Descubra quais celulares têm a tela mais frágil, segundo assistências

Por Redação | 22.06.2017 às 17:34

Boa parte das pessoas já passou pelo inconveniente de derrubar o celular sem querer e escorrer aquela lágrima ao ver que a tela se danificou com a queda. Mesmo que muitos dos displays modernos contem com a proteção Gorilla Glass, contra riscos e arranhões, as telas desses dispositivos são uma queixa constante por parte dos usuários, que vira e mexe precisam recorrer a assistências técnicas para trocar o componente.

Então, o UOL conversou com várias dessas assistências especializadas no reparo de celulares, tablets e smartphones para descobrir quais aparelhos têm a tela mais frágil. E, apesar de praticamente qualquer marca ter altos índices do problema, a Samsung parece ser líder na quebra de displays. De acordo com Fernando Melo, da Futuro Smart, a tecnologia da fabricante “é muito boa, a tela é maravilhosa, mas a Samsung usa componentes bem fracos”. Segundo o especialista, quando se abre o dispositivo “vê as decisões da parte de engenharia de localização do componente, em que o design por fora é muito bonito, mas, por dentro, é feio”.

Segundo Melo, os modelos da linha J são uns dos líderes na procura por consertos de tela, informação que foi afirmada também por Arnaldo Marinho, da Conserta Smart. Segundo ele, a tela fica mais exposta nesses smartphones mais baratinhos, mas o técnico também cita modelos da Motorola como campeões de telas quebradas.

“Da Motorola tem o Moto X Play que não é tão frágil, mas aí saiu o G4 e o G5, que são frágeis”, explicou, dizendo, ainda, que os modelos cuja publicidade alega que suas telas são praticamente inquebráveis, ainda assim podem ser danificados, uma vez que a tela, apesar de muito resistente, não é soldada. “Não adianta ter uma tela resistente, mas quebras o Wi-Fi na pancada”, argumenta. Marinho também cita o Moto X 2ª geração como um aparelho que constantemente chega à sua loja com o display danificado.

O pessoal da Futuro Smart também falou sobre o Sony Z3 como sendo um dos mais frágeis do mercado por conta de sua composição, sendo que há relatos de que seu display chegou a quebrar mesmo dentro do bolso do usuário. Já a Apple não foi citada espontaneamente por nenhum dos entrevistados, mas é sabido que os iPhones e iPads não são isentos de terem suas telas destruídas com uma queda daquelas.

E muito se engana quem pensa que os smartphones da Maçã são aqueles cujo reparo sai mais caro, em qualquer situação. De acordo com os especialistas, as telas da Samsung são as mais caras no mercado, e um dos motivos pode ser a tecnologia AMOLED e a fina espessura do display, sendo que o conserto desses aparelhos pode chegar a 95% do preço do smartphone, enquanto o valor fica em 10% em aparelhos da Apple.

Fonte: UOL