Estes são os principais riscos digitais de apps de namoro

Estes são os principais riscos digitais de apps de namoro

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 25 de Setembro de 2021 às 17h00

Mesmo que os aplicativos de namoro já estivessem aumentando de popularidade nos últimos anos, a pandemia acelerou ainda mais esse crescimento. E, com isso, os riscos de segurança também aumentam.

De acordo com a empresa de dados Apptopia , os 20 principais aplicativos de namoro estavam batendo números de 1,5 milhão de usuários ativos por dia em 2020. Já o site Statista revela que há 234,1 milhões de usuários de plataformas de relacionamento em todo o mundo em 2021, e que até 2024 esse número deve aumentar para 276,9 milhões.

A popularidade dessas plataformas além de pessoas em busca de um companheiro, também atrai criminosos, que tentam se aproveitar das informações pessoais que usuários expõem nesses serviços para escolher seu próximo alvo. Uma pesquisa feita pela divisão de Inteligência em Ameaças da Check Point Software alerta sobre os riscos inerentes nesses aplicativos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O estudo divulgado pela Check Point mostra que os principais riscos encontrados nessas plataformas são os seguintes:

  • Cuidado com as imagens compartilhadas: Da forma que os relacionamentos digitais ocorrem, o compartilhamento de fotos intímas, as famosas "nudes", é uma prática comum entre usuários de aplicativos de namoro. Porém, é bom tomar cuidado com as pessoas para quem essa foto está sendo enviada, já que existem muitos casos delas serem usadas como chantagem, tanto emocional quanto financeira. Fique esperto;
  • Malware à espreita: Uma simples fotografia pode ser a isca perfeita para acessar um dispositivo. Uma das melhores técnicas que os cibercriminosos usam em aplicativos de namoro é criar um perfil atraente, com o qual todas as vítimas gostariam de interagir, o famoso dar "match". Conforme a conversa for rolando, eles podem hospedar qualquer tipo de ataque cibernético em arquivos enviados no papo, como uma foto, que pode conter malware com spyware capaz de obter as senhas do aplicativo do usuário;
  • Romance falso: Nos aplicativos de namoro é comum os cibercriminosos criarem perfis falsos com imagens e descrições que atraem a atenção do usuário. O seu "modus operandi" é estabelecer um interesse para iniciar uma conversa com a vítima, e ao longo dos dias construir uma falsa imagem de um relacionamento, para depois pedir dinheiro emprestado, com justificativa de viajar para conhecer a pessoa. Depois que a quantia é enviada, eles somem, provando que era somente uma ilusão criada pelos golpistas;
  • Roubo de identidade: Embora esses ciberataques provavelmente tenham como alvo os usuários desses aplicativos, há casos em que um estranho pode ser a vítima. Qualquer indivíduo com dados, documentos ou arquivos de outra pessoa é capaz de se passar por ela falsificando sua identidade. Com as redes sociais, como o Facebook, ficou ainda mais fácil obter foto de pessoas reais. Nunca confie de cara em quem você encontrar nas plataformas de namoro;
  • Roubo de conta: ao ingressar na Dark Web, encontram-se centenas de perfis de aplicativos de namoro invadidos disponíveis para comprar a um preço elevado. Em 2016, um site de namoro foi "hackeado" e os dados de 32 milhões de usuários foram roubados, incluindo alguns que já tinham cancelado a assinatura de seus serviços. Os dados incluíam e-mails, senhas e outras informações de contas pessoais que podem ser vendidas e usadas para subsequentes ataques de phishing ou malware, entre outros.

Dicas para evitar cair em cibercrimes nos apps de namoro

A melhor maneira de se manter em segurança nos aplicativos de namoro é agir com muito cuidado e ter consciencia de não confiar em qualquer pessoa que encontrar nas plataformas. A Check Point preparou uma lista de dicas para melhor se proteger:

  • Nunca forneça informações confidenciais a terceiros: qualquer usuário que solicitar informações confidenciais pode ser um criminoso virtual. Em hipótese nenhuma forneça dados pessoais para usuários dos aplicativos de namoro, já que nunca se sabe quais são as reais intenções da pessoa no outro lado da tela;
  • Não baixe imagens ou arquivos para seus dispositivos: a maior parte das pessoas tem fotos nesses aplicativos de namoro. Por isso, é muito importante que elas sejam apenas exibidas no próprio aplicativo e não sejam baixadas ou armazenadas, já que existem formas de distribuir vírus por meio de imagens. Não coloque seu celular ou computador em risco;
  • Não confiar, usar o bom senso e não ter pressa: trata-se de uma premissa básica, mas às vezes a regra mais óbvia é a mais útil. Tente conhecer o máximo possível o seu "match" antes de qualquer contato mais pessoal;
  • Verificar perfis em sites de namoro: Uma das melhores precauções que se pode tomar é prestar atenção aos detalhes e ter cuidado com os perfis recém-criados e/ou perfis com imagens que se pareçam com um anúncio. Uma boa prática é procurar a pessoa em outras redes sociais, caso tenha alguma dúvida quanto a real existência dela.

Tomando cuidado, a experiência nos aplicativos de namoro pode ser ótima. Mas lembre-se, tanto na vida real quanto na digital, proteja-se.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.