Vaultree traz criptografia como serviço ao Brasil com aporte de US$ 3,3 milhões

Vaultree traz criptografia como serviço ao Brasil com aporte de US$ 3,3 milhões

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 03 de Novembro de 2021 às 22h30
Reprodução/Markus Spiske (Unsplash)

A Vaultree, empresa irlandesa de cibersegurança do tipo criptografia como serviço, anunciou nesta quarta-feira (3) um aporte do tipo seed (para startups iniciantes) de US$ 3,3 milhões (R$ 18,7 milhões na conversão atual). A rodada foi liderada pelo fundo Ten Eleven Ventures, além de Enterprise Ireland, Unpopular Ventures, HBAN e John N. Stewart, ex-chefe de segurança e diretor de confiança da Cisco. O aporte também marcou a chegada da empresa ao Brasil.

A plataforma da Vaultree usa tecnologias que permitem a empresas trabalharem com dados totalmente criptografados sem precisar descriptografá-los. Com isso, processa as informações sem quebrar a proteção delas e sem revelar as informações sigilosas. Ela também pode ser usada em bilhões de conjuntos de dados sem comprometer o desempenho da tarefa.

Segundo o anúncio à imprensa, o novo financiamento será usado para melhorar a solução e abrir novas contratações para a equipe de engenharia, criptografia, vendas e atendimento ao cliente. A startup disse ter escolhido o Brasil por ser "um dos países mais promissores da América Latina em inovação e, consequentemente, com maiores possibilidades de ataques de hackers e vazamento de dados".

Imagem: Divulgação/Pete Linforth/Pixabay

De acordo com o Estudo Global de Tendências de Criptografia 2021, da consultoria Entrust, o uso de criptografia em serviços de nuvem pública no Brasil ultrapassa a maioria das regiões. O gerenciamento de chaves é o recurso de solução de criptografia mais importante no nosso país (86%, contra 68% da média global), seguido do suporte para implantação em nuvem e local (79%, contra 62% da média mundial).

“Conseguimos desenvolver um produto de manuseio simples e que se integra facilmente aos sistemas de segurança, vimos no Brasil e nas diretrizes da LGPD [Lei Geral de Proteção de Dados] um mercado em potencial que tem semelhança com a filosofia da Vaultree de um 'amanhã criptografado'. Acreditamos que todos têm direito à privacidade e proteção de seus dados pessoais, podendo confiar na segurança das empresas que detém suas informações”, comenta Tilo Weigandt, sócio fundador da Vaultree.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.