Por que setembro será um mês especial se você quer pagar caro em um smartphone

Por que setembro será um mês especial se você quer pagar caro em um smartphone

Por Rui Maciel | 25 de Julho de 2019 às 17h41
Cars and Gadgets

Setembro deste ano promete ser um mês especial para quem está disposto a gastar um bom dinheiro em um smartphone top de linha. Isso porque, além da apresentação dos novos iPhones e do início das vendas do Galaxy Fold, é bem provável que outro "peso-pesado" finalmente chegue ao grande público: o Mate X, primeiro telefone com tela dobrável da Huawei.

O modelo em questão foi visto nas mãos de Richard Yu, CEO de produtos de consumo da Huawei, no aeroporto Internacional de Shenzhen. As fotos do executivo manuseando o modelo foram postadas na rede social Weibo e divulgadas pelo site Gizchina.

Executivo da Huawei foi flagrado manuseando um Mate X no aeroporto / Crédito: Weibo

Compreensivelmente, Yu foi reticente em divulgar mais informações a respeito do Mate X, incluindo sua data de lançamento. No entanto, a última palavra oficial da Huawei em relação a este assunto é de que ele deve chegar ao público em setembro. A data original seria junho, mas, devido aos imbróglios da fabricante chinesa com os EUA, ela decidiu adiar a estreia.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Expectativas

Dos três top de linha que prometem chegar ao mercado em setembro, os representantes da Samsung e da Huawei são os que estão gerando mais expectativas. Enquanto os novos iPhones não devem trazem melhorias revolucionárias — apenas um upgrade dos seus já conhecidos recursos —, Galaxy Fold e Mate X inauguram uma nova era no mundo dos smatphones, principalmente por causa de suas telas dobráveis, que podem transformar os aparelhos em tablets.

O Galaxy Fold deveria ter sido lançado em abril, mas a gigante sul-coreana desistiu de colocá-lo no mercado após unidades de testes enviadas a jornalistas apresentarem falhas. O principal problema teria sido o vinco formado entre as telas e um espaço que permitia a entrada de poeira, causando mau funcionamento do dispositivo.

“O Galaxy Fold apresenta reforços adicionais para proteger melhor o aparelho de partículas externas, mantendo ainda a sua assinatura de experiência dobrável”, escreve a empresa em comunicado.

Galaxy Fold: a Samsung promete que todos os problemas estruturais foram corrigidos

A empresa também resolveu o problema relacionado à camada protetora, que um dos usuários retirou achando que seria apenas aquela película que vem de fábrica. Segundo a Samsung, tal problema foi eliminado: “A camada de proteção no topo do Infinity Flex Display foi estendida até as bordas, fazendo com que aparente ser parte integral da estrutura da tela e que não deve ser retirada”.

Outra fragilidade era um espaço que havia nas dobras, que também permitiam entrada de partículas. “As partes superior e inferior da área de dobra também foram reforçadas com adição de novas tampas. Camadas de metal foram adicionadas embaixo da Infinity Flex Display para reforçar a proteção da tela. O espaço entre a dobradiça e o chassi do Galaxy Fold foi reduzido”, destaca a empresa.

Por sua vez, o Mate X não apresentou nenhum tipo de problema estrutural mais grave. O problema principal que atrasou o seu lançamento chama-se Donald Trump. Isso porque o presidente norte-americano incluiu a Huawei em uma lista negra do Departamento de Comércio dos EUA, fazendo com que todas as empresas que negociam com a fabricante chinesa precisem pedir uma autorização ao governo — que obviamente seria negada.

Mate X: problemas com Trump atrasaram o lançamento do smartphone

A consequência disso é que diversas gigantes da Tecnologia passaram a boicotar a Huawei, entre elas a Google, que vende licenças do Android para a fabricante chinesa. No entanto, a Huawei declarou ao site CNBC que o Mate X utilizará o Android normalmente, já que o aparelho foi anunciado antes da inclusão da companhia chinesa na lista negra. No entanto, não está claro como o aparelho trabalhará com futuras atualizações e suportes de segurança depois de seu lançamento.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.