BlackBerry revela resultados abaixo das projeções, mas vê esperança em software

Por Redação | 23.06.2015 às 11:23

A BlackBerry parece ter um longo caminho pela frente em busca da recuperação e da melhoria financeira. A empresa canadense apresentou seus números do primeiro trimestre fiscal de 2016, registrando prejuízo de US$ 28 milhões (US$ 0,05 por ação) e receita de US$ 658 milhões.

A previsão dos analistas, de acordo com a agência Thomson Reuters, era de uma perda de 3 centavos de dólar por ação e receita de US$ 679 milhões. Agora, aparentemente a melhor saída para a fabricante pode ser em apostar mais em softwares e serviços em detrimento do mercado de hardware.

Ainda que o CEO John Chen deixe claro que a empresa continuará no setor de hardware, os resultados mostram que a esperança de melhorias está no setor de software. No período, o negócio de software e licenciamento de tecnologia da companhia cresceu 150%, saltando para US$ 137 milhões. Ainda que as cifras sejam comedidas levando em conta o tamanho da BalckBerry, os números mostraram aos analistas que as mudanças devem levar em conta o setor de software.

"Os resultados indicam que a próxima fase de sua recuperação é um começo sólido", declarou o analista Cowen Bryan Prohm. Chen também demostrou otimismo apesar dos números. "Estamos em situação financeira sólida", declarou.

Ao todo, a canadense vendeu cerca de 1,1 milhão de smartphones em todo mundo durante o primeiro trimestre fiscal de 2016 e o presidente executivo sugeriu uma campanha de marketing mais forte em torno dos produtos, incluindo a utilização mais intensa de seus parceiros de varejo, como a T-Mobile.

O portfólio de produtos de hardware da BlackBerry tem diminuído significativamente numa tentativa de reduzir gastos e focar em apenas alguns modelos, incluindo o BlackBerry Classic, o BlackBerry Passport e o BlackBerry Leap, voltados para jovens profissionais de grandes empresas.

Chen declarou que o Passport conseguiu alcançar um desempenho interessante de vendas, enquanto que o Classic teve um pequeno aumento. Apesar das afirmações, o CEO da companhia não forneceu números mais específicos sobre o desempenho dos smartphones no mercado.

A empresa também declarou que está trabalhando em desenvolvimento e fabricação de novos dispositivos em conjunto com outras companhias, como Wistron e Compal Electronics, indo além da parceria já existente com a Foxconn.

O mix de receitas da empresa canadense foi de 40% oriundas do setor de hardware, com 38% vindas do setor de serviços e 21% do setor de software e tecnologia de licenciamento. No mesmo período, a empresa inscreveu 2.600 clientes empresariais, com 45% das licenças associadas a promoções que abrangem diferentes sistemas operacionais móveis, como o iOS e o Android.

A BlackBerry continua olhando para o futuro com a meta de rentabilidade para o ano fiscal de 2016 e um fluxo de caixa livre positivo.

Fonte: CNET

Fonte: http://www.cnet.com/news/blackberry-disappoints-after-recognizing-revenue-on-1-1m-phones/#ftag=CAD590a51e