Review Samsung Galaxy A72 | Celular intermediário com os pés no topo de linha

Review Samsung Galaxy A72 | Celular intermediário com os pés no topo de linha

Por Diego Sousa | Editado por Wallace Moté | 19 de Maio de 2021 às 09h50
Ivo/Canaltech

O mercado de celulares intermediários nos mostra a cada lançamento que nem sempre é preciso adquirir um smartphone topo de linha para ter um conjunto competente para todas as tarefas. Prova disto são os aparelhos mais recentes da linha Galaxy A, da Samsung, que unem especificações e recursos presentes nos modelos mais premium da empresa por um preço mais em conta.

O Galaxy A72, lançado no Brasil no começo de abril, chegou ao mercado nacional para manter a tradição de popularidade do A71, em 2020. Ele aposta em visual inspirado nos novos Galaxy S21, câmeras mais potentes em relação à geração passada e diversos recursos exportados de smartphones mais caros, como corpo resistente à água e tela com alta taxa de atualização.

Mas, afinal, será que o Galaxy A72 evoluiu o bastante para considerá-lo como uma opção de compra em vez de um smartphone topo de linha? Confira nos próximos parágrafos todos os pontos positivos e negativos do novo smartphone intermediário da Samsung e decida se vale a pena ou não comprá-lo!

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Prós

  • Desempenho muito bom em jogos;
  • One UI 3.1, melhor interface personalizada do Android;
  • Bateria de ótima duração;
  • Corpo elegante e resistente a água e poeira;
  • Alto-falantes balanceados e potentes.

Contras

  • Tamanho avantajado, não ideal para usuários com mãos pequenas;
  • Preço próximo a de smartphones topo de linha.

Construção e design

O Galaxy A72 recebeu uma repaginada completa no design, trocando a identidade visual da família S20 pelos mais recentes Galaxy Note 20 e S21. O módulo de câmeras está consideravelmente maior, o que dá uma impressão inicial positiva de que se trata de um smartphone mais premium. A peça é integrada ao corpo do aparelho, como se fosse uma peça única, e possui a mesma cor da tampa traseira, conferindo um aspecto mais sóbrio ao celular.

Ainda na parte traseira, o Galaxy A72 aposta em um acabamento fosco/perolado — opção de design que a Samsung chama de “Haze” (“Nebuloso”, em tradução livre). O modelo que recebemos para testes possui a cor preta, particularmente a mais bonita por conta da sua proximidade com o Galaxy S21 Ultra na cor Phantom Black. Embora existam semelhanças visuais com alguns topo de linha da Samsung, o A72 é predominantemente de plástico, o que não chega a incomodar considerando a sua proposta mais acessível.

Galaxy A72 na cor preta é bastante parecido com o Galaxy S21 Phantom Black (Imagem: Ivo/Canaltech)

Mesmo com sua construção mais simples, o smartphone intermediário traz a certificação IP67, o que garante submersão em água doce (até um metro de profundidade), por até 30 minutos — não cheguei a testar a duração da resistência, mas ele aguentou um mergulho sem problemas.

O revestimento mais resistente, aliado à presença de uma bateria gigante — a qual falarei mais a frente — e a tela de 6,7 polegadas, confere ao A72 um corpo robusto, com 8,4 milímetros de espessura e 203 gramas de peso, características um pouco avantajadas para um celular atualmente.

O Galaxy A72 traz um visual bastante inspirado no novo Galaxy S21 Ultra, conferindo um aspecto elegante e, ao mesmo tempo, robusto ao aparelho.

Slots e conexões

O Galaxy A72 tem uma gaveta híbrida na parte superior que pode servir para dois chips de operadora ou apenas um chip e um cartão de memória. É bom saber que há suporte para expansão de memória, mesmo não seja um ponto muito considerado particularmente, já que o aparelho conta bom boa capacidade interna de armazenamento. Durante os testes os aplicativos e jogos instalados não foram suficientes para preencher nem metade dos pouco mais de 110 GB disponíveis.

Outro ponto positivo do Galaxy A72 é o suporte à tecnologia de aproximação NFC (Near Field Communication), que habilita pagamentos através de plataformas como o Samsung Pay. Um recurso que muitos usuários não se importam, mas tem seu público, é o Rádio FM — no entanto, eles funcionam apenas com os fones de ouvido conectados na porta de 3,5 mm (P2), que não vêm inclusos na caixa.

