Varejistas chinesas cortam preços de iPhones para tentar aquecer vendas

Por Thaís Augusto | 06 de Março de 2019 às 15h45

Um verdadeiro negócio da China: varejistas do país baixaram o preço de iPhones após mais uma desaceleração prolongada na venda dos produtos. É a segunda vez no ano que um corte é promovido para tentar reaquecer as vendas naquele que é considerado o maior mercado mundial de smartphones.

Nesta semana, diversos fornecedores passaram a anunciar descontos em iPhones. A última redução de preços havia acontecido em janeiro, pouco antes da Apple divulgar um balanço que apontava queda nas vendas chinesas.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A varejista Suning.Com cortou 1.000 yuan (US$ 148,95) do preço original do iPhone XS. No começo do ano, a empresa já havia baixado preços de outros modelos do iPhone.

O site de comércio eletrônico Pinduoduo, famoso por comercializar produtos baratos, confirmou que venderá o iPhone XS de 64 GB por 6.999 yuan – um corte de 1.000 yuan do preço original.

A gigante do varejo JD.com disse que oferecerá descontos em uma série de produtos da Apple, incluindo o iPhone XS e XS Max. Os descontos chegarão ao valor de 1.700 yuan. Assim como a Suning, a JD havia promovido cortes em iPhones no início do ano.

As vendas da Apple na China caíram 20% na comparação anual, de acordo com o relatório financeiro mais recente da empresa. O aumento da concorrência de marcas locais afetou seu domínio no país.

A redução dos preços é um reflexo da estagnação e queda nas vendas dos produtos da Apple. A baixa demanda atinge especialmente o iPhone XS Max, um modelo premium da empresa. Em janeiro, a Maçã até diminuiu o ritmo de fabricação de seus smartphones.

Agora, a expectativa da Apple é que cerca de 43 milhões de aparelhos saiam das fábricas chinesas até o final de março, contra uma previsão anterior de 48 milhões de unidades.

Procuradas pela Reuters, Apple, JD e Pinduoduo não responderam aos pedidos de comentários. Já a Suning não pôde ser contatada.

Fonte: Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.