2018 às 15h33

A Microsoft está liberando nesta quinta-feira (4) uma atualização de segurança para todas as máquinas equipadas com o Windows 10. O update será automático, ou seja, o usuário não precisa fazer nada para receber a versão de correção. Quem tem máquina com versões anteriores ao Windows 10, como o 7 ou 8, terá que esperar até a próxima terça-feira (9) para receber automaticamente a atualização.

A eficácia da correção da Microsoft vai depender das atualizações de firmware feitas pelas fabricantes de chips e dos softwares de antivírus, pois o update está relacionado ao kernel (núcleo do sistema operacional).

Essa atualização visa corrigir um bug nos processadores da Intel, AMD e ARM. O bug estaria relacionado à maneira como aplicativos e programas podem descobrir o conteúdo das áreas de proteção da memória do kernel, que, nos sistemas operacionais, tem total controle sobre o sistema e conecta aplicativos ao processador, à memória e a outros hardwares.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A falha, presente nos processadores mais modernos, permite que invasores ultrapassem as proteções de acesso ao kernel e tenham condições de ler o conteúdo da memória.

Lentidão no sistema

Durante as atualizações, os usuários podem experimentar uma certa lentidão no sistema, principalmente as máquinas que rodam com processadores mais antigos. Já chips da Intel com arquitetura Skylake ou mais recentes não devem perceber queda no desempenho. A lentidão será decorrência da carga a que a máquina estará submetida no momento da atualização.

O update também será feito nos servidores baseados na nuvem, segundo a Microsoft.

Em comunicado, a gigante reconhece o problema e diz que está trabalhando com seus parceiros para resolvê-lo.

"Estamos cientes deste problema e trabalhando em estreita colaboração com os fabricantes de chips para desenvolver e testar soluções para proteger nossos clientes. Estamos no processo de implantação de paliativos para serviços em nuvem e também lançamos atualizações de segurança para proteger os clientes do Windows contra vulnerabilidades que afetam os chips da Intel, ARM e AMD. Não recebemos informações para indicar que essas vulnerabilidades foram usadas para atacar nossos clientes."

Segundo informações obtidas pelo site The Verge, a Google planeja documentar e divulgar as falhas de segurança nos processadores ainda nesta quinta-feira.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.