Diferente do que aconteceu com o Galaxy A52, o smartphone não ganhou uma variante compatível com as redes 5G até aqui, estando disponível para venda apenas o modelo que testamos. Ainda assim, ele conta com Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, que habilita as frequências de 2,4 GHz e 5 GHz, ideal para conteúdos multimídia sem engasgos.

Tela

O Galaxy A72 traz tela de 6,7 polegadas como o Galaxy A71, mas há novidades perceptíveis por aqui: a principal delas é a taxa de atualização de 90 Hz, que garante animações e rolagens mais suaves. Durante os testes, jogos como Call Of Duty: Mobile, PUGB e Asphault 9 se beneficiaram da tela mais fluida, além da interface One UI bastante responsiva e suave.

Outro ponto em que o Galaxy A72 se destaca em relação ao A71 e a outros smartphones intermediários é o painel Super AMOLED, que, aliado à resolução Full HD+ (2.400 por 1.080 pixels), oferece uma das melhores experiências em um celular intermediário, trazendo definição, contraste e brilho excelentes para a categoria.

Intermediário traz tela Super AMOLED de 90 Hz e resolução Full HD+ (Imagem: Ivo/Canaltech)

Assim como a geração passada, a câmera para selfies está localizada em um furo na região superior central da tela, mas o recorte parece menor e bem mais acabado. Um detalhe que vale mencionar é a presença de um aro prateado que envolve a região da câmera, bastante similar ao presente no Galaxy S20 FE.

Ainda em relação à tela, o Galaxy A72 é equipado com um sensor óptico de impressões digitais sob a tela. Infelizmente, o posicionamento do leitor não é muito bom, já que é preciso posicionar o dedão um pouco abaixo do ideal. Além disso, por ser um sensor óptico, a precisão não é um dos destaques, embora não tenha sido um problema durante os testes.

Configurações e desempenho

Com relação ao desempenho, o Galaxy A72 é equipado com o que se espera de um bom smartphone intermediário de 2021: processador Snapdragon 720G, da Qualcomm, 6 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno, com suporte para expansão via cartão de memória para mais 1 TB.

Durante os testes, o aparelho não apresentou nenhum sinal de travamento, seja na execução de aplicativos diversos, como Twitter, Instagram, Facebook, TikTok e Twitter, ou durante os jogos; títulos como Dead By Daylight Mobile, Asphault 9 e PUBG Mobile rodaram com gráficos no máximo com muita competência, embora tenham perdido fôlego após mais de uma hora de jogatina.

O sistema da Samsung ainda conta com a plataforma Game Launcher, onde é possível agrupar todos os jogos e administrar algumas configurações manualmente, como o foco do smartphone enquanto o jogo estiver rodando (desempenho, economia de energia ou equilibrado) e notificações.

Android 11 sob interface One UI 3.1

Outro ponto onde o Galaxy A72 se leva vantagem frente a concorrência é na interface One UI, mas isso não é novidade para ninguém há alguns lançamentos: a skin personalizada da Samsung está ainda melhor, com animações e ícones amigáveis, sem contar com um desempenho sem lentidões. Algumas funções que estrearam nos aparelhos mais premium da fabricante permanecem, como os painéis Edge, dois toques para ativar a tela, o Modo Always On Display e as rotinas da Bixby.

A interface One UI da Samsung presente no Galaxy A72 é uma das melhores modificações do sistema Android, trazendo animações e ícones amigáveis, além de desempenho agradável e recursos bastante úteis.

Vale mencionar que o Galaxy A72 faz parte da lista de smartphones da Samsung que receberá até três versões do Android e quatro anos de atualizações de segurança, o que é um ponto extremamente positivo se considerar o longo prazo — a maioria das fabricantes de celulares oferecem apenas dois anos de Android.

Câmeras

O Galaxy A72 é equipado com quatro câmeras na traseira: a principal tem 64 MP, abertura de f/1.8 e estabilização óptica de imagem, que diminui tremedeiras durante a gravação; a segunda é uma ultra grande-angular de 12 MP com foco fixo e f/2.2; a terceira é uma macro de 5 MP (f/2.4); e, a novidade desta geração, a telefoto de 8 MP, oferecendo zoom óptico de até 3x e zoom híbrido de até 30x.

O Galaxy A72 traz quatro câmeras traseiras, com duas delas equipadas com OIS (Imagem: Ivo/Canaltech)

Câmera principal

A câmera principal do Galaxy A72 mantém os destaques da geração anterior e dos smartphones da Samsung no geral: ótima definição, bom alcance dinâmico (HDR) e um pós-processamento que agrada, adicionando mais saturação e contraste às imagens. Muitas pessoas não curtem essa alteração feita pela Samsung, mas fato é que as fotos se tornam bastante atraentes, prontas para redes sociais.

