Startup ajuda pequenas empresas a monitorarem vacinação dos funcionários

Startup ajuda pequenas empresas a monitorarem vacinação dos funcionários

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 26 de Outubro de 2021 às 22h20
Photocreo/Envato Elements

A startup brasileira White Tents lançou uma versão em formato freemium — isto é, gratuita mas com alguns recursos pagos — de sua plataforma digital para pequenas empresas que queiram monitorar a vacinação de até dez funcionários. O cadastro pode ser feito no site da empresa, clicando em "Iniciar teste grátis".

A plataforma da healthtech — que faz parte do ecossistema de inovação Eretz.bio, apoiado pelo Hospital Israelita Albert Einstein — tem o objetivo de permitir aos gestores uma supervisão sobre a saúde do funcionário para promover políticas de vacinação proativas e gerar alertas para indicar o momento de se tomar novas doses, de acordo com o calendário do Sistema Único de Saúde (SUS) ou das autoridades sanitárias.

"Nosso objetivo é ajudar as pequenas empresas nesse momento de retomada das atividades, mas a versão freemium pode ser utilizada por qualquer empresa, com até dez usuários. A partir desse número iniciamos uma relação comercial", afirma Jeffrey Hoberman, cofundador da White Tents.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Gstockstudio/Envato Elements

A solução inclui o app Imune (Android | iOS), também da White Tents, que recebe a entrada de dados e age como uma carteira digital de saúde, armazenando os dados das vacinas já tomadas pelas pessoas. Segundo a empresa, o compartilhamento de dados pessoais é voluntário do funcionário com a empresa.

A plataforma já é usada por empreendimentos e escolas que queiram mapear o status da vacinação de seus funcionários e alunos. Hoberman diz que o serviço permite ainda o transporte de dados de profissionais para outras plataformas via API, aém de ser intuitivo e prático. “Quem é que sabe quando tomou a última dose de vacina contra tétano ou de febre amarela? Ou em que gaveta foi parar a carteirinha de papel que contém esse dado?", diz Hoberman.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.