Apple é processada novamente por tornar iPhones obsoletos de propósito

Por Alveni Lisboa | Editado por Jones Oliveira | 02 de Março de 2021 às 22h20
Laurenz Heymann/ Unsplash

A Apple enfrenta uma nova ação coletiva que acusa a empresa de realizar atualizações do iOS para reduzir propositalmente o desempenho dos iPhones. O objetivo é obter indenização para os consumidores afetados por esta prática, que viola a legislação europeia.

O processo, desta vez, foi movido pela Agência Portuguesa de Defesa do Consumidor, a Deco Proteste, que afirma que a Maçã “manipula deliberadamente, e sem informar os seus utilizadores, o desempenho dos seus dispositivos mais populares”. E continua: “ao fazer isso, força milhares de usuários a substituir a bateria de seus dispositivos ou comprar um novo smartphone, de acordo com suas expectativas".

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Foto: Reprodução/Techradar)

A ação foca especialmente nos modelos iPhone 6, 6 Plus, 6S e 6S Plus e correlaciona o lançamento do iOS 11 com a lentidão dos dispositivos. Apesar disso, a agência afirma que qualquer consumidor português, independentemente do modelo de ‌iPhone‌ que tenha, poderá se juntar na causa, caso se sinta lesado.

Segundo a Deco Proteste, a gigante de Cupertino estava ciente de que a atualização "teria impactos consideráveis no desempenho do ‌iPhone‌". Mesmo assim, encorajou os usuários a atualizar os dispositivos, sem que houvesse a possibilidade de retornar para uma versão anterior após constatar os problemas.

Causa pode trazer novo prejuízo milionário para a Apple

O critério usado para apurar a compensação é o custo pela reparação da bateria acrescido de 10% do valor de compra do equipamento. Isso dá cerca de 60 euros por consumidor, o que, multiplicado pelos 115 mil portugueses lesados, corresponderia a quase 7 milhões de euros (o equivalente a mais de R$ 48 milhões).

(Foto: Reprodução/MoonTera)

Segundo a agência portuguesa, a Euroconsumers (da qual faz parte) tem tentado encontrar soluções para os consumidores desde 2017, mas nunca foi possível obter resposta por parte da Apple. No ano passado, a fabricante do iPhone foi forçada a pagar uma multa de 10 milhões de euros na Itália após constatação da mesma prática pela agência italiana de proteção ao consumidor.

Em 2018, a empresa já acumulava mais de 60 processos por deixar iPhones antigos mais lentos. De lá para cá, esse número aumentou consideravelmente. As ações foram movidas depois de a empresa confessar que diminui a capacidade de processamento de iPhones, sob a justificativa de que o usuário precisa de uma maior duração de bateria.

Você que possui iPhone mais antigo, notou queda de desempenho com as recentes atualizações? Compartilhe sua experiência nos comentários.

Fonte: MacRumors; Marketeer

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.