Maior fábrica de scooters do mundo vai empregar apenas mulheres

Maior fábrica de scooters do mundo vai empregar apenas mulheres

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 16 de Setembro de 2021 às 11h30
Divulgação/Ola Electric

10 mil mulheres, distribuídas desde os cargos mais simples até o alto escalão, formarão a recém-anunciada Ola Futurefactory. A nova empresa, que terá sede na Índia, será um braço da Ola Electric, maior fabricante de scooters do mundo. O anúncio foi feito na conta oficial do Twitter de Bhavish Aggarwal, CEO da companhia.

“Orgulho de compartilhar que a Ola Futurefactory será administrada INTEIRAMENTE por mulheres, mais de 10.000 em escala real! Será a maior fábrica só de mulheres do mundo! Conhecemos nossa primeira leva, e ficamos inspirados pela paixão delas”, postou o executivo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O blog oficial da empresa fez o anúncio com uma citação histórica de Swami Vivekananda, considerado um dos responsáveis pela introdução do Yoga no Ocidente.

“Não há chance para o bem-estar do mundo a menos que a condição das mulheres seja melhorada. Não é possível que um pássaro voe com apenas uma asa”.

A frase de Vivekananda ilustra o primeiro passo do planejamento da empresa de criar uma força de trabalho mais inclusiva e oferecer oportunidades de crescimento econômico às mulheres em todos os níveis. “Oferecer oportunidades econômicas às mulheres melhora não apenas suas vidas, mas também a de suas famílias e, na verdade, de toda a comunidade”, pontuou o CEO.

#JoinTheRevolution

Imagem: Divulgação/Ola Electric

Bravish Aggarwal se mostrou comprometido não apenas em dar paridade econômica às mulheres, que agora dirigirão de forma exclusiva a Ola Futurefactory. Ele também convocou, por meio da hashtag #JoinTheRevolution (Junte-se à Revolução, na tradução para português), outras empresas a promoverem o crescimento do setor na Índia.

Segundo a companhia, estudos mostram que oferecer oportunidades iguais de trabalho às mulheres pode aumentar o PIB da Índia em 27%. “A Ola Futurefactory é um passo em direção à nossa visão do futuro do mundo - um mundo com mobilidade limpa, uma pegada de carbono negativo e uma força de trabalho inclusiva. Continuaremos a tomar medidas que nos deixem mais perto de alcançar cada um deles”, concluiu.

A "revolução" esperada pela Ola com a Futurefactory também será composta pela presença de 3 mil robôs, que darão suporte ao trabalho das 10 mil mulheres. Eles serão importantes para ajudar o ousado plano de fabricar 10 milhões de scooters elétricas por ano, o que representa, em números puros, uma a cada dois segundos. O apoio financeiro também virá de dois parceiros: o SoftBank Group e a Tiger Global.

Uma das scooters que serão produzidas na nova planta será a recém-lançada Ola S1. Ela terá autonomia de 181 quilômetros, velocidade máxima de 115 km/h e preços que serão de, no máximo, R$ 10 mil, menos do que muitas motocicletas a combustão. A Ola S1 está em pré-venda na Índia e suas entregas começam em outubro. Não há previsão da chegada dos modelos ao Brasil e outros países.

Fonte: Ola Electric, Click Petróleo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.