Linha Galaxy S21 não embala e prejudica metas da Samsung, diz relatório

Linha Galaxy S21 não embala e prejudica metas da Samsung, diz relatório

Por Vinícius Moschen | Editado por Wallace Moté | 14 de Janeiro de 2022 às 14h44
Divulgação/Samsung

Novos relatórios divulgados pelo portal The Elec mostram que 2021 não foi o melhor dos anos para a Samsung. De acordo com os dados, as vendas não tiveram o crescimento esperado após o primeiro ano da pandemia de covid-19, que já tinha registrado reduções bastante significativas no mercado de smartphones como um todo.

Falta de um "Note 21" e do S21 FE podem ter afetado vendas da Samsung em 2021 (Imagem: Divulgação/Samsung)

No caso específico da marca sul-coreana, os resultados também são relacionados à linha Galaxy S21 de celulares flagships. No total, os modelos Galaxy S21, Galaxy S21 Plus e Galaxy S21 Ultra teriam tido cerca de 25 milhões de unidades produzidas — valores similares aos vistos na série Galaxy S20, disponibilizada em uma época em que a conjuntura mundial era bem mais conturbada.

Alguns motivos podem explicar esse desempenho. A falta de um sucessor para o Galaxy Note 20 pode ter deixado alguns consumidores na mão (pelo menos por um ano, já que o Galaxy S22 Ultra deverá trazer várias características da antiga linha Note). Além disso, a companhia também não comercializou o Galaxy S21 FE durante 2021, perdendo a chance de incrementar seus números com a venda de uma das séries mais populares da marca nos últimos anos.

Crise dos chips permaneceu afetando produção de celulares em 2021 (Imagem: Divulgação/Samsung)

O próprio panorama do mercado também ficou diferente do que era esperado. A crise dos semicondutores não foi amenizada ao longo dos últimos 12 meses, e isso também provocou grandes problemas para diversas companhias — o próprio atraso do Galaxy S21 FE foi consequência da mesma situação, segundo o relatório. A Samsung teve diversos problemas nas suas linhas de produção no Vietnã, por exemplo.

Um detalhe curioso dos relatórios divulgados é que as linhas Galaxy Z Flip 3 e Galaxy Z Fold 3 de dispositivos dobráveis não foi mencionada, mesmo que os dispositivos tenham feito bastante sucesso em mercados específicos, como a Europa, Estados Unidos e principalmente na Coreia do Sul.

Samsung permanece como líder

Mesmo com todos os recentes problemas, a Samsung manteve folga na liderança entre as marcas que mais produzem e vendem celulares no planeta — até porque vários contratempos foram sentidos também pelas concorrentes. A companhia sul-coreana teria produzido cerca de 300 milhões de celulares, e vendido uma quantidade ligeiramente menor ao longo de 2021. Na prática, estes resultados são melhores do que os registrados no ano retrasado, mas ainda abaixo dos níveis pré-pandêmicos.

A companhia deverá manter as metas estipuladas anteriormente em relação a 2022, com uma projeção de 334 milhões de celulares produzidos, em que 285 milhões sairiam de suas próprias fábricas — em alguns casos, outras empresas montam os dispositivos, algo comum no mercado para baratear custos, especialmente nos modelos mais de entrada.

Fonte: The Elec

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.