Fitbit anuncia nova pulseira Charge 3 e serviço de monitoramento de sono

Por Rafael Arbulu | 21 de Agosto de 2018 às 10h32
Fitbit (Divulgação)

A Apple parecia ter a liderança do setor de avaliação clínica de sono dos seus usuários com a compra da finlandesa Beddit, mas, ao que tudo indica, é a Fitbit quem está saindo à frente: a empresa anunciou nesta segunda-feira (20) que lançará, ainda em 2018, a versão beta do serviço “Sleep Score”, que usará os sensores dos diversos dispositivos vestíveis da empresa para monitorar o sono das pessoas e trazer-lhes informações clínicas da qualidade obtida dormindo.

Segundo anúncio feito no site de relações com investidores e imprensa da companhia, o serviço contempla uma experiência via desktop, porém conectada a qualquer dispositivo que tenha um monitor cardíaco em sua fabricação. Mais além, alguns novos dispositivos da Fitbit, que contam com análises sensoriais de respiração, também trarão relatórios dessa vertente, juntando dados de interrupções nas tomadas de ar, o que pode ser indicativo de problemas de saúde como alergias, asma ou apnéia.

O novo Fitbit Charge 3, que fará uso do Sleep Score (Crédito: Fitbit - divulgação)

"A Fitbit continua a aplicar seus dados para dar aos consumidores insights valiosos sobre sua saúde e bem-estar. Por exemplo, nós descobrimos que uma a cada quatro pessoas dorme bem mais tempo aos finais de semana do que nos dias comuns, o que indica que elas estão tentando compensar o sono reduzido durante a semana de trabalho. Nós podemos oferecer dados e insights a estes usuários por meio do app Fitbit, deixando-os a par de como isso afeta seu bem-estar, sugerindo novos hábitos de sono”, disse Shelten Yuen, vice-presidente de pesquisas na Fitbit. “Futuramente, esperamos poder levar mais informação aos usuários na redução de riscos de doenças, transformando-os nas versões mais saudáveis de si mesmos”.

O release também aproveita para anunciar o Fitbit Charge 3, que a empresa diz ser o tracker mais avançado que ela já criou. Segundo o anúncio, o Charge 3 conta com bateria de até 7 dias de duração, display touchscreen, mais de 15 modos de treino com objetivos, acessórios de personalização e “a mais avançada tecnologia sensorial e de algoritmos presente em um tracker”.

“Com o Charge 3, nós estamos capitalizando no sucesso de nossa mais vendida linha de produtos e entregando o tracker mais inovador, com um design confortável, mais fino, além das funções de saúde e fitness que nossos usuários desejam” disse James Park, cofundador e CEO da Fitbit. “Nosso compromisso com a escolha do consumidor e habilidade de atender à demanda de milhões de usuários pela oferta de uma série de produtos, de trackers a smartwatches, nos permitirá expandir a nossa presença no mercado de tecnologias vestíveis.”

O Fitbit Charger 3 já está disponível para pré-venda pelo valor de US$ 149,95 na versão standard e US$ 169,95 na versão especial que já vem com o Fitbit Pay pré-instalado.

A brincadeira com a Apple não veio à toa: em maio de 2017, a empresa cofundada por Steve Jobs comprou a startup finlandesa Beddit, de análise de dados relacionados ao sono, mas até o momento não lançou nada de notável em relação ao setor. Ainda há tempo de ela retomar a dianteira, visto que há um evento de lançamento de produtos e serviços globais previsto para setembro (já falamos sobre os produtos especulados para a ocasião: um MacBook mais barato e novos modelos de iPhone, iPad Pro e Apple Watch). Novos serviços também podem ser parte deste anúncio — especialmente se o boato de um novo smartwatch se confirmar.

Fonte: Fitbit Investor Relations and Newsroom

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.