Trens autônomos elétricos de carga podem ser realidade em breve; entenda

Trens autônomos elétricos de carga podem ser realidade em breve; entenda

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 21 de Janeiro de 2022 às 17h20
Divulgação/ Parallel Systems

Engenheiros dos Estados Unidos desenvolveram vagões elétricos e autônomos de carga para operação nas ferrovias do país. A ideia é que esses veículos substituam os caminhões em trajetos mais longos, evitando poluição do ar pelo óleo diesel.

A empresa responsável pelo desenvolvimento desses trens elétricos é a Parallel Systems, fundada por três ex-funcionários da gigante espacial SpaceX. Segundo os profissionais, os veículos teriam capacidade para transitarem por até 800 quilômetros com uma só carga de bateria, além de serem pensados para formarem grandes pelotões.

Para esse projeto, foram captados recursos na ordem dos US$ 49,5 milhões.

Como funcionarão esses trens elétricos?

Devido à autonomia relativamente alta quando comparada a um trem elétrico de passageiros, o modelo da Parallel Systems tem como foco atuar no segmento que hoje é dominado pelos caminhões, reconhecidamente os heróis das estradas por passarem dias trabalhando com entregas.

Segundo a empresa, os propulsores elétricos são alocados abaixo dos contêineres, mas não há uma plataforma como em trens convencionais, o que permite uma maior modularidade e até a inclusão de mais eixos de força. O diferencial, porém, está na operação, que pode ser autônoma ou com controles à distância se necessário.

"Fundamos a Parallel para permitir que as ferrovias abram novos mercados, aumentem a utilização da infraestrutura e melhorem o serviço para acelerar a descarbonização do frete. Nosso modelo de negócios é dar às ferrovias as ferramentas para converter alguns dos US$ 700 bilhões da indústria de caminhões dos EUA para os trens", disse Matt Soule, cofundador e CEO da Parallel Systems.

Segundo Soule, esse sistema de vagões pode ser montado com 10 a até 50 carros ou eixos de força, possibilitando diferentes modalidades de operação. Um conjunto formado por dois desses eixos pode carregar até 58 mil quilos, com autonomia de 800 quilômetros, como já citado.

Modelo de operação

O modelo de operação pensado pela Parallel Systems seria dividido em pequenos terminais de recarga, onde os trens parariam para serem carregados conforme a necessidade dos clientes. O problema, no entanto, seria trabalhar em conformidade com as locomotivas já existentes.

Sistema da Parallel se parece muito com de caminhões (Imagem: Divulgação/Parallel Systems)

Especialistas afirmam que a logística seria o principal desafio da Parallel para implementar esse tipo de transporte, já que a malha ferroviária dos Estados Unidos não é tão avançada quando da Europa, por exemplo. Existem lugares que simplesmente não seriam abastecidos por esses trens elétricos.

Além disso, o mercado de caminhões também trabalha para se adequar à essa nova realidade, com o lançamento de modelos elétricos e com bons níveis de direção autônoma.

A Parallel Systems não deu prazos para lançamento oficial comercial de seu produto, tampouco falou do preço dos vagões.

Fonte: Parallel, ARSTechnica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.