Crítica | Quem Matou Sara? tem drama, violência e romance nas dosagens certas

Por Natalie Rosa | Editado por Jones Oliveira | 29 de Março de 2021 às 16h00
Divulgação: Netflix

Entrando para a lista de produção latinas da Netflix está a série Quem Matou Sara?, original do México, que acaba de desembarcar na plataforma de streaming e que já conquistou as primeiras colocações entre os títulos mais assistidos. A trama de ação e mistério conta a história de Alex (Manolo Cardona), um homem que foi preso injustamente ainda na adolescência, sendo o principal acusado da morte da irmã, Sara (Xinema Lamarid), que caiu de um paraquedas após as cordas que a prendiam a um barco fossem rompidas.

Durante os 18 anos que esteve na prisão, Alex planejou uma vingança contra as pessoas responsáveis por colocá-lo lá, no caso a família do melhor amigo, Rodolfo (Alejandro Nones), que namorava Sara. A partir desta premissa, a trama mostra um pouco sobre como foram os anos do protagonista na cadeia e toda a preparação para a vingança, além de como as coisas são ainda mais graves do que não só ele esperava, como também a própria família culpada.

Imagem: Divulgação/Netflix

Atenção: esta crítica pode conter spoilers da série Quem Matou Sara?, da Netflix!

Quem Matou Sara? é uma série sobre vingança, mas com o passar da temporada, o espectador percebe que nenhuma etapa desse plano, de fato, aconteceu. Inclusive, o protagonista teve a chance de ser aniquilado ainda no primeiro dia do plano, mas seus inimigos consideraram aquilo apenas como um aviso. No entanto, há uma justificativa plausível para que a vingança não tenha acontecido, uma vez que os planos precisam que haja uma investigação mais a fundo sobre o que realmente houve com a vítima, com Alex colocando em prática todos os 18 anos em que passou preso estudando sobre computadores, deep web e aprendendo a ser um hacker.

Todo o aprendizado de Alex é na teoria e vemos em algumas cenas o personagem com esses livros na mão. Ao sair da prisão, ele usa todo o dinheiro que herdou de um ex-detento com quem divide uma raiva em comum com ele, e logo cria, dentro da própria casa, uma central de câmeras e monitoramento de seus inimigos. É quando, aos poucos, ele acaba novamente entrando na vida da família Lazcano, com praticamente todos os membros colecionando motivos para ter assassinado Sara. Para não dizer que a vingança não teve nenhum avanço, os poucos méritos do plano que deram certo foi expor à mídia algumas das crueldades e polêmicas envolvendo a família e o seu patriarca, César Lazcano (Ginés García Millán), que são reconhecidos na alta sociedade.

Imagem: Divulgação/Netflix

Como um bom estereótipo latino não poderia faltar em uma história tão intensa, Quem Matou Sara? apela para as relações amorosas e sexuais dos personagens, trazendo relacionamentos impossíveis, como o de Alex com Elisa (Carolina Miranda), irmã de Rodolfo que era criança quando tudo aconteceu, além de algumas traições extremamente imperdoáveis, como a de uma nora com o sogro, trazendo cenas de sexo que podem incomodar os mais moralistas. A trama mostra ainda situações paralelas ao caso de Sara que são ainda mais graves e perigosas, como um esquema perigoso de tráfico sexual e violência, entre outras ilegalidades.

Grande parte da série também é alimentada com flashbacks, que vão desde a vida dos adolescentes, até a dos adultos, reforçando mais uma vez que todos colecionam motivos para ter matado a jovem, com exceção de Alex, sendo essa a nossa única certeza. A resolução do mistério, por mais que seja apenas revelada no final, começa a apresentar provas claras antes disso, deixando de ser uma grande surpresa. Além disso, em alguns momentos da história, o acontecido com Sara acaba ficando em segundo plano tamanhas as revelações ainda mais graves que surgem envolvendo todos os personagens.

Imagem: Divulgação/Netflix

Uma das grandes reviravoltas da série acontece quando os próprios filhos de César se mostram inocentes e vítimas da crueldade do pai e da mãe, Mariana (Claudia Ramírez), se voltando contra eles e apoiando a vingança de Alex. A decisão é completamente justificável após acompanharmos cenas lamentáveis envolvendo os personagens, que se mostram manipuladores e criminosos de primeira, e isso acaba selando o amontoado de motivos para que a vingança seja feita.

Para encontrar toda a polêmica e intensidade que a série traz, a trama optou por "forçar a barra" em algumas situações, como na questão de Alex ter deixado a cadeia sendo um especialista em hackear smartphones, o que ainda não existia na época em que ele foi preso, ou ainda no desenvolvimento de uma família extremamente problemática, que acumula um absurdo atrás do outro. Esses fatores, no entanto, não são pontos negativos à Quem Matou Sara?, mas sim mais motivos para termos vontade de acompanhar a todos os acontecimentos até o último episódio.

Imagem: Divulgação/Netflix

Deixando de questionar os momentos mais exagerados da produção, temos uma série que consegue dosar, na medida certa, as características de novela mexicana, principalmente pelo romance e sexo, trazendo também violência, ação e suspense. A trama já está confirmada para a segunda temporada, com o último episódio trazendo alguns spoilers do que está por vir antes que a vingança seja concretizada.

Quem Matou Sara? está disponível na Netflix em 10 episódios.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.