Novo unicórnio brasileiro: Nuvemshop recebe investimento de R$ 2,6 bilhões

Novo unicórnio brasileiro: Nuvemshop recebe investimento de R$ 2,6 bilhões

Por Márcio Padrão | Editado por Claudio Yuge | 17 de Agosto de 2021 às 14h36
Nuvemshop

A plataforma de e-commerce paulista Nuvemshop anunciou nesta terça-feira (17) que recebeu um novo investimento de US$ 500 milhões (cerca de R$ 2,6 bilhões) e com isso afirma ter se tornado o mais novo unicórnio brasileiro — o termo refere-se às startups que chegam a US$ 1 bilhão em valor de mercado.

O novo aporte veio na sua última rodada (Series E), que foi coliderada pelos fundos Insight Partners e Tiger Global Management. Segundo o banco de dados de empresas Crunchbase, a startup brasileira obteve US$ 620 milhões (R$ 3,2 bilhão) em três rodadas, de outubro do ano passado até aqui. A empresa fundada em 2011 diz que seu atual valor é de US$ 3,1 bilhões (R$ 16 bilhões).

Algumas das vantagens da plataforma da Nuvemshop para empresas são os geradores de lista de fornecedores, slogans, código de barras para produtos, link para Whatsapp, QR code, sugestão de nomes de empresas e rastreio de encomendas dos correios. A companhia diz contar com mais de 150 aplicativos e ferramentas integradas e ter criado mais de 90 mil lojas online na América Latina. Atualmente, tem mais de 600 funcionários e escritórios no Brasil, México e Argentina.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Santiago Sosa, CEO da Nuvemshop (Imagem: Divulgação/Nuvemshop)

"Com o novo aporte, reforçaremos a nossa missão de reduzir as barreiras do empreendedorismo em toda a América Latina, garantindo que qualquer pessoa possa vender no mundo digital. Isso movimenta a economia e impacta em centenas de milhares de empregos diretos e indiretos no Brasil", afirma Santiago Sosa, CEO e cofundador da Nuvemshop.

No mês passado, a startup fez um levantamento com pequenas e médias empresas, seu principal público-alvo. Segundo o estudo, esse setor aumentou seu faturamento no primeiro semestre em 140% com vendas online, em comparação com o mesmo período de 2020.

A empresa pretende lançar novas soluções financeiras ainda este ano, além de continuar com a estratégia de fusões e aquisições de outras companhias. "Dessa forma, vamos gerar ainda mais vantagens competitivas e uma alternativa cada vez mais completa para lojistas, tornando-os independentes de outros canais, como marketplaces, e ajudando eles a concorrer com os grandes varejistas", disse Sosa em comunicado à imprensa.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.