Caso você não curta o pós-processamento feito pelo software de câmera, e possui um conhecimento prévio sobre fotografia, saiba que é possível fazer fotos manuais com o Modo Pro — o modo permite configurar o balanço de branco, foco, velocidade do obturador e ISO.

Ultrawide (Ultra grande-angular)

A lente de ângulo mais aberto acompanha os pontos positivos do sensor principal, mas com menos resolução. As cores são vivas, o alcance dinâmico é interessante e não há distorção nos cantos das imagens.

Telefoto

Principal novidade do conjunto fotográfico do Galaxy A72, o sensor com lente telefoto produz fotos satisfatórias em 3x de zoom. Após essa distância, o software de câmera atua para aproximar as imagens até 30x de zoom, mas a qualidade é praticamente zero. A recomendação é utilizar, no máximo, até 10x.

Modo Macro

Uma das surpresas durante os testes foi o Modo Macro. Como pode-se observar nas imagens abaixo, o sensor de apenas 5 MP até consegue lidar muito bem com as cores, sem contar com a separação dos objetos. A qualidade das fotos é muito superior a de outros modelos vendidos aqui no Brasil, como o Redmi Note 10.

Modo Retrato

Mesmo com a ausência de um sensor de profundidade, o Galaxy A72 faz um Modo Retrato surpreendente para a categoria. O software de câmera consegue isolar muito bem o fundo e não deixa os contornos do objeto principal borrados, como muitos aparelhos do segmento. A Samsung ainda adiciona a possibilidade de alterar o desfoque da imagem após o clique.

Câmera frontal

A câmera de selfies de 32 MP é a mesma presente no Galaxy A71, portanto não há muitas melhorias para destacar — tanto as cores vibrantes quanto a boa definição continuam. O recorte de fundo no Modo Retrato também é satisfatório, embora seja possível notar contornos não muito precisos.

Modo Noturno

Quando o assunto é Modo Noturno, o Galaxy A72 faz bonito nas fotos: naturalmente, o sensor principal faz o melhor trabalho do conjunto, diminuindo os ruídos e mantendo uma definição aceitável. As outras câmeras não se dão muito bem em ambientes mais desafiadores, com ruído evidente e perda de definição geralmente, mas não há muito o que esperar de um smartphone intermediário.

Em vídeos noturnos, no entanto, o Galaxy A72 não faz um trabalho muito bom, principalmente em relação à entrada de luz — mesmo possuindo um sensor com abertura de f/1.8. Quando há um pouco mais de luz no ambiente, o smartphone se sai melhor, mesmo apresentando mais ruídos.

Vídeos

Por falar em vídeos, o Galaxy A72 consegue gravar em até 4K a 30 quadros por segundo (fps), mas o recurso superestável da Samsung está disponível apenas em Full HD a 30 fps. De qualquer maneira, a experiência de gravação do smartphone em ambientes com boa iluminação é excelente, sem contar com a ótima estabilização, cortesia da tecnologia OIS.

As câmeras do Galaxy A72 são bem próximas às de um smartphone topo de linha, trazendo ótima definição, bom alcance dinâmico e, principalmente, recursos fotográficos interessantes, como Single Take e Modo Profissional.

Áudio

Diferentemente do Galaxy A71, que possui apenas um alto-falante, o Galaxy A72 é equipado com um sistema de som estéreo, o que traz um melhor direcionamento das informações sonoras em jogos, por exemplo. Mesmo trazendo um volume máximo bem alto, os médios e agudos são muito bem definidos, sendo possível ouvir todos os detalhes das músicas, como guitarra, vocais e orquestras.

Sistema de som estéreo traz qualidade surpreendente (Imagem: Ivo/Canaltech)

Em canções de rock, onde geralmente os sons ficam mais embolados, o A72 consegue separar todos os instrumentos muito bem, dando destaque para os vocais. Já em músicas agitadas, como pop, há uma falta de graves perceptível, mas geralmente os resultados são bastante positivos.

A avaliação é que o Galaxy A72 pode substituir muito bem uma caixa de som, principalmente em ambientes internos. O som é alto e bem definido, características incomuns em smartphones mais acessíveis.

Bateria e carregamento

Quando o assunto é bateria, o Galaxy A72 é equipado com um tanque de 5.000 mAh, 500 mAh a mais em relação ao seu antecessor. O aumento na capacidade acompanha as melhorias nos departamentos de tela e câmera, trazendo uma autonomia bastante semelhante à do Galaxy A71.

