Ex-funcionário da Microsoft explica por que Windows 10 tem tantos problemas

Por Wagner Wakka | 23 de Setembro de 2019 às 14h20
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

A Microsoft tem passou por um momento difícil com o Windows 10. Desde o lançamento da versão 1809, usuários têm informado sobre bugs severos que causam telas alaranjadas, aumento de uso de CPU e até falha em conexão de wi-fi. Por conta de tantos problemas, um ex-funcionário da companhia lançou um vídeo em seu canal do YouTube explicando por que isso acontece.

Jerry Berg trabalhou por 15 anos na Microsoft exatamente com ferramentas de automação de testes do Windows. Segundo o ex-funcionário, a companhia mudou seu sistema para checar novas versões, o que aumenta o número de erros.

Ele conta como era o processo entre 2014 e 2015 e como é agora no Windows 10. Antes, informa, a empresa tinha um grupo totalmente voltado para testes do sistema operacional, passando por builds, drivers e códigos.

Quando uma nova ferramenta ou mudança era criada, o time se reunia e discutia os bugs, além de testar manualmente as versões em aparelhos reais. Ou seja, eles tinham uma série de equipamentos com diferentes processadores, HDs, placas de vídeo e som exatamente para testar o maior número de variantes possível. Somente depois que tudo (ou maior parte disso) funciona corretamente é que a versão é liberada.

Agora, a empresa mudou seu sistema. Segundo Berg, o time de testes foi quase todo demitido e o setor foi direcionado para máquinas virtuais e não feito em aparelhos reais como antes.

Ainda, os próprios aparelhos dos funcionários são usados para testes de versões, para que eles mesmos possam dar feedback de problemas dentro do sistema operacional. Segundo Berg, esse modelo chamado de “self-host” não é mais amplamente usado em grandes companhias.

Outra mudança é que a principal fonte de dados agora são Telemetria e informações de usuários inscritos no Windows Insiders. Estes são pessoas que aceitaram testar as novidades da empresa em troca de feedback.

Berg lembra que nem sempre tais usuários estão dispostos a reportar os problemas e os dados de telemetria não são precisos. No sistema antigo, o time de testes que levantaria as informações e entregaria para os engenheiros um caminho para resolver o problema. Agora, eles só contam com telemetria para encontrar, sozinhos, uma forma de solução.

Por fim, Berg também pontua que a Microsoft percebeu que era um risco grande lançar as atualizações, motivo pelo qual passou a fazer isso gradualmente. Primeiro, ela libera para usuários de testes e desenvolvedores, depois é que o sistema chega para o usuário final.

Fonte: YouTube

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.