Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Google projeta nova antena que pode aprimorar bateria de wearables

Por| Editado por Wallace Moté | 09 de Fevereiro de 2024 às 11h48

Link copiado!

Divulgação/Google
Divulgação/Google
Tudo sobre Google

Uma patente do Google emitida no final de janeiro mostra que a gigante das buscas está desenvolvendo uma antena mais compacta e eficiente voltada para uso em dispositivos vestíveis. Demonstrado na documentação aplicada em um anel inteligente, a novidade poderia estender a autonomia de bateria dos acessórios ao contornar as limitações impostas pelo uso próximo ao corpo humano. A notícia também pode ser um sinal que a companhia está ao menos considerando desenvolver um anel próprio.

Nos arquivos publicados pelo Departamento de Patentes dos EUA (USPTO), o Google detalha o projeto da antena e uma possível aplicação em um vestível, que aparenta ser um anel. O primeiro destaque da solução é o seu tamanho, que teria no máximo 8 x 8 mm, dependendo do dispositivo, e seria composto de um substrato dielétrico de microondas. Apesar do nome complexo e da explicação técnica, o funcionamento seria simples e poderia ser o diferencial da novidade.

Continua após a publicidade

Conforme explicam os documentos, lidar com o funcionamento adequado de antenas e aparelhos que emitem ondas eletromagnéticas em wearables é um desafio, já que a composição do corpo humano o leva a interferir no sinal — a explicação é interessante por lembrar outras patentes relacionadas a tecnologias como o Li-Fi (a internet via luz) e o 6G, que propõem justamente usar nosso corpo como uma antena de amplificação.

No caso, o material sugerido pelo Google turbinaria o envio e recebimento de sinal, garantindo melhor funcionamento dos vestíveis, sendo ainda capaz de armazenar eletricidade para funcionar. Na prática, isso significa que a antena exigiria menos da bateria do acessório, o que pode resultar em uma autonomia ainda melhor que a atual. Considerando que anéis inteligentes já possuem tempo de uso extenso, é provável que vejamos ganhos mais significativos em relógios e pulseiras, caso a ideia da gigante saia do papel.

A existência da patente também é um sinal que a companhia estaria ao menos considerando lançar um anel inteligente, o que faz sentido se considerarmos a estratégia de expansão da família Pixel adotada desde 2022, com destaque para o anúncio do Pixel Watch e do Pixel Tablet. Seria natural para a gigante das buscas apostar em novos formatos, especialmente com a chegada de outras marcas grandes no segmento, incluindo a Samsung e seu Galaxy Ring.

Continua após a publicidade

Ainda não há informações mais concretas sobre o uso da nova antena ou da estreia de um eventual "Pixel Ring", e é importante lembrar que nem todas as tecnologias patenteadas são transformadas em produtos reais — é comum que as empresas façam os registros apenas para garantir a exclusividade dos direitos. Dito isso, caso a solução venha a se tornar realidade, é provável que tenhamos novidades durante o Google I/O 2024, um dos principais eventos anuais da marca esperado para acontecer entre maio e junho.

Fonte: via Android Headlines