Em um dia de testes reproduzindo um dia de uso normal, tirei o Galaxy A72 da tomada com 100% de carga às 8h da manhã. Ao meio-dia, após navegar em redes sociais, ouvir músicas no Spotify, gravar vídeos e jogar casualmente, tudo no modo de tela em 90 Hz, o smartphone caiu para cerca de 70%, o que é excelente para a categoria. No modo de tela em 60 Hz, a autonomia foi ainda melhor, beirando os 75%.

Normalmente, o Galaxy A72 pode aguentar tranquilamente dois dias de uso, considerando uma utilização menos exigente, com apps de redes sociais e jogos casualmente.

Antes do lançamento, haviam rumores de que a Samsung também retiraria o carregador da caixa dos seus smartphones intermediários, mas, felizmente, não foi isso que aconteceu. O Galaxy A72 traz um adaptador de energia compatível com recarga de 25 W, mesma potência suportada pela linha Galaxy S21.

Embora não seja o carregador mais rápido entre os smartphones intermediários — o Redmi Note 10, por exemplo, conta com 33 W —, o Galaxy A72 vai de 10% a 100% em pouco mais de uma hora, velocidade muito boa para o setor.

O Galaxy A72 aguentou quase dois dias inteiros de utilização durante os testes, com redes sociais e jogos casualmente. O carregamento é outro destaque — levou-se pouco mais de uma hora para ir de 10% a 100%.

Concorrentes diretos

O segmento de celulares intermediários premium no Brasil é bastante concorrido. O Galaxy A72 tem como principais concorrentes os modelos Redmi Note 10 Pro, Realme 7 Pro, Poco X3 NFC, Motorola Moto G60 e, até mesmo, o Galaxy A52, da própria Samsung.

O smartphone mais recente da sul-coreana se destaca em muitas características quando comparado com os aparelhos citados acima, principalmente em relação à tela Super AMOLED com alta taxa de atualização, a construção resistente à água e os recursos de câmera premium.

Obviamente, é importante considerar o preço dos aparelhos no momento da leitura dessa análise. O Galaxy A52, por exemplo, pode ser encontrado por cerca de R$ 2.000, enquanto o A72 é vendido entre R$ 2.300 e R$ 2.500 — os dois são praticamente idênticos, mas o A52 possui uma tela ligeiramente menor e não traz uma câmera telefoto.

Conclusão

O Galaxy A72 é uma evolução muito bem-vinda em relação ao Galaxy A71. Embora o desempenho não tenha sofrido muitas melhorias, o novo aparelho intermediário traz tela mais fluida, ideal para quem procura um aparelho para jogar e assistir a conteúdos multimídia com frequência, e alto-falantes estéreos de ótima qualidade.

As câmeras também são muito competentes, oferecendo um dos melhores resultados do segmento intermediário, mesmo com vídeos escuros em cenários desafiadores. Além disso, elas contam com recursos muito bem-vindos exportados dos modelos mais caros da Samsung, como o Vídeo profissional e o Single Take. As selfies não ficam para trás, com definição e qualidade satisfatória em ambientes escuros.

A construção mais robusta e resistente é outro ponto positivo, embora seu tamanho e peso avantajados possam influenciar negativamente quem procura um smartphone mais compacto.

Mesmo com todos os pontos positivos do Galaxy A72, um único ponto negativo pode fazer toda a diferença na hora da compra: o preço. O intermediário foi lançado no por R$ 3.799, mas, no momento da construção desta análise, já podia ser encontrado à vista por R$ 2.159,10, o que é um valor interessante se considerar o que ele entrega.

No entanto, apesar da redução considerável, uma pesquisa rápida no varejo online foi suficiente para encontrar um Galaxy S20 FE, melhor em todos os quesitos em relação ao A72, por apenas R$ 100 a mais, o que dificulta a escolha do aparelho intermediário. Além disso, por cerca de R$ 200 a menos é possível encontrar o Galaxy A52, que é praticamente idêntico ao A72, apenas com tela menor e sem uma câmera telefoto.

Vale mencionar que os preços no Brasil variam bastante, portanto a consideração é que você fique atento aos valores dos três aparelhos no momento da compra. O Galaxy A72 faz muito mais sentido se for encontrado por R$ 2.000 ou menos. Acima disso, o Galaxy S20 FE se torna uma opção mais interessante, pois as especificações de ponta compensarão o preço ligeiramente maior.

Gostou do Samsung Galaxy A72? Você pode comprá-lo aqui!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.