Publicidade

Samsung confirma detalhes do Galaxy Ring e lançamento na América Latina

Por| 18 de Janeiro de 2024 às 19h08

Link copiado!

(Imagem: Wallace Moté/Canaltech)
(Imagem: Wallace Moté/Canaltech)
Tudo sobre Samsung

A Samsung apresentou de surpresa ao final de seu evento Galaxy Unpacked o Galaxy Ring, primeiro anel inteligente da marca que visa competir com modelos como Oura Ring 3 e Amazfit Helio Ring. Em conversa com o Canaltech, o presidente e líder de Mobile eXperience TM Roh deu mais detalhes sobre o dispositivo, incluindo previsão de lançamento, sensores e público-alvo.

Segundo o executivo, o Galaxy Ring faz parte de uma nova fase do Samsung Health, onde a marca entregará cada vez mais funcionalidades de saúde e bem-estar, acompanhando os usuários 24h por dia e ajudando-os a ter uma vida mais saudável.

Continua após a publicidade

Galaxy Ring chega em 2024

Se você está curioso para saber quando o Galaxy Ring estará disponível para venda, acalme-se, ele chega às lojas ainda em 2024. Não temos ainda uma data exata, mas a expectativa é que tudo esteja pronto para ser apresentado no início no segundo semestre — o que dá largada aos rumores sobre a data do próximo Galaxy Unpacked, que deve acontecer entre julho e agosto.

Detalhes sobre preços são ainda menos comentados, mas podemos nos basear por rivais da Oura, que ficam na casa dos US$ 300 (cerca de R$ 1.500 em conversão direta).

Galaxy Ring terá sensores de saúde e bem-estar

Continua após a publicidade

Por mais que as imagens exibidas pela Samsung já indicassem, não tínhamos informações concretas sobre os sensores que estarão presentes no Galaxy Ring, até agora. O anel inteligente da Samsung será focado em quem quer acompanhar suas métricas de saúde e atividades físicas mas não quer usar um relógio — especialmente na hora de dormir.

Ele terá sensores conhecidos da categoria, como de batimentos cardíacos, saturação do oxigênio no sangue (SpO2), monitoramento do sono e contador de passos, sendo mais simples que os relógios da série Galaxy Watch. Justamente por isso, sua autonomia de bateria será muito maior, mas ainda não foi dada uma estimativa — o Oura Ring 3 entrega bateria para 7 dias de uso, enquanto a linha de relógios da Samsung chega a dois ou três dias, por exemplo.

“As principais informações do Galaxy Ring. Ele irá monitorar pontos-chave da saúde do usuário, como batimentos cardíacos, saturação do oxigênio do sangue (SpO2), contador de passos e monitoramento de sono, sendo capaz de dar uma pontuação para sua qualidade de sono.” — TM Roh, presidente e líder de Mobile eXperience da Samsung
Continua após a publicidade

Expandindo o Samsung Health

O Samsung Health já é parte integrante do funcionamento da linha Galaxy Watch, mas a ideia da sul-coreana é estar presente em todos os momentos da vida dos usuários. De acordo com TM Roh, para garantir a usabilidade da saúde digital, é importante ter sempre a informação adequada no tempo certo, algo apenas possível com vestíveis.

Com base no feedback dos usuários em todo o mundo, a Samsung percebeu que muita gente não usa relógio para dormir por questão de conforto ou gostaria de uma maior autonomia de bateria, e por isso era necessário ir além e entregar um produto capaz de preencher essa lacuna para ser usado pelo maior período possível, e o mais capaz de atender essas características era o anel.

Continua após a publicidade

Por outro lado, o anel ainda não será capaz de entregar todos os dados que podem ser coletados e, especialmente, exibidos pelo relógio — já que não possui tela ou o sensor BioActive. Por isso, o ideal seria usar ambos durante o maior tempo possível, com a sincronização entre eles tornando os dados do Samsung Health ainda mais precisos e permitindo visualização a qualquer momento sem precisar pegar o smartphone.

“Continuar desenvolvendo o Samsung Health é primordial, pois saúde digital é algo cada vez mais importante para os usuários. E, para garantir a usabilidade da saúde digital, é importante ter os dados adequados no momento certo. Isso é algo que você precisa fazer com um wearable, porque um dispositivo vestível está sempre monitorando seus dados, dados importantes de saúde. Isso permite ter insigts sobre seu estado de saúde, ajudando a tomar decisões rápidas caso necessário. Pesquisas feitas com usuários ao redor do mundo nos mostraram as preferências ao usar o relógio mesmo ao dormir. Para o Galaxy Watch, eles acreditam que o relógio está provendo informação suficiente e correta sobre os dados de saúde. Porém, nem todos gostam de usar o relógio ao dormir mas ainda assim gostariam de manter o acompanhamento do sono, o que nos fez perceber uma oportunidade. Algo que possa ser vestido por um longo tempo de forma contínua e também ao dormir, e que possa suportar uma longa autonomia de bateria. Achamos que a melhor forma de alcançar isso era com o anel, e o formato ainda permitiria estar em constante monitoramento dos dados de saúde, nos permitindo melhorar ainda mais o Samsung Health. Unindo isso ao uso de inteligência artificial, acredito que iremos aperfeiçoar a saúde digital e levar tudo a um novo nível.” — TM Roh, presidente e líder de Mobile eXperience da Samsung

Funções voltadas para América Latina

O Presidente de MX da Samsung ainda comentou que o Galaxy Ring terá funções e características voltadas especialmente para a América Latina — confirmando seu lançamento por aqui. Não foram dadas informações específicas sobre quais funções ou características seriam essas, mas ele afirma que os usuários latinos preocupados com acompanhamento de saúde estão sendo levados em conta no desenvolvimento do produto.

Continua após a publicidade
“Eu acredito que o Galaxy Ring encaixa com as necessidades dos entusiastas da saúde digital na América Latina, então vamos desenvolver os produtos nessa direção, otimizando funções para consumidores da América Latina que serão apresentadas em sua localidade ainda este ano.” — TM Roh, presidente e líder de Mobile eXperience da Samsung