Do Windows 1.0 ao Windows 10: veja como o sistema mudou nestes 30 anos

Por Muni Perez | 20.11.2015 às 11:12

Em pleno século 21, é quase que impossível um indivíduo ligado em tecnologia nunca ter ouvido falar e jamais ter sequer utilizado o Windows pelo menos uma vez. O sistema operacional da Microsoft está presente em todos os aspectos da nossa vida, seja no trabalho, escola, em casa e em estabelecimentos que frequentamos.

Apesar de ocupar posição de liderança no mercado, a companhia deu início a uma nova era com o lançamento do Windows 10, que muda a maneira como o software é distribuído, além de colocá-lo em par com as novas tecnologias e tendências do mercado - conectividade, mobilidade, nuvem, integração.

Mas, para chegar até aqui, foi um longo caminho, iniciado em 1985 com o Windows 1.0. De lá para cá muita coisa (muita mesmo) mudou e fizemos uma coletânea descrevendo esses 30 anos de transição do sistema.

Windows 1.0

Windows 1.0

O Windows 1.0 foi onde tudo começou, lançado em 1985. Até sua chegada, os sistemas operacionais funcionavam apenas em modo texto e este foi o primeiro a oferecer uma interface gráfica em cima do modo texto (MS-DOS) de maneira que qualquer pessoa pudesse interagir com o sistema sem precisar digitar comandos no terminal. Para os padrões de hoje ele pode parecer feio, simples e antiquado, mas saiba que foi extremamente importante por introduzir ao mundo conceitos que hoje são completamente normais como menus que caem ao serem clicados, a utilização de uma seta para apontar e clicar em elementos, barras de rolagem e as janelas.

O nome Windows significa janelas e, curiosamente, foi escolhido de última hora. O nome original era "Interface Manager" ou "Gerenciador de Interfaces", mas escolheu-se (sabiamente) o que já conhecemos porque soava melhor. Quer rir um pouco? Então veja o Steve Ballmer, ex-CEO da empresa, tentando vender o Windows 1.0.

Windows 2.0

Windows 2.0

Se você reparar bem, as janelas da interface do Windows 1.0 não se sobrepunham. O Windows 2.0 chegou em 1987 trazendo essa funcionalidade, o que provocou um processo por parte da Apple alegando que a Microsoft havia copiado o sistema da empresa da Maçã - a Apple perdeu a briga. Capaz de rodar sem um disco rígido, o 2.0 se tornou mais popular do que o antecessor.

Windows 3.0

Windows 3.0

Foi com o Windows 3 que o sistema realmente começou a decolar e ganhar espaço. Lançado em 1990, ele veio com uma interface reformulada, delineando o padrão visual que convivemos por muitos anos até a chegada do Windows 8. Além do visual renovado, ele trouxe diversas melhorias como suporte a drives de CD e placas de som, além de vir pré-instalado em discos rígidos, ocupando "monstruosos" 5 MB. Além disso, o Windows 3.0 introduziu softwares importantes como o Bloco de Notas, um editor de texto e o clássico Paciência.

Windows 95

Windows 95

Lançado em 1995, o sistema foi um marco na história da Microsoft, do próprio Windows e, quem sabe, até da humanidade. A interface gráfica, mais refinada do que nunca, praticamente não mudou visualmente até a chegada do Windows XP e em comportamento até o Windows 8 em 2012. Nesta versão, a Microsoft introduziu o Windows Explorer e a barra de tarefas, presentes até os dias de hoje e que não devem desaparecer tão cedo. Importante notar o Internet Explorer na captura de tela. No entanto, ele não vinha instalado por padrão, mas era possível adquiri-lo em um pacote de atualização chamado Plus.

Windows 98

Windows 98

O Windows 98 foi lançado em 1998, como o nome sugere, e trouxe vários avanços em relação ao 95, apesar de não ter sofrido mudanças visuais significativas. Importante mencionar o suporte a dispositivos USB e múltiplos monitores e a chegada do Internet Explorar já instalado por padrão - foi aí quando começou a derrocada do Netscape. No ano seguinte, a Microsoft lançou o Windows 98 Second Edition (SE), que corrigiu vários bugs da versão anterior.

Windows ME

Windows ME

Na virada do milênio a Microsoft introduziu o Windows Millenium Edition (ME). O software foi meio que um fiasco para a empresa e 1 ano depois foi substituído pelo Windows XP. O ME oferecia um boot mais rápido do que os anteriores, mas isso fazia com que programas mais antigos baseados em MS-DOS não funcionassem mais. O Windows ME era voltado para usuários domésticos e o Windows 2000 era a versão para negócios.

Windows XP

Sim, isso que você acabou de ver era uma propaganda da Microsoft com Steve Ballmer tentando vender o Windows XP. Lançado em outubro de 2001, o sistema fez história e ainda é um dos mais utilizados no mundo, atrás apenas do Windows 7 e Windows 8, e isso somente porque a empresa descontinuou o suporte técnico a essa versão recentemente.

Sua característica mais marcante, à primeira vista, foi o visual caprichado, com cores vivas, a montanha verde com céu azulado, a barra de tarefas azul e os demais elementos que marcaram uma nova era no design do sistema. Além disso, unido aos avanços de hardware e softwares de terceiros, tornou-se uma versão extremamente confiável para as mais variadas atividades e, hoje, 14 anos após seu lançamento, ainda temos milhões de estabelecimentos rodando o XP em seus computadores.

Windows Vista

Windows Vista

Lançado em 2007, o Windows Vista foi um dos maiores fiascos da empresa. Apesar de ter um visual bastante refinado, com transparências e efeitos especiais em 3D, o sistema não decolou por causa de inúmeros atrasos e problemas técnicos. Além disso, ele não oferecia nenhuma vantagem significativa sobre o Windows XP, que ainda era muito bom e confiável.

Windows 7

Windows 7

Após o fracasso do Windows Vista, a empresa lançou o Windows 7, que veio para salvar a pátria. Depois do XP, o 7 foi o sistema da "zona de conforto" dos usuários, já que oferecia um visual bem agradável e desempenho e confiabilidade nos mesmos níveis do Windows XP. Com o encerramento do suporte à versão antiga, o Windows 7 passou a ser o sistema operacional mais utilizado do mundo e atualmente conta com pouco mais de 60% de participação no mercado.

Windows 8

Windows 8

Tudo ia bem com o Windows 7, mas, em 2012, a Microsoft colocou os pés pelas mãos em uma aposta que não deu muito certo: eliminou o Menu Iniciar e empurrou goela abaixo dos usuários os "Live Tiles", quadrados vivos que continham programas e exibiam informações relevantes em tempo real, em uma interface voltada para dispositivos com tela sensível ao toque.

O problema é que quase ninguém possui uma tela do tipo e a maioria já está acostumada a trabalhar bem com os bons e velhos teclado e mouse. Além disso, a falta do Menu Iniciar deixou muita gente perdida, o que contribuiu para a alta taxa de adoção do Windows 7. Resultado: o Windows 8 foi um fiasco.

Windows 10

Windows 10

O Windows 10 é a promessa da Microsoft para introduzir aos usuários o sistema operacional do futuro. Com ele, a empresa espera não só resolver os problemas que arrumou com o Windows 8 - o Menu Iniciar estará de volta e melhor do que nunca - como também conectar todos os dispositivos da Microsoft juntos, formando um ecossistema completo que interage entre si, com smartphones, tablets, computadores e videogames funcionando em conjunto. Até Android e iOS são esperados para entrar na história.

Saiba tudo sobre o Windows 10: