Publicidade

iPad Air M2 é desmontado e mantém tradição de reparo complexo

Por| Editado por Wallace Moté | 25 de Maio de 2024 às 16h20

Link copiado!

(Imagem: Divulgação/Apple)
(Imagem: Divulgação/Apple)
iPad Air 6 (2024) 13"

Mais recente modelo "acessível" da Apple, o iPad Air com chip M2 passou nesta semana pelo processo de desmanche do iFixit, mostrando que a gigante de Cupertino manteve a tradição de trazer um processo complicado de reparos para seus tablets. Em sua versão de 13 polegadas, o lançamento conta com melhorias, como o acesso fácil à bateria, mas a dificuldade de remover o display e alguns dos componentes internos impedem o dispositivo de ser realmente amigável de consertar.

Seguindo outros aparelhos da família, o novo iPad Air continua exigindo o aquecimento da tela para ser aberto, já que o corpo é composto de uma peça única de alumínio e não há parafusos para desprender qualquer parte do dispositivo. É nesse ponto em que as dificuldades começam: apesar do conceito "simples", a cola usada é bastante forte, e exige insistência para que o painel seja retirado.

A falta de um manual oficial de conserto é mais um elemento que complica o procedimento, mas como destaca a equipe do iFixit, o intuito é realmente evitar que o usuário faça os reparos por conta própria, forçando-o a levar o tablet em uma assistência especializada. Fora isso, assim como visto no desmanche do iPad Pro M4, há cabos para o microfone e display conectados — é preciso ter cuidado para não arrebentá-los.

Continua após a publicidade

Com esses obstáculos superados, há boas notícias: a bateria tem acesso fácil, não exigindo a retirada de outros componentes, e adota os adesivos puxáveis de remoção simples (conhecidos como "pull tabs"). Ainda que tenhamos uma enorme quantia de pull tabs, com ao menos oito deles, e que seja preciso aplicar certa força, essa etapa não é tão complicada quanto esperado.

Analisar as células revela uma bateria generosa bem maior que a da geração anterior, com 36,59 Wh, em vez dos 28,6 Wh do iPad Air 5. Com isso dito, há dois aspectos um tanto desanimadores a serem considerados: o modelo anterior era oferecido apenas em uma variante de 11 polegadas, e o iPad Pro de 13 polegadas entrega ainda mais capacidade, mesmo sendo mais fino e leve, com 38,99 Wh. Em resumo, há pouco aproveitamento de espaço por aqui, oportunidade perdida levando em conta o novo tamanho.

O restante das peças apresenta uma temática similar. Temos uma quantia exagerada de cabos que precisam ser removidos caso consertos mais profundos sejam feitos, e há algumas decisões curiosas por parte da Maçã, como o fato das caixas de som serem fixadas diretamente no corpo de alumínio, impedindo sua retirada individual.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

No geral, o iPad Air M2 mantém a tradição da família ao ser pouco amigável para consertos, mesmo que alguns aprimoramentos tenham sido implementados. Com essas características, o aparelho obteve uma nota 3 de 10 na escala de reparabilidade do iFixit, simbolizando que a companhia ainda tem muito a melhorar.

Disponível em tamanhos de 11 e 13 polegadas, o iPad Air M2 traz novidades pontuais, incluindo o processamento, a nova posição da câmera frontal para uso na horizontal e a compatibilidade com o Magic Keyboard e a nova Apple Pencil Pro. Ao lado do "irmão" mais caro, o aparelho começou a ser vendido no Brasil nesta sexta-feira (24), com valores que partem de R$ 6.999 para a versão menor, e de R$ 9.499 para a variante maior.