Satélites vão distribuir chaves de criptografia quântica a partir de 2023

Satélites vão distribuir chaves de criptografia quântica a partir de 2023

Por Felipe Gugelmin | Editado por Claudio Yuge | 25 de Junho de 2021 às 14h30
Divulgação/Space.com/Qinetiq

Com os desenvolvimentos cada vez mais rápidos da computação quântica, as soluções de segurança pensadas para dispositivos do tipo também precisam evoluir. Ciente disso, a empresa britânica Arqit está preparando para 2023 o lançamento de seus primeiros satélites capazes de fazer a distribuição quântica de chaves de criptografia.

A ação vai permitir o uso ampliado da tecnologia conhecida como Quantum Key Distribution (QKD), que promete oferecer comunicações cuja privacidade é inquebrável. Ela usa as propriedades únicas dos fótons para permitir a conversa entre dois pontos — qualquer tentativa de espionagem faz com que os fótons mudem, destruindo as chaves no processo.

O uso de técnicas de proteção quânticas é necessário devido à grande capacidade oferecida pelos computadores quânticos. Capazes de realizar cálculos de maneira muito mais veloz do que máquinas baseadas na computação convencional, eles têm o potencial de quebrar com muita velocidade quaisquer proteções criptografias usadas atualmente.

Complemento à fibra ótica

Segundo David Williams, presidente e fundador da Arquit, o uso de satélites deve complementar as técnicas de criptografia quânticas já usadas na fibra ótica e compensar algumas de suas limitações. Ao Space.com, ele explicou que, após aproximadamente 300 quilômetros, a fibra ótica só consegue transmitir informações quânticas a velocidades de 1 bit por segundo — algo que impede sua aplicação prática em um mundo que depende de conexões de megabits ou gigabits por segundo.

Imagem: Divulgação/Space.com/Qinetiq

O desenvolvimento da tecnologia está sendo feito em conjunto com a companhia de segurança norte-americana Northop Grumman e com a gigante das telecomunicações britânicas BT. O lançamento deve ocorrer no Espaçoporto Cornwall e o satélite vai ser levado ao espaço pela LauncherOne, da empresa Virgin Orbit.

Williams explica que os satélites de sua empresa possuem um novo protocolo de tecnologia que garante a comunicação segura entre grandes distâncias. “Com nosso protocola ARC19 [de distribuição quântica de chaves], os satélites podem distribuir chaves em uma base global e o satélite nunca se lembra da chave”.

Segundo o executivo, o protocolo atual conhecido como BB84 não é seguro porque armazena as chaves de criptografia na memória dos satélites — que pode ser hackeada. Pesando aproximadamente 300 quilos, os equipamentos projetados pela Arquit são feitos a partir de peças convencionais, tendo como seu principal diferencial o software criado pela companhia.

O plano é que cada satélite vai revistar cada ponto da Terra cerca de três vezes diárias, enviando informações quanticamente criptografadas para centros de dados mantidos pela empresa. A partir de lá, eles vão ser distribuídos aos usuários usando um protocolo de segurança considerado seguro.

Fonte: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.