Redmi Note 9, Note 9 Pro Max e possível Galaxy A21s são homologados na Anatel

Por Felipe Junqueira | 06 de Maio de 2020 às 10h40
Reprodução

Depois de vários dias sem movimentação, a Anatel finalmente publicou novas documentações de telefones móveis celulares no Sistema de Certificação e Homologação. E foram logo três: dois modelos da Xiaomi, o M2003J15SS e o M2003J6B2G, e um da Samsung, de código SM-A217M.

Da fabricante chinesa, tratam-se de dois modelos de Redmi Note 9. O M2003J15SS é o recém-lançado dispositivo que leva o nome da família, com plataforma Helio G85, quatro câmeras e bateria de 5.020 mAh para uma tela de 6,53 polegadas. Trata-se do modelo mais acessível da linha, com preço em torno dos US$ 200 (R$ 1.130 em conversão direta).

O outro modelo, M2003J6B2G, seria o Redmi Note 9 Pro Max, uma versão com câmera mais parruda do já lançado no Brasil Redmi Note 9S. A tela tem 6,67 polegadas, o chipset é Snapdragon 720G, bateria também tem 5.020 mAh, mas a câmera principal aumenta de 48 MP para 64 MP, sendo este o grande diferencial do modelo, que custa US$ 270 (R$ 1.520).

Redmi Note 9 tem a câmera com esta aparência em todos os modelos (Foto: Reprodução)

O Redmi Note 9 Pro Max foi anunciado globalmente apenas como Redmi Note 9 Pro; o Note 9S aqui do Brasil é o Note 9 Pro chinês. Uma bela mistureba que a Xiaomi fez, mas, se focar apenas nos nomes oficiais brasileiros, você não deve ter tanta dificuldade. A ordem é Redmi Note 9, Note 9S e Note 9 Pro, e, se o do meio chegou por R$ 2.800 por aqui, não espere preços muito atraentes pelos outros dois.

Possível Galaxy A21s

E o terceiro modelo do qual vamos falar, e que na verdade teve documentação publicada antes dos dois Xiaomi, é o Galaxy A21s. O dispositivo ainda não foi oficializado pela Samsung e só o que temos são as poucas informações presentes em certificações mundo afora e rumores.

Pelo documento da Anatel, vemos que o dispositivo tem suporte às redes 2G, 3G e 4G, incluindo a banda 28, além de Wi-Fi nas frequências de 2,4 GHz e 5 GHz — pelo menos em conectividade, está acima do Moto G8, que não tem o Wi-Fi mais veloz. Pelas especificações confirmadas em documento de homologação, o dispositivo mede 163,7 x 75,3 mm. Infelizmente, nem o Galaxy A21 foi oficializado ainda para termos uma ideia de como pode ser a sua variante.

Lembrando que o fato de os dispositivos serem homologados na Anatel não é garantia de lançamentos no Brasil, mas apenas um indicativo de interesse da fabricante em vendê-los por aqui.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.