Castanhari conta bastidores da série Mundo Mistério: "Caótico e muito divertido"

Por Nathan Vieira | 12 de Agosto de 2020 às 18h00
Netflix
Tudo sobre

Netflix

Saiba tudo sobre Netflix

Ver mais

No dia 4 de agosto, a Netflix lançou a série Mundo Mistério protagonizada pelo youtuber Felipe Castanhari, do Canal Nostalgia. A produção original da plataforma de streaming é voltada a mistérios da ciência e da história. Constituída por oito episódios de quase meia hora cada, com temas que vão dos misteriosos desaparecimentos no Triângulo das Bermudas ao aquecimento global, passando pela peste bubônica, pelo apocalipse zumbi, entre outros. Em entrevista exclusiva ao Canaltech, Castanhari contou um pouco mais sobre como foi cada processo de realização da série!

Inicialmente, o youtuber conta que o seu interesse por ciência despertou logo quando era criança, por meio de séries que abordavam o tema, como O Mundo de Beakman, que passava na TV Cultura nos anos 1990 e explicava a ciência de uma forma simples, que é basicamente o objetivo de Castanhari na série.

Já a ideia de criar o Canal Nostalgia surgiu em 2011, depois de procurar muitos conteúdos no YouTube com a temática nostalgia e não achar nada. "Eu passei a madrugada vendo abertura de desenhos e jogos antigos e procurei algum canal que tivesse esse tipo de conteúdo, que juntasse tudo em um lugar só, e não achei. Foi aí que surgiu a ideia de criar o canal, justamente porque eu percebi que existe um nicho ali que não estava sendo explorado", conta Castanhari. "Aproveitei isso e juntei com a vontade que eu tinha de ser independente, não ter chefe e ter meu próprio negócio, e aí surgiu o Canal Nostalgia. Vídeos de ciência e história surgiram bem depois, quando todos os temas nostálgicos já haviam se esgotado, então eu comecei a produzir outros conteúdos, de coisas que eu me interessava".

Castanhari fala sobre início do canal, interesse por ciência e produção da série com a Netflix (Imagem: Reprodução/Instagram)

Questionado sobre a importância de aprender ciência, Castanhari reconhece que é uma das coisas que move o mundo. "A gente só evoluiu como sociedade por causa da ciência. Hoje em dia conseguimos viver muito mais por causa da ciência. A gente conseguiu conectar pessoas do outro lado do mundo através de um clique com a ciência. Devemos muito da nossa sociedade à ciência, por isso que eu acho que é importante gerar o interesse, principalmente da molecada, porque são essas pessoas que podem ser nossos futuros cientistas, pessoas que eventualmente podem criar coisas que vão mudar mais uma vez a humanidade", afirma.

Apesar do interesse, o youtuber reconhece que há dificuldades para abordar esse tema, principalmente porque muitos conteúdos são de difícil compreensão: "É por isso que a gente sempre conta com a ajuda de um especialista quando faz vídeos de temas científicos no canal, ou até mesmo para falar na série". "Então a dificuldade principal é como você transforma um conceito que não é nem um pouco simples e traduz para uma linguagem para todo mundo. Mas é para isso que a gente tem os especialistas, para nos ajudar nessa tarefa".

Os bastidores da série Mundo Mistério

Diferente do que se pensava, a série Mundo Mistério não começou com um convite feito pela plataforma de streaming para Castanhari. Na verdade, foi o youtuber que precisou apresentar seus projetos para ela. "Meu agente, na época, conseguiu um contato de alguém da Netflix em uma reunião para apresentar um projeto que não era esse. Era um projeto de um desenho animado que eu tinha, que eu estava produzindo e queria mostrar para eles. No final das contas, eles gostaram da apresentação e perguntaram se eu tinha um outro projeto. Eu aproveitei para falar do Nostalgia Ciência. Eles gostaram e falaram: 'Vamos tentar trazer isso para a Netflix de uma forma melhor, com mais produção'. Foi assim que começou", explica à reportagem.

Castanhari conta bastidores da série Mundo Mistério, original da Netflix (Imagem: Reprodução/Instagram) 

Já quanto à sensação de produzir uma série para uma plataforma tão grande quanto a Netflix, Castanhari conta que quando tudo deu certo e a produção começou, sentiu uma responsabilidade muito grande. "A sensação era de que eu estava sendo privilegiado de ter essa possibilidade de produzir uma série para ela. Depois, veio a sensação de estar perdido, porque é completamente diferente fazer uma série da Netflix de produzir um vídeo para o YouTube".

Perguntamos para o youtuber se ele acha que fazer série com o serviço de streaming pode expandir o alcance do seu próprio canal, e a resposta foi que, no caso, tudo depende do alcance/do sucesso da série em questão. "O público inicial que eu jogo para a Netflix já é o meu público. Ela tinha interesse justamente em levar minha audiência para a plataforma. Conforme a série vai fazendo sucesso, vai sendo recomendada pela Netflix, eu começo também a alcançar um novo público, e aí eventualmente esse público pode me procurar no YouTube e acabar dando audiência para o meu canal. Se ela for um baita sucesso na Netflix, com certeza eu vou colher os frutos disso em todas as minhas redes sociais".

Castanhari conta que as gravações aconteceram numa mansão em Pinheiros, pelo menos a parte com os personagens. A equipe modificou totalmente a casa para transformá-la no laboratório. "Foram oito dias, uma equipe muito grande, acordava às 6 horas para ir lá gravar o dia inteiro e ir embora umas 19 horas e já voltar para casa para mexer em roteiro, porque a gente teve alguns problemas, teve que adaptar o roteiro no meio da gravação. Então foi um processo meio caótico, mas muito divertido", revela o youtuber.

Além do casa-estúdio na cidade de São Paulo, a equipe viajou para vários lugares: Inglaterra, Ilhas Bermudas, Estados Unidos e o Santuário dos Lobos, na Flórida. Lugares pelo Brasil também não faltaram, como a USP São Carlos, o acelerador de partículas Sirius, na cidade de Campinas; e Cubatão, onde a equipe foi falar sobre poluição no episódio de aquecimento global. "Então visitamos vários lugares. Tudo para tentar deixar a série o mais diversificada possível e ainda valorizando o Brasil".

O resultado disso tudo? "Como diretor e maior crítico do meu trabalho, enxergo a série primeiro como um resultado muito bacana. Foram dois anos de muito, muito esforço, então a minha sensação é de que a gente fez o máximo que podia com o tempo e o orçamento que tinha. Com certeza vejo vários pontos que poderiam melhorar, várias coisas que poderíamos evoluir no formato", diz Castanhari. "O formato é uma coisa muito nova, que a gente teve que descobrir no meio do processo, então eu fiquei feliz com o resultado, mas eu vejo coisas que a gente poderia fazer diferente e poderia melhorar. Tudo o que eu espero é poder aplicar uma segunda temporada", conclui.

A primeira temporada de Mundo Mistério está disponível no catálogo Netflix com oito episódios.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.